https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

Palavras Ilícitas

 
Negas-me, o sorriso
O brilho do teu olhar
Ilícitas-me o verbo amar
Que eu queria ligar
No Tempo e no Modo,
Na Pessoa e no Número
Que o prejuízo
Só me fez evitar
E em sentidos afins
Me obrigou a procurar

Calo fundo esse
Ignóbil Verbo Amar
Nego as palavras,
O tempo e o modo
O Número e a pessoa
Desse verbo Amar

Persigo-te ao longe
Num modo distante
Num tempo, sem tempo
Em palavras ilícitas
Em palavras negadas
De ti esquecidas
De mim escondidas
Perdidas num olhar
Que não soube amar

Fora minha, tua alma
O Verbo Amar conjugaria
Num tempo, e num modo
No número e no género
Que se deixasse igualar

Maldito verbo amar
Que não se deixa
Conjugar
Em sentidos afins
Em sentidos a criar
Em palavras ilícitas
Em palavras ternas
Como só tu sabes ser
Meu Velho verbo amar


Juve

 
Autor
juvepp
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1496
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 02/05/2007 10:20  Atualizado: 02/05/2007 10:20
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: Palavras Ilícitas
Querida amiga, penso que ninguém conjugaria tão bem como tu, este teu verbo amar.
Num tempo e num modo
Na pessoa e no numero
Com palavras ilícitas
Escritas no sentimento

Beijo

Enviado por Tópico
Henrique Mendes
Publicado: 02/07/2007 23:51  Atualizado: 02/07/2007 23:51
Participativo
Usuário desde: 01/07/2007
Localidade: Itapecerica / Brasil
Mensagens: 33
 Re: Palavras Ilícitas
Talvez seja isso que todos precisemos, conjugar mais o verbo amar, mesmo num modo distante, num tempo sem tempo...

Interessantíssimo, o seu poema. Parabéns e abraço
HM