https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Diego_Vampire

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Diego_Vampire

Sempre quis achar um lugar para expor poemas e pensamentos ...
Agora eu encontrei

Meia Noite

 
Meia Noite...

A escuridão é mais densa.
Meus pensamentos repletos de ânsia.
Minha voz ecoa estranha.
Ouço vozes me chamando pra saciar o sangue de inocentes.

Meia noite...

Saio às ruas desta cidade imunda.
Atordoado pelas vozes que me chamam.

Meia Noite...

Preciso de sangue.
Minh'alma e meu corpo clamam pelo mesmo.

Meia noite...

Encontro uma jovem donzela.
De beleza singular,
olhar ardente
e corpo sedento.
...

Oh não... meia noite, já se foi.
O rosto da donzela, me esqueci.
Da cidade imunda resta apenas lembranças.
Vozes não ouço mais.

Meia noite, já sei foi.
Os primeiros raios de sol.
Invadem as frestas de meu castelo.
Minha mente em nada consegue pensar.

Adormecido me encontro.
Meia noite espero,
Aquela donzela,
De novo encontrar.
 
Meia Noite

Ser ou Estar

 
Quem está nem sempre é, ou vise versa.
Eu sou mas não estou, eu estou mas não sou.

(...)
 
Ser ou Estar

Maldição da donzela

 
Meia noite
Sou fera noturna
Movida por meus instintos mais selvagens
O vento uivava como jamais uivaste antes
Ecoando como gritos
De quem se encontra ao abismo da morte.

Ânsia,
Desejo insano,
Sede de sangue,
Sua voz me chamava,
Na velocidade de meus pensamentos
Fui mais uma vez ao encontro daquela donzela...

Como brilhava aquela noite
Um olhar doce de garota pura
Mal sabia ela que aquela
Seria sua última noite
Me aproximei
Com ares enfurecidos...

Oh beleza maldita
Não vai me fazer perder a noção do tempo desta vez
Daqui só me vou hoje,
Quando o sangue desta jovem
Tiver saciado

Raios cortaram o céu
Como se anunciassem o fim
Daquela criatura de beleza angelical
Noite sombria como tal
Aquela cidade jamais presenciou

É agora, não há mais o que pensar
Esse é teu destino oh maldita
Ao seu pescoço me atirei como predador faminto
Como imaginei seu sangue era de pureza celestial
Quente, doce, fluente...

...

Uma luz erradia do corpo da donzela
O que está havendo ?
Pareço ter saido de um transe profundo
A beleza da jovem desapareceste do nada
Apenas um vulto em forma de luz predominava

...

A donzela pronunciou em doce tom:
Oh maldita criatura das trevas
Tu salvaste minha alma da escuridão
A muito fui amaldiçoada por um mago
Que me condenou às trevas para sempre
Mas teria eu que ser mordida por um vampiro
Para a maldição poder quebrar
Ingênuo o bastante tu fostes para acreditar
Que minha beleza era verdadeira
Agora um ser mortal tu se tornaste
E eu para a luz me vou
Mas prometo ao inferno ir para lhe agradecer
Com um doce beijo...

...

O vulto vagou para o infinito do céu
Um véu caiu sobre minha face
Um ser imortal não era mais
Na maldição da donzela eu caí
Agora a morte eu temo
Para meu castelo não voltarei
Minha própria sepultura cavei
Agora nas trevas do inferno
Para Sempre descansarei.

__________________________________________________
Está aí o fim de tudo.
Recomendo que leiam meus outros poemas para melhor compreensão deste.

Nesta ordem:

1. Meia Noite
2. Donzela da meia noite
3. Maldição da Donzela
 
Maldição da donzela

Se eu Pudesse Voar

 
"Sem medo, sem dor
Ninguém mais para culpar
Eu irei tentar
Traçar meu próprio destino
Eu aprendo a libertar minha mente
Agora eu preciso me encontrar
Mais uma vez

Se eu pudesse voar
Como o rei do céu
Não poderia tombar nem cair
Eu iria pintar tudo isso
Se eu pudesse voar
Ver o mundo diante dos meus olhos
Não iria tropeçar nem falhar
Eu poderia devastar minha jaula

Eu tenho sonhos por dentro
Eu preciso compreender
Minha fé nasceu
Sem medo do desconhecido
Não mais.

Se eu pudesse voar"...
 
Se eu Pudesse Voar

Maldito Espelho

 
Oh... maldito espelho,
Eu lhe odeio,
Ódio esse que jamais tive,
Por algo ou alguém nessa vida.

Tu que vives a me hipnotizar,
Mostrando-me minha face,
Meu olhar profundo e distante,
De lamentos e pesares.

Oh... quantas vezes já chorei à sua frente,
Quantas vezes conversei contigo,
Na tentativa frustrada de afastar o silêncio,
E amenizar a solidão.

Mas por quê ?
Por que me enganas ?
Oh MALDITO ESPELHO,
Mostra-me quem sou de verdade.

...

Caso contrário, quebrar-lhe-ei,
E minha face para sempre ocultarei.

__________________________________________________
Você por acaso já se fez o seguinte questionamento:
Será minha imagem refletida no espelho pura ilusão ?

(...)
 
Maldito Espelho

Eu sou apenas uma criança ...

 
Eu sou apenas uma criança
E a vida é um pesadelo
Faço do meu quarto
Meu mundo escuro e solitário
Onde ninguém ouve minhas lamúrias
Onde eu acordo só
Tendo por companhia
O som melancólico de meu piano
Meus pensamentos macabros
Vozes que imagino ouvir
Pessoas que gritam meu nome

...

Quando saio desse mundo
Logo volto
Pois percebo
Que o mundo lá fora
É feio e insano
Se me perguntam por que vivo nesse mundo
Eu digo:
No meu mundo não há diferenças
Apenas a escuridão predomina.

__________________________________________________
Se me tranco no meu quarto
E não quero mais sair
É apenas por estar cansado das ilusões desse mundo
 
Eu sou apenas uma criança ...

Donzela da meia noite

 
Meia noite...
Aquela donzela
da noite passada
esperava encontrar.

Magia da meia noite...
Me senti guiado por sua voz
Meu coração estremecia no peito
Sua presença, mais forte se tornava
Oh donzela o que tens que me deixa assim?
Jamais senti algo similar por outro ser mortal...

O vento soprou mais forte
Meus instintos de vampiro
Não me enganavam
Lá estava a donzela,
Sua beleza ofuscava
A escuridão mórbida
Da noite...

O vento para de soprar
Um silêncio macabro
Caiu por toda cidade
Me vi estagnado
Diante da beleza daquela jovem
Quando me dei conta...

Não!
O findar da noite se aproximava
Como pode passar tão rápido?
Terá essa donzela alguma maldição?
Oh maldita...
Agora sou forçado
A voltar para solidão de meu castelo.

Mais uma noite esperarei
Para seu sangue poder saciar
Prometo não mais me deixar lavar
Por sua beleza maldita...

__________________________________________________

Eu aconselho que leiam meu outro poema "Meia noite" para uma melhor compreensão deste "Donzela da meia noite"

Obrigado
 
Donzela da meia noite

Ignorância

 
O maior ignorante é aquele que não reconhece seus erros, e que nunca se dispõe a aprender, e ouvir pessoas mais experientes.
(...)
 
Ignorância

Alguém Que Ama

 
Um dia sem você
Um dia vazio,
Pensamentos apenas,
Para tentar afastar a dor
Da distância.

De que adianta o sol?
Se meu caminho se ilumina
Apenas quando lhe tenho a meu lado
Estrelas não passam de estrelas
Quando tu não deitas junto a mim
Para contemplá-las.

Eu apenas sou um qualquer,
Um dia sem noite
Pássaro solitário
Tempo, tempo... espaço vago
Trajetória não percorrida.

Mas quando lhe tenho...
Sou pássaro que voa alto
Caminho repleto de beleza
Noites prateadas, cálidas.

Sou poeta inspirado
Melodia... fantasia
Alguém que ama,
Magia infinita.

__________________________________________________

Hum... não sei se o título se adequou ao poema,
às vezes eu faço poemas que nunca consigo dar um título cabível, estou aberto a sugestões de títulos
 
Alguém Que Ama

By: Diego J. Davi