https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Os filhos do Corno de África

 
 



A terra é a minha cama
e o corpo humilhado da minha mãe, a cabeceira.
Á noite os bichos
escoram-me do frio e comem outros bichos
que nutrem a minha carne podre.
não sei o que é um sorriso,
nunca conheci outra vida se não esta.

Somos tantos
deitados na mesma cama.
Já não me levanto,
a astenia das minhas pernas
já não seguram o meu corpo.
Às vezes a minha mãe
mete-me um punhado de farinha na boca
para que a fome não me coma.

Não sei se sou criança ou menino,
aqui somos todos iguais
não existem idades nem rostos,
as dores vão deformando
as formas do meu corpo
e o medo assombra-me a sombra
que se cala por baixo de mim.

Se pensam que nos matam, enganam-se…
…Mutilam-nos

Os ossos desfazem-se lentamente
os dentes cravam a terra,
tentam libar água das noites húmidas.

Todos os dias adormecem milhares
na boca do inferno

Por mais que os poetas destilem,
os cantores clamem,
os pintores nos esbocem,
jamais alguém conseguirá
abrir as portas da galeria horrenda
e expor o massacre da morte
que nos engole em jejum.


Conceição Bernardino


A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras.
Aristóteles

meu Blog - http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Blog da Lavra...Boletim de Poesia - http://lavraboletimdepoesia.blogspot.com/

@cartascemremetente

 
Autor
Conceição Bernardino
 
Texto
Data
Leituras
326
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
3
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 25/08/2017 15:34  Atualizado: 25/08/2017 15:37
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Os filhos do Corno de África/ PARA CONCEIÇÃO BERNARDINO
Conceição, que poema profundo, esse !
A empatia que senti na autora através do sentir/fazer poético toca fundo a sensibilidade numa linguagem metafórica que contribui para inquietar e levar à reflexão, aclarando a consciência para essas dores, esse sofrer que:
Por mais que os poetas destilem/os cantores clamem/os pintores nos esbocem/jamais alguém conseguirá/ abrir as portas da galeria horrenda/e expor o massacre da morte
que nos engole em jejum.
que só se pode imaginar, mas jamais poderemos sentir com força dos que padecem desse massacre!

Grande abraço, de admiração poetisa, e aplausos!

Enviado por Tópico
HÓRUS
Publicado: 25/08/2017 19:09  Atualizado: 25/08/2017 19:09
Da casa!
Usuário desde: 08/04/2017
Localidade:
Mensagens: 309
 Re: Os filhos do Corno de África
Existem buracos sem fundo
Num horrendo sobressalto
Para que vieste ao mundo
Nem te deixam, gritar alto!

Há muito que a surdez e cegueira tomaram conta dos senhores deste mundo!

Bjs.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 26/08/2017 10:59  Atualizado: 26/08/2017 10:59
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2734
 Re: Os filhos do Corno de África
Somos os filhos de áfrica esquecidos
invisivelmente mutilados.
Muito bom bjs