https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Góticos : 

Composição

 
Escreve a criança dispersa sobre o altar da inocência,
Numa terra tornada caderno de linhas de fogo
Abertas por dentro da pele onde o sangue se revolve
Com as marés do grito que a garganta não liberta,
Mas que o sangue desenha sobre a tela do chão.

Nos céus desertos onde a névoa planta o seu rumo,
O absoluto dorme
De olhos fechados ao espelho que se compõe no seu corpo.

Cantam na aurora os lamentos dos pássaros moribundos,
Enquanto, em silêncio, os corvos fitam a cruz
Onde a noite se confunde com a palidez dos corpos
E os pregos que sustentam os membros dilacerados
São também eles palavras no cântico da condenação.

Como serenata de inocência estrangulada,
Brota um coro de anjos do labirinto das quimeras
E a terra sangra ao som da sua voz.

Choram os olhos do cego que sente na sua torre
A pulsação dos abismos frementes no amanhecer
E a morte canta nos braços de um soluço adormecido
Onde o rosto do abandono renasce em traços de esfinge
Como num hino ao nada do infinito.


Semper Fidelis...

Carla Ribeiro

 
Autor
Carla Ribeiro
 
Texto
Data
Leituras
904
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 28/07/2009 18:34  Atualizado: 28/07/2009 18:34
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3543
 Re: Composição
Gosto de poemas góticos e o seu está maravilhoso!
beijo

Maria verde

Enviado por Tópico
ROMMA
Publicado: 10/09/2009 14:33  Atualizado: 10/09/2009 14:33
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade:
Mensagens: 2462
 Re: Composição
Um gótico medonho e lindo
apreciei mais ainda, esta parte do fim:

"Choram os olhos do cego que sente na sua torre
A pulsação dos abismos frementes no amanhecer
E a morte canta nos braços de um soluço adormecido
Onde o rosto do abandono renasce em traços de esfinge
Como num hino ao nada do infinito."

Muito bonito!
Fui muito bem...
beijo