https://www.poetris.com/
Poemas : 

Beligerante

 
Era bélico pela natureza.
Dentro de si não lhe cabia a paz.
Era mármore de extrema dureza
Que nada de o riscar era capaz.

Desprovido era da rara beleza,
Daquela interna, que não é fugaz;
De uma acidez que nos turva a clareza
De ver o pranto que o poema traz...

Ah, Desejosos sonhos proibidos
Que pobre homem não tem por dominado
Quando mero escravo este é de si mesmo!

Quantas voltas quando andamos a esmo
Buscando pelos amores não dados,
Pelos abraços nunca recebidos!


 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
154
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
36 pontos
10
5
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 01/07/2017 04:44  Atualizado: 01/07/2017 04:44
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1324
 Re: Beligerante
Sub-título
Poema do mal-amado sem saber...

Abraço irmão


Enviado por Tópico
*Susie
Publicado: 01/07/2017 14:19  Atualizado: 01/07/2017 14:19
Colaborador
Usuário desde: 25/11/2015
Localidade:
Mensagens: 824
 Re: Beligerante
Oi!

Seu poema revela alguém muito triste, pois parece-me que vive uma guerra íntima com si mesmo, nunca encontrando a paz tão necessária ao amor...
Adorei a leitura...
bjo


Enviado por Tópico
johnmaker
Publicado: 01/07/2017 14:51  Atualizado: 01/07/2017 14:59
Colaborador
Usuário desde: 02/05/2016
Localidade:
Mensagens: 1122
 Re: Beligerante
... você não pode chegar ao desconhecido através do conhecido; não podem chegar ao que está do outro lado, a menos que atravesse a Ponte. E essa Ponte pode ser um conceito espiritual, uma imagem que se a utilizou com um Coração puro, realmente para colocá-lo em contato com o que mais ela representa, não importando qual seja o nome. Como disse meu amigo Chandra, quebre o Copo, eu lhe digo, derrube a Ponte depois de atravessá-la. Todo o soneto revela uma bela contradição uma luta , uma percepção distinta entre o coração e a mente. Parabéns por traduzi-la tão bem.


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 02/07/2017 19:25  Atualizado: 02/07/2017 19:25
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8515
 Re: Beligerante PARA GYL
Gosto de poemas que versam a condição humana, seja ela qual for, porque tem um quê de filosofia, com um dedo de psicologia, os arquétipos que fala muito de nós mesmos...

E mais uma vez, Gyl, me curvo ao teu talento singular, por versar em soneto, o que já não é assim, moleza, a belicosidade humana, cheia de controvertidas nuanças!

Beijos querido amigo !


Enviado por Tópico
atizviegas68
Publicado: 08/07/2017 16:48  Atualizado: 08/07/2017 16:48
Colaborador
Usuário desde: 09/08/2014
Localidade: Açores
Mensagens: 1157
 Re: Beligerante
"Dentro de si não lhe cabia a paz." quando a paz não cabe
dentro de cada um de nós, tudo em torno é inferno.
O processo para alcançar a paz dentro de nós...amor e como escreveu no seu poema o companheiro de letras, Boxer "temperança".
Lindo soneto sobre um tema assaz apaixonante e lírico.
Obrigada

Abraço com estima