https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Mãos que se curvam na pena

 
Open in new window

Silêncio profundo,
Quebrado pelo coaxar de rãs
E rítmica melodia das cigarras,
Dá inspiração ao poeta.
Em cada quebrar do silêncio,
Poeta tece um verso
No berço do vale,
Onde nascem rosas e lírios
Que ornamentam
Tardes de namoro
E servem de refúgio ao poeta,
Na sua divagação
Ao mundo da paixão,
Onde a lua espreita
O luzir dos corações apaixonados
Cantado em poesia
Pelas mãos que se curvam na pena,
E exteriorizam o que vai
N’alma do poeta,
Que faz da natureza
A fonte da sua inspiração:
Da fragrância duma rosa
Poeta perfuma os versos
E do branco dos lírios
Dá acabamento à poesia
Que leva alegria
Ao coração dos homens.

Adelino Gomes-mhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
515
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 05/08/2018 14:46  Atualizado: 05/08/2018 14:46
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9443
 Re: Mãos que se curvam na pena
Bom dia Adelino, o poeta que busca extrair dos elementos da natureza a sua poesia, tem inspiração de sobra, e escreve com muita diversidade, parabéns pelo vosso envolvente poema, eu te desejo um excelente domingo, MJ.