https://www.poetris.com/
Poemas : 

AR- 200522

 
.
.
.
Aqueles que acham que a arte é degenerada, coisa que não valha; ainda assim não eivar-me-ei do que falam à direita, à esquerda, tampouco às costas... indiferente para mim!
Pobres línguas surdas, falsas e aflitas; sucumbem deglutindo os próprios venenos...
Sou único, mito, sim, de mim mesmo, pois somente eu sei dos meus ódios, amores, alegrias, tristezas, dores, e dons espiriruais que habitam-me, quais acredito, como a música e a poesia que é-me 'magic spell...
Meu olhar trespassa insignificâncias, horizontes plúmbeos, meu sentir não é demente por não entender os loucos, os gênios... sou poeta que mente e desmente a cada instante, e a cada passo ante o fim...
Objetivo-me então; compor, cantar, sambar e amar, e o que mais emergir das minhas ébrias evidências sem esperar qualquer referendo...
Sei de mim!.

 
Autor
ZESILVEIRADOBRASIL
 
Texto
Data
Leituras
104
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alemtagus
Publicado: 28/05/2022 12:20  Atualizado: 28/05/2022 12:20
Colaborador
Usuário desde: 24/12/2006
Localidade: Montemor-o-Novo
Mensagens: 2861
 Re: AR- 200522
Palavras sábias para quem as quiser entender. Revejo-me nessas imagens amiguirmão.