https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Passos sem norte

 
Tags:  dor    reflexão    sufoco  
 
Open in new window































Imagem retirada do Google


Sinto o silêncio dos meus passos
vagueando sem norte
num vaivém vertiginoso
enjaulando-se impiedosamente
no empedrado do chão
ao sabor das correntezas
que navegam para lá do mar
em encostas escarpadas
em planícies infecundas
em desertos áridos
despidos de vegetação

Acelero a cadência dos meus passos
ambicionando galgar o tempo
do tempo que corre sem tempo
nas noites submersas
em fluidos salgados
que sulcam o rosto tenso e sombrio
apossando-se das glândulas gustativas
adocicando o ar sufocante
libertado do coração prensado
pela robustez dos devaneios ansiados

Mas a razão comedida,
silenciosamente silencia
o vulcão existencial
entorpecendo o corpo
na frieza agreste da noite
onde os lençóis buliçosos atestam
o tumulto relampejado
da revolta irreflectida do ser
que só, tão somente quer ser…

Escrito a 07/01/09

 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
1966
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
25 pontos
9
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 10/01/2009 23:23  Atualizado: 10/01/2009 23:23
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Passos sem norte
Suga-se melancolia das tuas palavras,
Liliana, mas simultaneamente alia-se
a leveza do teu querer e da serenidade
que procuras a cada momento.
Ler-te, é sempre agradável pela beleza
que emprestas às palavras.
Beijo, amiga!
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 10/01/2009 23:34  Atualizado: 10/01/2009 23:34
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: Passos sem norte
Liliana,

No desvravar de múltiplos caminhos a tentativa de se conhecer o seu.

Gostei sobremaneira do seu belo poema.

Beijinho

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/01/2009 01:25  Atualizado: 11/01/2009 01:25
 Re: Passos sem norte
Se conseguissem sentir nas entrelinhas este poema não haveria tanta hipocrisia, ele transmite muita sabedoria.

Adorei
Beijinho sempre amiga.

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 11/01/2009 03:01  Atualizado: 11/01/2009 03:01
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14956
 Re: Passos sem norte p/ Liliana Maciel
Querida amiga Liliana

Passos sem norte
sem direção
com certeza haverá
um tempo para se encontrar
a direção ... Excelente!

Maravilhoso 2009 amiga

Grande beijo

Enviado por Tópico
quidam
Publicado: 11/01/2009 08:42  Atualizado: 11/01/2009 08:42
Colaborador
Usuário desde: 29/12/2006
Localidade: PORTIMÃO
Mensagens: 1438
 Re: Passos sem norte
Eis uns passos sem norte que tomam conta dos sentidos à procura do ser que quer viver...
Jinho

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/01/2009 21:34  Atualizado: 11/01/2009 21:34
 Re: Passos sem norte
Liliana, este te poema mais uma vez é o resultado de uma pura e simples reflexão sobre o Ser...

Neste vai-e-vêm sem norte percorremos caminhos, que nos levam sempre ao mesmo lugar a "querer SER"


Adorei amiga


Um beijo meu

Dolores

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/01/2009 23:31  Atualizado: 11/01/2009 23:31
 Re: Passos sem norte
Belíssimo poema Lili. A vida não é linear. Entre os altos e baixos todos crescemos e nos tornamos mais fortes.

Poema cheio de significado para quem entende as incontingências da vida. Somente elas dão estes frutos de bela poesia!

Para ti que usas as palavras como hinos de paz,

Beijo azul... Sempre!

Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 12/01/2009 16:23  Atualizado: 12/01/2009 16:23
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5046
 Re: Passos sem norte
Parabens pelo excelente trabalho!Digno de aplausos!

Enviado por Tópico
PAULOMONTEIRO
Publicado: 18/01/2009 21:33  Atualizado: 18/01/2009 21:33
Muito Participativo
Usuário desde: 23/07/2008
Localidade:
Mensagens: 92
 Re: Passos sem norte
liliana
de novo o velho mar
por onde vieram meus trisavós
portugueses soares da silva
que contavam histórias do bocage histórico
para meu avô materno
o mar dos açores
de onde vieram outros ancestrais meus
pelo lado paterno
e por onde
seguramente
veio um monteiro
de quem herdei o outro sobrenome
outro grande e fraterno abraço do
paulo monteiro