https://www.poetris.com/
Sonetos : 

MATANÇAS

 
MATANÇAS

Tento em vão afastar as lembranças
Abrandar a saudade ferrenha
Mas o peito teimoso se empenha
Em seguir nas sofridas andanças

Coração sente o gume de lanças
Dos suplícios medonhos desdenha
Ilusões incontáveis desenha
Mesmo sendo um altar de matanças

Enxurradas escorrem no rosto
É de amarga tristura esse gosto
Piedade de mim não tiveste

Tantas súplicas tolas endosso
Arrancar gostaria e não posso
Tudo aquilo que um dia me deste


Jerson Brito

 
Autor
jersonbrito
 
Texto
Data
Leituras
156
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 31/08/2017 17:06  Atualizado: 31/08/2017 17:06
 Re: MATANÇAS
Tenho lido teus sonetos com encanto.
Parabéns pelo empenho.
Abraços