https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

POEMA INACABADO

 


Enquanto, a noite, se faz lá fora
há resquícios, de dias, no
escrever; de dentro para fora; e vai e devora,
Em ecos de fragilidade.

Só quem conhece a “Aurora”,
Sabe de cor - o imaginário;
… E os tons translúcidos., e a demora,
Somos só nós, em percebermo-nos;

Da voz, que silente emite:
Cegos os olhos. e os candeeiros,
Nocturnos.). o que de si não demite
bem a razão, guiada pela emoção.

São como vozes atractivas,
Sedutoras, que se vão pelas frestas -
Abertas as janelas respectivas
sobrepondo-se umas às outras.

Jorge Humberto
31/10/16

 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
1385
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 01/11/2016 01:59  Atualizado: 01/11/2016 01:59
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2376
 Re: POEMA INACABADO
Muito bonito e profundo seu poema, Jorge.
Gostei.

Abracos

*Mary Fioratti*

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 01/11/2016 12:16  Atualizado: 01/11/2016 12:16
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12439
 Re: POEMA INACABADO P/ jorgehumberto
Achei interessante e gostei imenso Vólena