https://www.poetris.com/
Poemas : 

Pérola

 
A noite em seu manto bordado
Luz tremebunda, fogo dourado
Fogo anil, de alquimia venenosa
Suaves asas pintadas de mariposa
Salamandra rubra incandescente
Licor agridoce de odor quente
As constelações em teus olhos
Por meus caminhos maltrapilhos
Essa voz tão terna que me incita
Uma memória perdida e maldita
A boca grita um grito perdido
De sangue no peito fendido
Invenção, o renascer, as farpas
O corpo caído das escarpas
Não lhe ouviria os passos
Há tempos desfeitos os laços
No meu coração estas letras
Pérolas canções entre outras
A ameaça, o punho, o testemunho
Nada busca, tão pouco, tão louco


"Somos apenas duas almas perdidas/Nadando n'um aquário ano após ano/Correndo sobre o mesmo velho chão/E o que nós encontramos? Só os mesmos velhos medos" (Gilmour/Waters)


 
Autor
Sergius Dizioli
 
Texto
Data
Leituras
186
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
5
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paulo-Galvão
Publicado: 01/11/2023 11:01  Atualizado: 01/11/2023 11:01
Usuário desde: 12/12/2011
Localidade: Lagos
Mensagens: 1173
Online!
 Re: Pérola
Olá Caro pota,
A noite contém tudo e nada, será ela o dicionário do silêncio poético.
Primorosa pérola.
Paulo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/11/2023 01:44  Atualizado: 02/11/2023 01:44
 Re: Pérola
O nome é perfeito e não poderia ser diferente tamanha a riqueza das palavras, que por sinal, impressiona seu domínio ímpar sobre elas...Parabéns. Fica com Deus


Enviado por Tópico
ZeSilveiraDoBrasil
Publicado: 10/11/2023 19:01  Atualizado: 10/11/2023 19:01
Administrador
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 1728
Online!
 Re: Pérola
.
.
.
...devo dizer ao insigne amigo poeta que; cada verso deste seu poema é para mim revival duma época que vivi entrelaçado com a boemia, de tão clara que foram para mim cada páginas/estrofes demonstrada aqui. Hoje afastado, mas me ufano toda vez que um tema bebível vem até mim; sorvo-o com sofreguidão. Tim Tim!
Aquele abraço caRIOca!