https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Odairjsilva

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Odairjsilva

Depois da Copa? A vida continua...[2]

 
O futebol é uma arte
Arte de encantar
De seduzir
De manipular.
Tudo é esquecido durante a copa do mundo
Não existe pobreza
Que possa afastar o brasileiro
De ver a seleção canarinho desfilando em campo.
Ainda mais se o jogo é em casa.
Nem mesmo é preciso trabalhar
Porque a seleção vai jogar
E tudo pode ser resolvido depois.
Mesmo quem não gosta de futebol
Torna-se um expectador.
O verde e amarelo torna-se cores predominante
A beleza do meu País.
Os estádios são belíssimos
Onde desfilam os maiores craques do futebol mundial
Êxtase de narradores a envolver as massas.
Quem não gosta de futebol
Que atire a primeira pedra ou destrua essa paixão.
Brasil, meu brasil brasileiro
Que encanta as multidões
E embala essa paixão.
Como não sensibilizar ao ver os olhos de crianças
Que só querem ver o Brasil ganhar?
Quem dá a mínima para os desvios de dinheiro
Eles aconteceriam de qualquer forma.
Esqueçam as escolas e hospitais
Pelo menos agora,
E vamos torcer pela nossa seleção.
O legado?
Belos estádios espalhados pelo país inteiro
E histórias para se contar durante anos.
Depois da copa?
A vida continua.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Depois da Copa? A vida continua...[2]

Quem pode sobreviver a esse inferno?

 
Esse deserto que assola a alma,
Esse esgotamento da vida espiritual,
Essa descrença no futuro da humanidade.
O congelamento na própria juventude,
A tirania da dor
Que dilacera o sentimento
É maior que a tirania da vaidade...
O isolamento radical
Que é melhor do que o burburinho da multidão.
O desprezo dos homens
Os gritos estridentes das mulheres,
O choro das crianças...
A clarividência da doença
A incerteza do porvir,
O colapso da economia...
O conhecimento que só aceita a amargura
Que não ajuda
Que jugula e faz acontecer
Uma náusea nascida da intolerância
Do desrespeito às instituições.
Quem pode sobreviver a esse inferno?
Quem alçará a voz como atalaia
Na torre mais alta
Contra a mediocridade humana?
Quem poderá se livrar das amarras,
Dos grilhões ideológicos,
Da ação alienante das mídias,
Das redes sociais?
Eis que a voz do poeta-filósofo
Ecoa agora de forma insofismável
E tem o desígnio de esmiuçar as pedras...
Não me calarei!

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Quem pode sobreviver a esse inferno?

Esse seu olhar

 
Perdi-me no tempo de seus olhos
Ao contemplar tamanha beleza
Não sabia como me comportar
Neles não haviam tristeza.
O mistério a envolver
O brilho do seu olhar
Faz a ilusão da vida ir embora
E, a alma ansiosa te desejar.
No seu rosto lindo
Um encanto de sorriso
Tão meigo e faceiro
Que descrevê-lo, nem preciso.
Seu olhar sereno e calmo
É uma mistura de sonho e paixão.
Seu sorriso singelo e terno
Cativa o mais profundo coração.
Sua beleza majestosa
É tema para uma melodia
Que transformo em uma prece
E escrevo essa poesia.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Esse seu olhar

Nessa noite de inverno

 
Senti a brisa tocar meu rosto
Uma sensação de frescor
A invadir minha alma
Depois do silêncio do seu olhar.
Era como se o tempo
Parasse de correr
E todas as coisas ficassem imóveis
A contemplar sua beleza.
Seus olhos brilharam
E deixaram transparecer a felicidade
A alegria do encontro
Na noite singela da esperança.
Suas mãos tremeram
Talvez pela emoção
Que irradiava de seu coração
E a deixava trêmula.
Senti a brisa tocar o meu rosto
E revelar sua presença
Como se o sol fosse sair
Logo após as nuvens.
Meu coração aberto está
Para viver esse amor
Que seus olhos revelam
Nessa noite de inverno.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Nessa noite de inverno

Me veste de amor

 
Eu ando tão apaixonado
Que não consigo esconder
Que a saudade me devora
E nem sei mais o que dizer.
Me veste de amor
Cubra-me com o manto da paixão.
Você me faz sorrir,
Você me faz ver a alegria
Que existe em viver.
Seu sorriso é tão meigo
Seus olhos singelos
Me conduzem ao paraíso.
Eu ando tão apaixonado
Que não consigo esconder esse amor.
Ele salta aos olhos
Não consegue ficar preso ao coração.
Você tem que saber
Que é a razão do meu viver.
Me veste de amor
Deixe-me andar em seus caminhos.
A felicidade está onde você está.
Caminhar com você
É sentir o frescor da manhã perfumada
É ouvir o cantar dos pássaros.
Não há tristeza em seu olhar
Por isso ando tão apaixonado.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Me veste de amor

Cada verso é uma gota de suor

 
Minhas mãos repousam sobre a folha em branco
Minha mente vagueia os espaços infinitos
Buscam seus olhos na imensidão do tempo
E procuram o silêncio.
Quero expressar um sentimento
Que não cabe mais no coração
E dizer-te palavras lindas
Que seja capaz de descrever-te.
Mas, não encontro uma forma
Um jeito de expressar
Porque as palavras não podem
Te descrever da forma que minha mente.
Cada verso é uma gota de suor
Que extrapola os meus poros
Na ânsia de chegar aos seus olhos
E ao seu coração.
Insisto em escrever
O que meu coração deseja
Na esperança que você entenda
O sentimento que a ti dedico.
Olho outra vez para a folha em branco
Gostaria que ela estivesse cheia de palavras
Para que as enviasse
Até onde você está.
O tempo passa e aqui estou eu
Na esperança que seus olhos
Mesmo que por um triz
Possa contemplar os olhos meus.
Minhas mãos repousam sobre a folha em branco
E cada verso é uma gota de suor.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Cada verso é uma gota de suor

Você é mais do que os olhos podem ver

 
As rosas exalam um perfume natural
Que elevam meus pensamentos até o horizonte
Onde contemplo seu olhar.
Sinto uma emoção que domina minha alma
E uma força que me faz te desejar.

Sou a essência de um sentimento
Que me transporta para bem distante
Onde é difícil definir o amor.
Tenho a lembrança de dias frios
Onde você me aqueceu com seu calor.

O brilho intenso que vejo em seus olhos
Apresenta-me a virtude de um sonho
Que busco na minha imaginação.
Saio à procura deles na noite fria
Para que dissipe de mim a escuridão.

Você é a flor singela desse imenso jardim
Que se apresenta diante dos meus olhos
E que contemplo na sinceridade.
Tu és a flor que exala a fragrância
Que trás a minha vida felicidade.

Revelo-te neste poema o imenso amor
Que sai do meu coração
Para que você não me venha a esquecer.
Você é a essência de um amor tão bonito
Que me fez reviver.

Meu amor é todo seu
Pois descobri que você é
Mais do que os olhos podem ver.
Você é o doce mistério da minha vida
E a alegria do meu alvorecer.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Você é mais do que os olhos podem ver

Quero receber teu beijo

 
Nos lindos olhos que tens
Quando brilham ao luar
Nasce o desejo em mim
De para sempre te amar.

No lindo sorriso a desabrochar
De uma boca tão formosa
Surge o anseio de amor
Da minha alma tão fogosa.

Viver sem ver seus lábios
É estar em uma úmida prisão
Quero receber teu beijo gostoso
Para aquecer meu coração.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Quero receber teu beijo

Me rendo a esse amor

 
Meu coração aberto está
Para ouvir o som do amor
Sentir o tocar de suas mãos
A encantar os sonhos meus.
Estou aberto a ouvir-te
E deixar-me levar pelo pensamento
Sentir o seu perfume
E a sua intensa forma de amar.
Eu me rendo a esse amor
Que não sai do meu coração.
Amor que entrego a ti
Em forma de canção.
Que na primavera do tempo
Seus olhos brilhem para mim
E, as flores do jardim,
Revelem a magia suave do amor.
Eu me rendo a esse amor
Porque não vejo outra saída.
Te amar é meu destino
E minha salvação.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Me rendo a esse amor

Não há atalhos para a vitória

 
Estamos em uma caminhada
Por caminhos cheios de espinhos
E precisamos chegar ao final
Para recebermos a vitória.

Mas não há atalhos
Só existe uma solução
Que é andar nos preceitos de Deus
No que determina Sua palavra.

A vitória certa só alcançará
Aqueles que obedecem
Aos mandamentos
E andam nos ensinamentos de Jesus.

Muitos querem ir pelos atalhos
Escolhem caminhos fáceis
Mas esses caminhos
Tem um final de morte.

Creia nos propósitos de Deus
E ande em seus mandamentos
E chegará ao lugar certo
Que Deus desejou para sua vida.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Não há atalhos para a vitória

Gratidão

 
Gratidão
 
Em tudo devemos ser gratos,
Eis um mandamento fundamental
Para uma vida feliz.
A gratidão de quem ama
Não coloca limites
Para os gestos de ternura.
Se existe uma lei universal
Que faz sentido na vida humana
É que a gratidão com amor
Não apenas aquece quem recebe
Mas também reconforta
Quem oferece.
Sou grato por todos os amigos
E pessoas que fazem parte da minha vida.
Mas, agradeço também,
Aqueles que me fizeram
Crescer na vida
Com suas críticas e sugestões.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Gratidão

Escuridão já vi pior

 
Não foi o sonho perturbador que tive
Na noite solitária de inverno
Nem mesmo os olhos ameaçadores
De uma mulher perdidamente apaixonada.
O que tirou a minha paz naquele momento
Foi a saudade cruel de um olhar
Que penetrou a minha alma cansada
Na manhã gélida do tempo.
Eu até quis viver outra vida
E procurei afogar minhas mágoas
Mas, não consegui acordar direito
Do sonho que dilacerava minha mente.
Escuridão já vi pior
Mas nunca tão profunda dessa forma.
Eu podia sentir as garras afiadas da solidão
Arrancando sangue das minhas veias.
Nem chorar adiantava
Então nem procurei derramar lágrimas.
Apenas deixei-me caminhar nas nuvens
E despertar do sono insano da minha juventude.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Escuridão já vi pior

À flor do meu jardim

 
À flor do meu jardim
 
Eu sempre quis poder expressar
De forma simples e verdadeira
O amor que sinto por ti
E que digo sem brincadeira.

Seus olhos sempre me fascinaram
Pois revelam o poder da atração
São eles a fonte da minha inspiração
Que me move a escrever-te essa canção.

Seu sorriso, sempre lindo e contagiante,
Dos meus sonhos é a razão
De caminhar com alegria
Pois ele aquece meu coração.

Você é à flor do meu jardim
Que exala a mais suave fragrância
Que me atiça os desejos
E me acalma com sua elegância.

Uma flor que quero sempre viva
A deslumbrar o meu olhar
Que me entregue o seu perfume
E que saiba me amar.

A ti dedico essa singela poesia
Escrita com todo carinho e amor
Aquela que sempre me fascinou
À minha linda e meiga flor.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
À flor do meu jardim

Sei que existe amor

 
Seus olhos brilham quando encontram os meus
Falam de amor que sentes no coração
Não conseguem disfarçar o sentimento
Que procuras entender com a razão.

Amor que nasceu dentro de nós
E que perdura na eternidade
Que promete um futuro brilhante
Cheio de encanto e felicidade.

Sei que existe amor
Dentro dos nossos corações
Um sentimento que domina nossas vidas
E controla nossas emoções.

Amar-te é um sonho
Do qual não quero acordar
Uma felicidade que pulsa no meu peito
E faz-me com você sonhar.

Porque deixar que o medo sufoque
O sentimento que existe no coração
Se entregue ao amor que a ti ofereço
E venha viver comigo essa paixão.

As lágrimas que de seus olhos escorrestes
Na noite do nosso encontro eterno
Demonstra o mais puro amor
De uma alma que tem sentimento terno.

Não consigo esquecer o sorriso lindo
Que deixas transparecer ao luar
Sorriso que me cativou
E fez por ti me apaixonar.

Espero que entendas esse sentimento
Que enlaça nossa existência
E deixe que o amor nos conduza
A viver essa paixão em toda sua essência.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Sei que existe amor

Mãe...Você mora no meu coração

 
Mãe...

Quantas palavras são ditas
Na intenção de expressar o sentimento
De gratidão por seu amor tão grande
Que me protege em todo momento.

Seus olhos sempre tão sensíveis
Revelam a magia de um amor divinal
Suas mãos a todo o momento incansável
Procuraram me proteger do mal.

Minha alma se alegra nesse dia
Por conhecer esse sublime amor
Que me acompanha desde a gestação
E que, por mim, superaste toda dor.

Quero aqui demonstrar minha gratidão
Por esse carinho a mim tão importante
Pedindo a Deus que a proteja sempre
E suas bênçãos estejam sobre ti nesse instante.

Faltariam palavras para apregoar toda emoção
Em tê-la sempre como anjo protetor
Em sentir suas mãos a me guiar
Pelo caminho desse altivo amor.

Fecho meus olhos e sinto sua face
A contemplar-me deslumbrante
Um sorriso então estampa seu rosto
Pois, és uma mãe radiante.

Se em algum momento te fiz chorar
Venho aqui pedir seu perdão
Não foi minha intenção, deixe-me falar,
Você mora no meu coração.

Poema: Odair

Homenagem a minha mãe que faz aniversário hoje e a todas as mães pelo seu dia.

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Mãe...Você mora no meu coração

O toque de suas mãos

 
Uma sensação maravilhosa
Tomou conta do meu sentimento
Ao sentir outra vez
O toque de suas mãos.
Meu coração palpitou mais forte
E não resisti o desejo
De olhar em seus olhos.
Queria ver o brilho deles
O amor que tenta esconder
Dentro do coração.
O sentimento é revelado
Na plenitude do tempo
Que persiste passar lentamente
Diante de mim
Quando estou longe de você.
Deixo-me voar em meus pensamentos
E encontrar-te nas nuvens
Após o toque de suas mãos.
Como negar o amor
Que está em meu coração?

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com.br
 
O toque de suas mãos

47

 
Eu tenho tanto para agradecer
Que com palavras não sei dizer
A felicidade que é viver.

Quero apenas erguer meu olhar
E com alegria poder expressar
O quanto aprendi a amar.

Uma vida de paz o Senhor me deu
Com muito amor me protegeu
Em seus braços de amor e amizade
Me fez sentir e viver a felicidade
Que preenche o meu coração
Por isso externo aqui minha gratidão!

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

Obs. 47 Primaveras, 17.166 dias!

www.odairpoetacacerense.blogspot.com
 
47

É preciso fechar os olhos

 
Ah se pudesse sentir a leveza do não ser
Do não existir
Do não pensar
Nas mazelas que assolam o nosso tempo
O nosso mundo
As nossas crianças.
É preciso cerrar os ouvidos
Não ouvir as reclamações
As reprimendas
As queixas de pessoas inválidas e tristes
Que não sabem o valor das coisas
Que perdem tempo
E roubam vidas.
É preciso fechar os olhos
Não ver o triste espetáculo
De uma sociedade doentia e cruel
Que caminha a passos largos para a destruição
Do ser
Do humano
Do sagrado
Que é profanado pelas ideologias perversas
De pessoas sem escrúpulos
Sem coração.
Tateio na escuridão como cego
Tentando ouvir os gritos de socorro
De almas vacilantes
Que esperam a salvação
A libertação
De uma época arrasada pela violência
Sem sentido
Sem limites.
Mas
É preciso crer que findará
Um dia
Toda tragédia
Toda angústia desse tempo
Crer
Que haverá paz!

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com
 
É preciso fechar os olhos

Só por hoje

 
Só por hoje
Preciso saber que não vou mais chorar.
Que a vida melhorou
E que, enfim, você retornou.
Só por hoje
Quero acreditar no amor
Que seus olhos insistem em me revelar
E na paixão que revela ao me beijar.
Só por hoje
Quero viver intensamente
A alegria de ter o seu calor
E, nos seus braços, viver esse amor.

Poema: Odair

Odair José

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
Só por hoje

No silêncio do meu sentimento

 
Eu só queria fugir do silêncio do seu olhar
Que me incomodava.
Havia uma inquietação no meu coração
Uma esperança sem sentido
Talvez eu quisesse te abraçar
Para sentir o calor do seu corpo junto ao meu.

A noite estava fria
E um vento suave tocava nossos rostos
Mas, ele trazia consigo lembranças
Que machucava meu coração.
Você me olhava com ternura
Não era amor o que seus olhos deixava transparecer
Era mais parecido com compaixão
Talvez uma incerteza do futuro.
Eu não queria que sentisse isso de mim
Se não pode me amar
Não precisa, também, se preocupar
A vida sempre nos dá novas escolhas para seguir
Novos olhares cruzam a nossa vida
Um novo amor há de aparecer
Assim como o sol brilha depois do inverno.

Deixo-me cair sobre minha dor
No silêncio do meu sentimento
Que já não pode mais resistir a essa solidão
E busca abrigo nas lembranças do seu sorriso.

O porto seguro tão desejado
Depois das tempestades
Não pode ser vislumbrado.
Uma taça de vinho é me oferecida
E eu só sei ficar olhando para você
Na esperança de dançar comigo.
Mas, não mais chance para esse amor
Que eu quisera dedicar-te
Pois, ele só existiu em mim
Como uma miragem no deserto.

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

http://odairpoetacacerense.blogspot.com
 
No silêncio do meu sentimento