https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Soneto sem esperança

 
Tags:  desilusão  
 
Eu permaneci na chuva, pois não consegui te alcançar.
A solidão é penumbra de teu corpo, em minha mente, despido.
Falhei em te substituir, e esse amor teve de ser contido.
Então me desfaço de você na taça onde tento te encontrar.

Tua rejeição me orienta, define quem sou e quem tento ser
Incompleto e perdido, me vendo nessa barganha delirante
E efêmera, pois tua ausência é uma verdade inquietante
Que me atira num calabouço de remorço por um dia te perder.

No teu deserto de incertezas, vaguei e nunca encontrei abrigo,
Só achei vaidade condescendente e indiferença comigo
Além de sonhos desfeitos e um vazio transbordante de você.

Hoje o sentir é sem gosto, e a saudade é meu motivo de existir
Dando rumo e propósito a esse dramático que não sabe desistir
Esse ninguém.. sem teu nada.. ainda busca um porquê.

 
Autor
BenjamimH
Autor
 
Texto
Data
Leituras
118
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.