https://www.poetris.com/
Textos -> Desilusão : 

UM PEQUENO APONTAMENTO

 
UM PEQUENO APONTAMENTO


Nota-se cada vez mais que a funcionalização requer
outros contextos que provem novos dados constitucionais
do género pró-social. Não podemos mais fechar os olhos
e fingir de que tudo está menos mal, e que com o tempo
o homem vai corrigir os erros até então cometidos.
Com o “tempo” que nos é dado, a começar ontem, não acredito
que chegue para esconder os imensos buracos que o Homem
fez neste nosso planeta. Não é para brincar, mas como
Acreditar que em dez anos, se consiga materializar e
fecundizar o que se estragou durante décadas? O mar
está cheio de plástico, as lixeiras estão a céu aberto e
a corrupção polariza-se por todos os cantos. Mas, antes
tarde do que nunca.
Deite-se mãos à obra, ensine-se às crianças, nas escolas,
O que fazer, para ajudarem a informar os adultos.
A reflorestar, a limpar os campos e os decampados,
A abrir caminhos para os carros entrarem em alturas de fogos:
Por exemplo.
Num mundo mais crescido, não se pode continuar a tapar
os ouvidos e os olhos, e continuar a “entre homem e mulher,
Não se meter a colher”, tendo como consequência – desde o
Início do ano, de dois mil e dezanove – 30 mulheres, violadas
e assassinadas, das formas mais escabrosas, sem consequências
para com os assassinos. Não podemos continuar calados.

Jorge Humberto
02/11/19
Santa-Iria-da-Azóia

 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
36
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.