https://www.poetris.com/
Poemas -> Desilusão : 

Mesmo que tardio

 
Tags:  aniquila    Solidão Vazio  
 
Open in new window
Porque o vazio em meu peito
Chega a doer, maltrata
Uma dor invisível, abstrata
Alma doente mostra defeito

Uma solidão que aniquila
Falta a palavra ,o carinho
Por onde ir, qual o caminho?
Seguir a ave tranquila

Em voo que liberta
Se tivesse eu asas
Voaria junto as águas rasas
Ou em planície deserta

Não haveria o vazio
Haveria a distância
Da dor que vivencia
Voo alto mesmo que tardio

Nereida

 
Autor
nereida
Autor
 
Texto
Data
Leituras
102
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
10
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 14/09/2017 00:55  Atualizado: 14/09/2017 00:55
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12617
 Re: Mesmo que tardio
Bem verdade. Melhor um voo raso do que os dois pés no chão desta solidão. Belo por ser belo. Mais belo por ser de ti. Beijos!


Enviado por Tópico
Huntr
Publicado: 14/09/2017 11:02  Atualizado: 14/09/2017 11:02
Super Participativo
Usuário desde: 28/08/2017
Localidade:
Mensagens: 184
 Re: Mesmo que tardio
Eu ouço as estripulias dos pássaros.
Longe, bem longe, o gritar do Tetéu.
Ele quer e eu quero que o dia transcorra feliz.
A solidão passa ao largo...
Estou cercada de anjos.

Abraços querida amiga


Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 14/09/2017 11:39  Atualizado: 14/09/2017 11:41
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal, Portugal, Azeitão
Mensagens: 798
 À mãe que o pariu ...
Open in new window






O Menino de Sua Mãe





O Menino de Sua Mãe
No plano abandonado
Que a morna brisa aquece,
De balas trespassado
— Duas, de lado a lado —,
Jaz morto e arrefece.

Raia-lhe a farda o sangue.
De braços estendidos,
Alvo, louro, exangue,
Fita com olhar langue
E cego os céus perdidos.

Tão jovem! que jovem era!
(Agora que idade tem?)
Filho único, a mãe lhe dera
Um nome e o mantivera:
«O menino da sua mãe».

Caiu-lhe da algibeira
A cigarreira breve.
Dera-lha a mãe. Está inteira
E boa a cigarreira.
Ele é que já não serve.

De outra algibeira, alada
Ponta a roçar o solo,
A brancura embainhada
De um lenço... Deu-lho a criada
Velha que o trouxe ao colo.

Lá longe, em casa, há a prece:
«Que volte cedo, e bem!»
(Malhas que o império tece!)
Jaz morto, e apodrece,
O menino da sua mãe.







Fernando Pessoa


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 14/09/2017 16:00  Atualizado: 14/09/2017 16:00
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8629
 Re: Mesmo que tardio/ Para Nereida
Ai...amiga, vazio no peito sempre dói. Ainda mais em solidão. Quantos no mundo não estarão nessa condição?
Poetizar pode ser uma forma mágica de driblar a dor.

Parabéns , Nereida querida!!
Bjosss


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 25/09/2017 18:09  Atualizado: 25/09/2017 18:09
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 27966
 Re: Mesmo que tardio
Palavras que gritam dos olhos aquele momentos de amargura e solidão que esta em um coração

Enviado por Tópico
GersonClayton
Publicado: 27/09/2017 03:34  Atualizado: 27/09/2017 03:34
Colaborador
Usuário desde: 13/08/2014
Localidade:
Mensagens: 4821
 Re: Mesmo que tardio
O importante é encontrar a liberdade, nunca é tarde para voar...


Lindoooooooo poema amiga!