https://www.poetris.com/
Sonetos : 

CULPADOS

 
CULPADOS

Choras em silêncios demorados.
Não entendes porque assim tem de ser.
Quantos de nós seremos perdoados
Junto à cruz, eterno e sereno saber.

A heresia que se vê ao espelho, o reflexo
É livro que há muito esqueceu:
Como num círculo circunflexo
Como numa interrogação... que permaneceu?

Olhos procuram olhos - imaculados;
A Natureza empole e espera o grito;
E a demora é a sina dos desgraçados.

São Sete palmos de terra que nos cobre;
Escasseia o tempo para o proscrito;
Morre tudo quanto é sentimento nobre.

Jorge Humberto
21/10/19

 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
145
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
1
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/10/2019 21:07  Atualizado: 21/10/2019 21:07
 Re: CULPADOS
Excelente leitura.