https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Saudade : 

Filhinha

 
No jardim onde sempre brincava
Eu lembro de minha filhinha correndo,
Fazendo coisas que tanto gostava!
Eu lembro e de saudades vou morrendo...

Seguem monótonas as horas...E os dias!
Vão-se me as lembranças, por fim,
Tristonhas!...Tão mortas!...Fugidias!
Velhas recordações em nanquim...

Tão bela!...E linda!...Era minha filhinha,
E muito e sempre comigo vivia!
Uma saudade que agora é só minha...

E veio a morte!...E de mim não se apiedou!
E naquela noite calma, tão fria,
Pegou-a no colo, e num abraço, a levou...

(® tanatus – 25/07/2005}
 
Autor
tanatus
Autor
 
Texto
Data
Leituras
724
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 23/01/2009 12:43  Atualizado: 23/01/2009 12:43
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Filhinha
Como seria tão melhor e mais justo que a morte levasse primeiro os pais...
Um poema triste, mas ao mesmo tempo terno, sobre uma saudade que permanece eterna...

Um abraço apertado