Poemas : 

Danado

 
A certa altura, no deserto

semeio
ervas daninhas.


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra, não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
420
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
2
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 28/08/2023 19:51  Atualizado: 28/08/2023 19:51
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3674
 Re: Danado /R.Beça
olá Rogério

assim como quem caminha numa prova de superação, qualquer erva daninha no deserto é um óasis
a escolha das palavras são notáveis , dão um significado único no meio de tanta aridez...um momento de transformação

atenciosamente
HC

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 17/05/2024 22:40  Atualizado: 17/05/2024 22:40
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18319
 Re: Danado
Danado! Imenso em significados e vai além, bajula os pensamentos. Bjs