https://www.poetris.com/
Sonetos : 

OCULAR

 
Tags:  SONETOS 2020  
 
OCULAR

Como um caco de vidro a me riscar
Por dentro da minha órbita direita,
Eis o mínimo cisco que sujeita
Toda a minha atenção a tal lugar.

Corpo estranho no meu globo ocular
Que junto ao cristalino então se ajeita
E ali me parasita sempre à espreita...
Dir-se-ia observando-me observar.

Ao verme que roerá as carnes frias
De meu breve cadáver sob a laje
Saúdo em meio a traves e miopias.

E enquanto inopinado o serzinho age,
A despeito do horror e da má sorte,
Eu olho para dentro e vejo a morte.

Betim - 21 05 2020







Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
33
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.