https://www.poetris.com/
 
Textos : 

Confissões de um aprendiz de escriba - V

 


V

Manhã do ultima segunda-feira de outubro. Todos comentam e festejam a reeleição do atual prefeito. Eu na minha humilde tristeza e preocupação com meus problemas cotidianos. Um deles é o portão que não seca. Tenho de comprar outra tinta, mas cadê o dinheiro? Aguardo a mãe de Calabresa, o meu redentor pagar-me. O congelador vazio. O ferimento na ponta do dedo indicador cicatrizando lentamente debaixo da pequena pele enegrecida. Coloco a cruz em pé no canto da porta para atrair algum client. Ontem depois do final trágico de Luzia em Sobral partir para a corte do Rio de Janeiro, embarcando nas desventuras do meu incauto conterrâneo Amâncio na escrita do mestre Aluisio Azevedo em "Casa de Pensão". A visita de Leoni e a sua pequena prole de um menino e duas gurias. Muito bonito essa relação de amor que tem pelos seus. Brincaram, sentaram no chão se chatearam e foram embora. Uma no braço e os outros puxados pela mão.
Depois de andar alguns quilometro no famoso rally "Paris-Dakar" no deserto da Argélia na possante moto do piloto francês Cyril Neveu em "Au Kilomètre 260", resolvi voltar para a conclusão do romance "Sétima Avenida" do escritor americano Norman Bogner conterrâneo de Henry Miller ambos nasceram em Nova York no mesmo bairro do Brooklyn.


 
Autor
r.n.rodrigues
 
Texto
Data
Leituras
341
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
@poetamilnovo
Publicado: 28/11/2016 22:06  Atualizado: 28/11/2016 22:06
Da casa!
Usuário desde: 07/10/2016
Localidade: Salvador Bahia
Mensagens: 488
 Re: Confissões de um aprendiz de escriba - V
Belíssimo e maravilhoso escrito.