https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Aquarela

 
Queda a noite feito um bêbado
O vento sacode folhas amarelas
No horizonte um ponto prateado
Uma moça repousada na janela.

Ainda não sabemos quem é ela,
Nem quem possui aquele coração.
Sabemos que ela era a mais bela
E a mais querida daquela região.

Poderíamos chamar-lhe Estela,
Laura, Isaura ou mais uma Maria.
Mas não faríamos isso à poesia.
Dizendo a verdade era... Aquarela.

Na puberdade corria pelos prados
Com rosas perfumando os cabelos
Que caíam pelas costas em novelos
Servindo de morada para os pássaros.

Sorria como mulher na sua inocência.
Transparecia a graça daquele sorriso
Marfim perolado banhado em essência
Herdada de ervas do antigo paraíso.

Dava vida aos olhos e a aquele vestido
Tecido com rendas, tergal e margaridas.
Onde os pés tocavam a relva agradecia
Verdejando e alegrando o dia azulino.

Resolveu se apaixonar o seu coração
Num dia distante, infeliz e aziago,
Fazendo em Aquarela tamanho estrago
Que hoje a vemos ali, frente ao portão.

Seus olhos, outrora os mais lindos,
Hoje tão profundos e preocupados,
Ficam a esperar que seu “namorado”
Cruze a curva daquele caminho.

Ficam horas e horas velando, coitada,
Tudo após uns olhares, numa festa,
Depois o mundo inteiro de promessa
Agora anos e anos e nada.

Seus cabelos agora estão grisalhos;
As margaridas murcharam em seu corpo;
Maltrapilha, mais parece um espantalho
Com as pálpebras e os lábios roxos.

A vida é mesmo uma grande piada
Sempre seremos infantes em ninhos
Nunca abandonamos nossa morada
Esperamos que o amor venha numa virada
De uma curva acentuada no caminho.


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
304
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
6
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 31/08/2017 10:39  Atualizado: 31/08/2017 10:41
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 1927
 Re: Aquarela


Muitos não sabem propriamente distinguir a originalidade da excentricidade: uma caracteriza o génio, outra manifesta o louco


Teoria e Prática do Comércio local


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 31/08/2017 13:45  Atualizado: 31/08/2017 13:45
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Aquarela/ PARA GYL
Um poema em que o autor usa as palavras como matéria de existências. Os versos, cantantes de harmonia, compreendem a vida e caminhos, ou descaminhos!

Como sempre, um primor, amado Gyl, resultado de tua familiaridade com a linguagem, sempre elegante e sem mácula.
Mil parabéns da amiga e fã! Bjosss


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 31/08/2017 14:54  Atualizado: 31/08/2017 14:54
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12487
 Re: Aquarela P/Gyl
Todos esperam numa curva ou numa recta o amor e não é que ele aparece mesmo, talvez seja a piada mais graciosa da nossa vida uma aguarela viva e a cores! Que beleza e elegância descrita com a sua magia e encanto, perfeito!
Abraço Vólena