https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Crônica

 
Deposito na mesa da cozinha
as poucas bolsas do supermercado.
Me tomas com teu beijo molhado
como se fosse pela última vez,minha.

E reclamas, como sempre sozinha
dos preços , do varejo e do atacado:
—Cem reais para somente um punhado
que mal enche uma sacolinha!

Eu dou de ombros e beijo-lhe a testa
Dizendo que um dia as coisas prosperam,
e que mais vale o amor que nos resta.

Na geladeira as contas de janeiro
prendidas na porta esperam
Pelo milagre de mais um ano inteiro.

 
Autor
pauloroberto
 
Texto
Data
Leituras
146
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.