https://www.poetris.com/
Sonetos : 

CHUVAS E TROVOADAS

 
Tags:  SONETOS 2013  
 
CHUVAS E TROVOADAS

Aceito como se uma tempestade
A saraiva que sai de sua boca.
Irrompe sobre mim -- meio vã, meio louca --
Crendo-se a detentora da verdade.

O espírito, porém, distante evade;
Deixa-me o corpo como se casca oca.
Não cuido sequer do mal que me provoca
Somatizar tamanha insanidade.

Ora apenas me calo... De mamente,
Escuto os impropérios que inclemente
Ela me lança em tão triste figura.

Resta-me culpar tão-só o Universo:
Cato os cacos de mim em vão disperso,
Ao lhe encarar os olhos sem ternura.

Betim - 17 03 2013


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
162
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.