https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

no horizonte vejo o invisível

 





No horizonte em seda
vejo a existência do teu amor
e na linha curva, o sonho que nasce
vem com a cor do oriente
aos meus olhos se prender.
Perante a lonjura incriada, cerro os olhos
e guardo a cor do momento.

No horizonte
o tempo nasce dentro de mim,
coisas belas talham-se
com a leveza das nuvens
e com o afago da palavra inteira.
É no horizonte que vejo
as raízes da alma verdadeira.

Perdoa-me!
Perdoa-me, se não nascem em mim
palavras de anjo,
nem o vício perpétuo do desejo
das noites contigo,
aquelas que unem os corpos em mistério
e em prazer que dura no beijo.

Confesso que é no horizonte
que vejo a ilusão do sonho
e que do amor vem a paixão.









Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
355
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
7
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 12/11/2017 12:12  Atualizado: 15/11/2017 16:54
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1598
 Re: no horizonte vejo o invisível
Gosto do teu poema.
O invisível, transparência ou a olho nú, soa muito a impossível.
O sujeito poético é multipartido.

Há horizontes vários, todos eles nos transportam para o universo da esperança.
Aqui, a "lonjura incriada" (gosto), a suavidade da seda na primeira estrofe, associada a um sentimento tão forte como o amor, coloca-nos perante um mote muito belo.
No horizonte, nessa distância indefinida e quase infinita, há a criação dum universo mais perfeito e puro.
Ainda que se guarde "a cor do momento" ao cerrar os olhos e num recanto qualquer da memória ele fique.

Ilusória a distância.

Acho curiosa a terceira estrofe.
Nela se vinca essa sensação de fracção, havendo um pedido de perdão do sujeito poético, em que este refere "que não nascem em mim as palavras de anjo". Tendo em conta a harmonia das estrofes, as várias imagens do horizonte em que somos bem apresentados a essa língua que tão bem escreves, fazes nos pensar que, no horizonte todos somos melhores.

Se a paixão der lugar ao amor que fervor...

Como gosto de te ler...

Abraço


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 12/11/2017 14:08  Atualizado: 12/11/2017 14:08
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: no horizonte vejo o invisível p/atizviegas68
Lindo poema, adorei! O amor verdadeiro é como o infinito não tem fim...Beijinho carinhoso Vólena

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 27/11/2017 12:13  Atualizado: 27/11/2017 12:13
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16189
 Re: no horizonte vejo o invisível
Zita

Confesso que é no horizonte
que vejo a ilusão do sonho
e que do amor vem a paixão.


Assim que deve ser!
Gostei imensamente!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 27/11/2017 14:44  Atualizado: 27/11/2017 14:44
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15161
 Re: no horizonte vejo o invisível
Lindo e comovente texto, com todos os requintes de um Belo Horizonte. Creia-me me que as palavras chegaram aqui. Abraços, querida poetisa!