https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de armando_oshiro

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de armando_oshiro

a flor - soneto - Aquazulis - Luís R Santos - Lisboa - Portugal

 
a flor - soneto - Aquazulis - Luís R Santos - Lisboa - Portugal
 
 
~.~.~

a flor

a flor que ao meu lábio a roçar se atreve
deixa rastros de singular perfume,
que dá fúrias de mordiscar-lhe o lume
de um rubro, ora grave, ora leve.

sabe ao seu beijo, que não provei ainda,
e se provei, foi em sonhos molhados
pela chuva qu'entorna dos telhados
da vontade, tirana, que não finda.

seja lírio, dália, rosa ou açucena
toda a boca por ela se envenena,
toda a boca deve tributo à fome.

a flor, esse cálice de sangue louco
que, por muito que o sorva, sabe a pouco,
e, pouco a pouco, é ela que me consome!

Aquazulis
Luís R Santos
Lisboa - Portugal
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/5636319

obrigado Aquazulis.
estou certo que podes receber essa minha mensagem em vida. agradeço pelo lirismo de seus sonetos e sua generosidade.
http://interludioepoesias.blogspot.co ... azulis-luis-r-santos.html - domingo, 29 de maio de 2016

~.~.~
Site Recanto das Letras
Luís R Santos
enviado em 15/05/2016
Código do Texto: T5636319
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/5636319
~.~.~
Dulce Pontes - La Bohème [Giacomo Puccini]
DULCE PONTES
"MOMENTOS"
20 anos de carreira
http://www.dulcepontes.net/
 
a flor - soneto - Aquazulis - Luís R Santos - Lisboa - Portugal

a mulher passa na alvura

 
a mulher passa na alvura
 
 
a mulher passa na alvura

e venha à luz, raios de sol
transmutando faces à lua
teu corpo, o instante olhar arenoso
suspense sem ar, sem luz e brilha

e entre a vaia da ventania
a mulher passa na alvura da veste
um cúmplice vento levante-lhe a saia
é inútil tentar mover-me

e o tempo foge com esguia
entre suas pernas de estátua
ágeis, finas, o prazer que assassina
embebidas com as suas mãos vaidosas

e a chuva tarda em reter tua doçura
a água para a minha memória seca
as realidades exaustas de ontens
pelo céu, um apelo ao teu olhar distante

e o sono pesado e o peso da vida
um olhar apenas para despertar
nascer uma segunda e única vez
senão as ruas, nunca mais irei te ver

e nunca mais virá um por do sol
para contemplar um reencontro
a fantasiar um corpo que mais não existe
que de mim nada sabes e nada sei de ti

e a mulher que eu teria amado
até parece que me adivinhastes
para que me sejas um nunca talvez
e não revejamos nós na eternidade

"não importa o que a solidão fez de você, mas o que você faz com o que a solidão fez de você". (Sartreanas)

http://interludioepoesias.blogspot.co ... lher-passa-na-alvura.html
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/5513664

imagem:
19th century Art from Classicism to Romanticism
SALM PALACE
http://www.ngprague.cz/en/objekt-detail/salm-palace/
[ http://4.bp.blogspot.com/-XXKrZjcvkhE ... fba513b65f00473386638.jpg ]
220th Anniversary of the National Gallery in Prague
http://www.ngprague.cz/en/
~.~.~
música:
Boyce Avenue - A Thousand Years
http://www.boyceavenue.com/
 
a mulher passa na alvura

um dia a gente aprende que só se pode amar no outro

 
um dia a gente aprende que só se pode amar no outro
 
 
~.~.~
um dia a gente aprende que só se pode amar no outro

um dia a gente aprende que amar vale a vida que somos e o mundo com amor é maravilhoso.

um dia a gente aprende que saciar a sede é beber um copo com água às pressas e a sede se satisfaz inodora, insípida e incolor.

um dia a gente aprende que saciar o amor, é saborear as nuances nos pequenos detalhes, no desvendar dos aromas, nas variantes das cores de um único e raro vinho, de um único e raro amor.

um dia a gente aprende a intimidade no olhar, no cintilar do brilho das pupilas dilatadas.
a emoção revelar-se da cumplicidade de sermos íntimos de um único estarmos nus de vaidades e transpirando na pele um nobre sentimento.

um dia a gente aprende que o medo de amar é ser duplamente infeliz. é sermos e condenarmos no outro à infelicidade de não poder amar o outro em vida e não poder ser amada pelo outro amor. e que só se aprende a amar quando o amor é correspondido.

um dia a gente aprende que adorar exige amor, devoção, honra e respeito em todas as aceitações das perfeitas imperfeições do outro. o amar aceita e valoriza todos os sinais do tempo, do alerta das rugas e das manchas de sol.

um dia a gente aprende a curvar-se com reverência e dedicar-se com apreço num beijo nos pés da única amada. e que por ser a única amada, se reconhecerá em ser a única majestade de um amor.

um dia a gente aprende que a realidade é o que somos e pelo que valemos ser diante de um raro amor. ao entregarmos nossos corpos um ao outro, é saber que tanto um e o outro, devolveremos nossos corpos à vida. e daremos graças pela vida que nos consagrou com amor.

um dia a gente aprende que amar-se é o amor no outro e que o mundo sempre foi maravilhoso.

um dia a gente aprende que a vida finda e, das mil variantes do amor, só amar nos eterniza e tudo que é efêmero passa.

um dia a gente aprende a amar-se um no outro para sermos felizes. muito além de um estado de espírito, sem amar-se no outro não se está permitindo abrir-se à felicidade.

um dia a gente aprende que só se pode amar no outro para ser amado, para que o outro ser nos ensine o que é o amor. e que ninguém se ama, mas tem uma boa ideia de si, pois o amor é o sentimento que se transfere e acontece no outro e quando o outro tem amor por ti.

um dia a gente aprende, com o tempo de vida, a se eternizar no amor. que pior que o medo de morrer, é ter medo de amar, é ter medo de viver e não viver o amor. só se morre mil vezes quem não se viveu num amor. mas, se amas que seja num único e raro, que seja na plenitude de um amor verdadeiro.

um dia a gente aprende, que pior que morrer, é não viver, é não ter aprendido a amar-se no outro em vida. pois ninguém morre de amor e, pelo contrário, vive-se num amor.
ter medo é não aprender a viver, é não aprender a amar e é não viver a vida com amor.

um dia a gente aprende que amar nunca poderá ser tarde demais.
~.~.~
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/5721923
http://interludioepoesias.blogspot.co ... e-que-vai-poder-amar.html

música:
https://youtu.be/paTmA296g90
♫ Quando Fui Chuva♫ Maria Gadú & Luis Kiari♥

Maria Gadú
http://mariagadu.net/
Pra Ouvir - Agenda/Contato - Juntin - Pra Ver

LUIS KIARI
http://luiskiari.com.br/
SOBRE MÍDIAS FOTOS TRÊS MÚSICAS VÍDEOS AGENDA BLOG CONTATO
https://youtu.be/paTmA296g90
~.~.~
imagem:
"Enquanto houver um louco, um poeta e um amante haverá sonho, amor e fantasia.
E enquanto houver sonho, amor e fantasia, haverá esperança." William Shakespeare
 
um dia a gente aprende que só se pode amar no outro

Ame-se! Você vai precisar de seu amor

 
Ame-se! Você vai precisar de seu amor
 
 
Ame-se, você vai do precisar do seu amor.
"Porque a sociedade trocou a presença pelo virtual,
a amizade pela network,
a filosofia pela ciência,
o sexo pela performance,
a experiência banal pelo consumo,
o amor pela relação funcional. [Jorge Miklos]"

Ame-se, você vai precisar do seu amor.
Compreenda-se nas formas do seu sentir, do seu pensar e do seu agir no mundo.
Não se distraia com a falta, com o vazio e o nada.
Mas, o nada como a negação da existência da própria vida.
Não o nada, simples antônimo de tudo.

O pobre não sonha, ele fantasia.
Não faça da existência uma fantasia
Toda ideologia trás em seu bojo uma mentira
Não sou pobre, só não tenho dinheiro.
Quem disse que tenho que ter dinheiro para ser o que sou?

A vida é feita de escolhas
A cada escolha uma angústia
Tudo muda pelo tempo e tudo passa
Do Ser ou não ser?
Para Ser ou ter?
A escolha será ainda mais singular pelo tempo

Somente o amor haverá para quem sobreviver
Na tsunami da ansiedade e da depressão silenciosa
Que o coração das mães não sofram
Para poucos este conselho fará sentido,
enquanto os jovens serão os mais vitimados

Ame-se! Você vai precisar do seu amor
Amar-se é aceitar a si mesmo sem o medo e a insegurança
Somente aquele que se ama é capaz de amar ao outro
Somente aquele que se cura é capaz de curar ao outro

O bem-estar faz morada na harmonia entre os extremos
Ciente que para a dor qualquer analgésico serve
Para o sofrimento somente as palavras.
É com as palavras que se faz o amor
Somente aquele que se ama é capaz de amar o outro

Ama-se! Você vai precisar do seu amor próprio
Tem pessoas que só querem ser desejadas
e desejam para serem desejadas
Tem pessoas que só querem gostar do teu melhor
É bom saber que gostar é diferente de amar
Gostar é ter prazer.
Gostar da sua aparência, do corpo sarado, do seu bom humor,
das suas posses, do seu status social.

O gostar sacia, como o prazer sacia
e muda o gostar de outros objetos e outros corpos.
Quando os que apenas te gostam
se encontrarem com seu lado oculto da sombra e se espantam
te evitam, te rejeitam e te desprezam, te humilham em total desrespeito.

Acontece depois do sexo
e é pior quando a imagem no espelho é mais importante
A performance sexual no espelho
é mais importante que a intimidade
Quem não te amar, quando estiveres no seu pior
e, nem você estará se amando
Então, saberás que gostar é o prazer,
o prazer que sempre muda de endereços
e de consumo de corpos e objetos.

O amor é admirar as tuas nobres qualidades
e te amar nos teus piores defeitos.
É maravilhoso quando você sorri
e saber que o motivo do seu sorriso sou eu.

Antes de amar você, eu me amo
Somente aquele que se ama é capaz de amar o outro.
O pobre não sonha, ele fantasia.
Não sobreviva na fantasia
Quem sonha constrói o seu sonho todo dia
Pouco a pouco, dia a dia, no dia de hoje
Sem a ansiedade que um futuro mutável
Até lá tudo pode mudar, sejas feliz no hoje
Tudo muda e "O futuro a Deus pertence"

"Vanitas vanitatum et omnia Vanitas" (Eclesiastes)
Vaidade, vaidade, tudo é vaidade.
A vaidade é o prazer de se exibir aos outros
Todo prazer causa um vício
A vaidade é o vício dos vícios

Do "Ser ou não ser" para o "Ser ou ter?"
Serei sempre o que sou em mudança, do que sou e do meu vir-a-ser
Independente dos objetos e do patrimônio que tenha.
A escolha será ainda mais singular na passagem do tempo.

Somente o amor haverá para libertar aos que sobreviverem.
A tsunami da ansiedade e da depressão silenciosa já acontece.
Que o coração das mães não sofram.
Para os poucos este conselho fará sentido.
Enquanto os jovens serão os mais vitimados.

Toda ideologia trás em seu bojo uma mentira.
Não importa se a ideologia compreendas
Quando se pratica sem saber o falso e a mentira
O falso "amor romântico" que te faz dependente e submisso.
Na mentira da ideologia patriarcal do século passado XX

Não sou pobre, só não tenho dinheiro
Quem disse que tenho que Ter dinheiro para Ser o que Sou?
Ter o ser escravo na consumolatria
O dinheiro é a recompensa pelas suas qualidades aplicadas do seu conhecimento
Aquele que não te permite evoluir te condena a submissão e a dependência
A vida é feita de escolhas
A cada escolha uma angústia
Tudo na existência muda e tudo sempre passará

Ame-se!
As pessoas de baixa auto-estima fazem más escolhas
Elas não amam de si mesmas
Não se permitem dar o bom valor que merecem
Aqueles que se amam são livres do medo e da insegurança

Então: Ame-se!
Você vai precisar do seu amor.
Amar-se é aceitar a si mesmo sem o medo e a insegurança.
Sem a ansiedade que angustia
Somente aquele que se ama é capaz de amar ao outro.
Somente aquele que se cura é capaz de curar ao outro.
Ame-se! Você vai precisar do seu amor.

http://interludioepoesias.blogspot.co ... uiza-possi-e-oswaldo.html
~.~.~
"Amar é dar o que não se tem, a quem não quer." Jacques Lacan
"Você amava só as minhas flores e quando o outono chegou, você não soube o que fazer com as minhas raízes" - Caio Fernando Abreu
"Seja qual for o caminho que eu escolher, um poeta já passou por ele antes de mim."
(Sigmund Freud)

imagem: Vladimir Maiakóvski
https://4.bp.blogspot.com/-90aFgSeYE14 ... do_alias_onde_lj2oor2.jpg
música: "A Lista" - Luiza Possi e Oswaldo Montenegro [por Oswaldo Montenegro]
Website Oficial - http://www.oswaldomontenegro.com.br/
youtube: https://www.youtube.com/channel/UCYbe5B10vFkqmpWIhSHWaAA
 
Ame-se! Você vai precisar de seu amor

sabe teu coração em profundo silêncio

 
sabe teu coração em profundo silêncio
 
 
sabe teu coração em profundo silêncio

se fossem embora os dias
nos adoráveis momentos de ternura
caminhos d'água pelas terras
a nossa cumplicidade entre o ar e o fogo
no doce amar das noites de clarim

não sei o que seria da chuva
da brevidade afoita nas peles
o amor umedecido pelos poros
na inexorável sedução das marés
e a paixão solta nos mistérios

não deixarás de ser saudade
uma esperança de todo dia
o colher no paraíso a tua flor
num desejoso anoitecer
tão sublime és na felicidade

quando se forem no infinito
o que és, a minha memória
apenas as palavras de melancolia
restarão sobre o finito a nostalgia
sem ti, memória, sou apenas o nada

tua alma triste que nunca soube
do meu amanhã impossível de coragem
paira na nuvem o desejo de chuva
desejo imprescindível de um beijo
são os róseos lábios da tua cumplicidade

as lágrimas choram dos desertos
gotas de um cristal sem brilho
a tristeza insiste serena sobre a vida
emociona o coração a contemplar-te
são nas marés as vagas melancolias

cedo viestes de onde fui tão tarde
e a chuva insiste num canto brando
tarde cheguei d'onde tu não viestes
e meu desatino num silencioso pranto
o nascer tardio de um sentimento

o amor desperta em triunfo de sangue
eis-me nu, nascido da esperança
uma vida num entardecer constante
eis-me nu, morto entre palavras abertas
sobre o corpo paixões sem noites e auroras

e a chuva escorre pelo corpo
desvenda os teus segredos e mistérios
molham nos teus lábios a aragem
deslizam teu sabor a água pela terra
há um segredo de chuva em teu olhar

no teu amar há o verão imprescindível
nos caminhos das estações em teu corpo
quando tu floresces a felicidade
e no outono da melancolia tu aguardas
a brancura e fria neve dos invernos

sabe teu coração em profundo silêncio
quanto nos falta um abraço de ternura
na morte há um amor desesperado
murmúrios atormentados de segredos
e em teu segredo de amor agora sei

há um segredo de adeus em todo amor

"não se distraia desejando ou rejeitando o feio ou o bonito, o atraente ou o repugnante. sejas o melhor de si aos outros, pois irás conviver com aqueles que te merecem."

http://interludioepoesias.blogspot.co ... nato-astor-piazzolla.html
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/5430736

~.~.~
música:
https://youtu.be/Vxc_1qNEe38
Oblivion Project Debut Recordind - http://oblivionproject.com/
THE OBLIVION PROJECT is dedicated to the performance of the music of Astor Piazzolla. Over the past decade we have appeared in concert halls and jazz clubs for very enthusiastic audiences.
https://www.youtube.com/channel/UCNWhrAKh3qRkoSIDdwqpACQ
imagem:
ALMEIDA JÚNIOR
Título da Obra: Saudade, 1899
http://www.pinacoteca.org.br/pinacote ... &c=acervo&letra=A&cd=2335
Data de Aquisição: 1982
Técnicas e Dimensões: óleo sobre tela, 197 X 101
Procedência: Doação, de Leonor Mendes de Barros
 
sabe teu coração em profundo silêncio

serás sempre o que te quero

 
serás sempre o que te quero
 
 
~.~.~

serás sempre o que te quero

as palavras que nascem da vida
como soubessem do eterno
nos misturam numa trama
dos teus versos trançam laços
num segredo do tempo

esse temor de amar que se agiganta
nos faz causa e mistério
sem nos ver na profunda escuridão
o amor mergulha
se divide em nossas vidas

as almas tocam entre o sermos
trocam os corpos na existência
nos faz onde o desejo sussurra
a causa dos arrepios
se derrama incontida sobre o sonho

valha-me ser em teus caminhos
os caminhos que te encontram
onde ecoam minhas preces
entre a febre e o frio
enquanto restar-me os arrepios

restar-me ser mesmo não tendo
mesmo enquanto não me queiras
serás sempre o que te quero
e por querer-te mais ainda
mesmo quando não te queiras

mais ainda vou querer-te
serás sempre o que te quero

http://interludioepoesias.blogspot.co ... empre-o-que-te-quero.html
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/5299673

Mia Couto, pseudónimo de António Emílio Leite Couto
Escritor, biólogo, jornalista
Beira, Moçambique
Official Website
http://www.miacouto.org/

A Demora

O amor nos condena:
demoras
mesmo quando chegas antes.
Porque não é no tempo que eu te espero.

Espero-te antes de haver vida
e és tu quem faz nascer os dias.
[....]
16 Textos - 19 Poemas - 359 Citações
http://www.citador.pt/poemas/a-demora-mia-couto
~.~.~
imagem: "Quem fabrica armas, precisa fabricar inimigos." Mia Couto.
~.~.~
música: Shania Twain - From This Moment On (Traduzida)
http://www.shaniatwain.com/
 
serás sempre o que te quero

Naquela tarde em que não roubei um beijo teu

 
Naquela tarde em que não roubei um beijo teu
 
 
~.~.~
Naquela tarde em que não roubei um beijo teu

Quando partes de mim se unem sempre numa lembrança
Nos olhos, a tua imagem se forma em vida abraçada
E no silêncio, me caem as palavras desnudas,
Despetala-se o beijo entre o mudo e o nada

Quando partes de mim estão para sempre em saudade
O verbo invertido, ressoa em cada eco a sílaba acovardada
E na tua ausência, que me queimo em não velar-te à verdade
Inflamam-se, aos desejos, na tua chama nunca apagada

Sempre ando em partes de mim e lamento num sonho
A reanimação tropeçante de uma noite em casmurros
E na poesia, que os versos soltam as feras do meu peito
Sucumbem-se nas ilógicas razões d'um reles pensamento

Quando partes de mim, sempre, queixam na solidão
A guisa leve, no abrasar do meu corpo tedioso
E a lágrima, que molha a face em prece e malva
Desdenham-se tons fadados sem qualquer compaixão

Mas naquela tarde, quimera e ansiosamente,
Em que roubasse um beijo teu
Não queixasse à saudade
Tampouco te procurasse num sonho

Engaste inteira, diamantino, na retidão arrependida dos olhos
No único instante de ser,
Naquela tarde em que não roubei um beijo teu,
Roubasse um beijo de amor por inteiro

http://interludioepoesias.blogspot.co ... em-que-nao-roubei-um.html

~.~.~
imagem:
Apollo and Daphne - criação[1622–1625] mármore - barroco italiano, Basílica de São Pedro - Roma. - Gian Lorenzo Bernini - [07/12/1598, Nápoles, Itália - 28/11/1680, Roma, Itália]. http://pt.wikipedia.org/wiki/Gian_Lorenzo_Bernini
http://www.wga.hu/frames-e.html?/html ... ulptur/1620/apollo_d.html
O poder da arte Bernini - Vimeo https://vimeo.com/61768791
~.~.~
música:
Andrea Bocelli - Vivo per lei -[ Andrea Bocelli and Heather Headley]
Official Website: http://www.andreabocelli.com
Andrea Bocelli and Heather Headley: Vivo per lei. Live From Teatro Del Silenzio, Italy / 2007[AndreaBocelliVEVO]
 
Naquela tarde em que não roubei um beijo teu

o amor só tem um nome

 
o amor só tem um nome
 
 
enquando me amo em ti
o amor só tem um nome
breves à vida saberemos
e ainda te amas em mim

em sopro é que vivemos
futura vida que desejava
o amor só tem um nome
tu à mim geravas em tua

passo as veredas que sou
deixa viver algo em mim
o amor só tem um nome
diante meu amor da vida

deixas seu coração viver
o amor só tem um nome
você esperavas em mim
só nós libertar-me em ti

envolves que eu te amo
suficientes que nos ame
e todo amor é recíproco,
o amor só sem um nome

correspondidos és nome
o amor só tem um nome
se mesmo quando não é
só há amor por um nome

a alguém que não o quer
amar é dar e o não tenho
o que nunca se tem a dar
o amor só tem um nome

se não for correspondido
só há amor por um nome
há todo amor é reciproco
o amor só tem um nome

no amor correspondidos
se quando já não é amor
só há um amor reciproco
és quando não me amas

não tenho nada para dar
qual tu nada me queiras
enquanto amar em mim
o amor só tem um nome

o amor só tem um nome
o passado que nos fugiu
quando não tem o nome
no amor, presente é seu

o amor só tem um nome

se ainda assim te amas
quando me amo em ti
mesmo que não te ames
o que me amo em ti nada floresce
por amar-se apenas em si
amarei o que em ti me amo
que meu amor em ti te fortaleça
não sofras, farás sofrer o meu amor
se amas e me amarei com seu amor
não morrei no amor que em ti recebo

ah! se eu tivesse o teu amor em mim
ainda assim, é amor correspondido
meu amor só tem um nome
está em ti o amor que eu me amo
então se guardas o meu amor

tudo que sou é o meu amor
como é bom sofrer o amor
que se alarga e se vive intenso
sou o amor nele contido
se transborda, se faz líquido
o amor que o amor se bebe
ser em ti o meu amor contido
o amor que não se pede

negas se o amor não se cabes
por pouco ou muito amor
bebes o nada e o serás
não sei se tu se amas ou se gostas
tens só prazer consigo mesma
a negação de todo amor
o amor só tem um nome
o tempo a tudo devora
ame-se, só aquela que se ama
és capaz de se amar no outro
ai, de mim senão se amas
Serás o meu vazio de amor
o amor, só tem um nome
~.~.~
“Só há amor por um nome, mesmo quando não é correspondido”
Jacques Lacan
http://interludioepoesias.blogspot.co ... avras-que-nos-beijam.html

Alexandre O'Neill - O Poeta
Alexandre Manuel Vahia de Castro O'Neill de Bulhões foi um importante poeta do movimento surrealista português. Era descendente de irlandeses. Tem uma biblioteca com o seu nome em Constância. [19/12/1924 - 21/08/1986, Lisboa, Portugal]
Livros: Poesias completas
Feira cabisbaixa: poemas 1965
Uma coisa em forma de assim 1980
A ampola miraculosa: romance 1948
De ombro na ombreira 1969
Anos 70: poemas dispersos Já cá não está quem falou
No reino da Dinamarca 1958
Lisboa, Cidade Triste e Alegre
Alexandre O'Neill: passo tudo pela refinadora
Tomai lá do O'Neill
A relíquia, de Eça de Queirós
teatro 2002 Made in Portugal. Testo originale a fronte 1978
Filmes: Terra sem Pão
http://www.poetryinternationalweb.net/pi/site/poet/item/4641
música:
Mariza - Há Palavras que Nos Beijam [Alexandre O'Neill, in 'No Reino da Dinamarca'] feat Jaques Morelenbaum (RJ) é violoncelista, arranjador, maestro, produtor musical e compositor brasileiro.
http://www.citador.pt/poemas/ha-palav ... s-beijam-alexandre-oneill
Website Mariza
https://www.mariza.com/
imagem:
Cuidado: O que algumas pessoas fazem por amor é incrível. Mas. o que outras fazem por interesse é inacreditável.
 
o amor só tem um nome

Quando o dia, no amanhã, for despedida

 
Quando o dia, no amanhã, for despedida
 
 
De um som que se aproxima nas calçadas
Meus tremores dos teus passos pelo corpo
O sonho em seduzido vento em teu perfume
Suavemente a tua cumplicidade me apaixona

Quando a noite abraça o dia pelas ruas
Nem tanto a lua brilha quando passas
Brilha a vida entre tantas luzes e te faz dia
Como um sol que se ilumina nos meus olhos

Se abro o peito ao libertar os meus delírios
Me balanço no teu corpo em que caminhas
O quê me faço em afagar nos teus cabelos?
Onde levas a sorte de receber o teu sorriso?

Se tua vida venha a cuidar-se feito a minha
Num abandono entre o corpo um no outro
O beijo em que nem a distância se eternize
Seriamos dois em nós e não nos perderíamos

Pudera se essas ruas não tivessem o fim
Teria a esperança do teu olhar do infinito
Quem dera o teu lenço distraído nas calçadas
Acalmasse a tua lembrança no amanhã

Quando o dia, no amanhã, for despedida
Saberei de ti num pesar por mais um dia
Buscarei num abraço que te guarda a noite
Numa das ruas me encontro na tua esperança

--- Talvez, no amanhã, possamos conversar sobre a vida e os seus amores ---
http://interludioepoesias.blogspot.com.br/2015/03/httpsyoutu.html

música:
Chiara Civello - Problemi[ChiaraCivelloVEVO] Chiara Civello/ Ana Carolina/ Dudu Falcão
Regia di MARCO SALOM - Casa di produzione ANGELFILM Music video by Chiara Civello performing Problemi. (C) 2012 Intersuoni Srl
http://www.chiaracivello.com/web/
~.~.~
imagem: Belleza Pompeiana - John William Godward (British, 1861-1922)
http://www.johnwilliamgodward.org/
John William Godward foi um pintor inglês do final do período Pré-rafaelita. [09 de agosto de 1861, Wimbledon, Londres, Reino Unido - 13 de dezembro de 1922, Londres, Reino Unido] http://en.wikipedia.org/wiki/John_William_Godward
 
Quando o dia, no amanhã, for despedida

A tudo a gente se acostuma

 
A tudo a gente se acostuma
 
 
A tudo a gente se acostuma
e assim,
de tanto se acostumar a tudo,
se acostuma a não sentir até a própria falta
se acostuma em não ser capaz de se separar,
se acostuma a tudo que é ruim para a própria vida.

A gente se acostuma ao pior pelos ganhos secundários,
se acostuma perdendo o principal.
A gente se acostuma com o podre,
com o mal cheiro dos rios,
com o irrespirável ar poluído,
com as ruas sujas,
com o lixo solto,
com as empresas podres,
com o caráter podre das pessoas.

E assim,
vamos nos acostumando com o próprio nojo,
a fazer sexo com quem não ama,
a não ser mais nós mesmos e a ser cópia dos outros.
A gente se acostuma com a ignorância de nós mesmos,
se ignorando das podridões das próprias vidas.

A gente se acostuma com o mal costume do sofrimento e,
a mentir para nós mesmos numa casa limpa,
nos agredindo a nós mesmos e,
a nós mesmos sem nos amar,
nos apodrecendo em vida.

http://interludioepoesias.blogspot.co ... nte-tudo-se-acostuma.html

música:
All by Myself - EricCarmnVEVO - Buy The Essential Eric Carmen
Web Site Official
http://www.ericcarmen.com/
The Essential Eric Carmen features the biggest hits and best-loved songs from Eric Carmen! Each 2-CD package features classic hits and signature songs, plus full liner notes and photos for the complete experience. Includes 'Tonight,' 'Hungry Eyes,' 'Go All the Way,' 'Let's Pretend' and more.
imagem:
"Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta". C.G.Jung
 
A tudo a gente se acostuma

entre o meu silêncio e a tua alegria

 
entre o meu silêncio e a tua alegria
 
 
entre o meu silêncio e a tua alegria

nunca mais foi possível ser apenas um
ser em teu brando olhar de maestria
a minha incompletude na tua existência
és plena, sou partes, somos o sentimento

partes de nós, dois contidos na saudade
entre o meu grito de silêncio e a tua alegria
todos os instantes estão a nossa procura
e sem razão do mesmo teto sobre as cabeças

não há só um lugar para o que somos
o único lar dos que já moram um no outro
nem mais fronteiras na maciez da tua pele
lá no fundo, os corações correm nas veias

se vens nas palavras o céu de tua boca
lume e aurora, a nudez dos teus lábios
e em afagos tão mágicos me confortam
nos teus dedos, meu caminho do prazer

destino sou, tão pouco em muito ensejo
recaio manso, ininterrupto, dentro de ti
concedes teu sempre aconchego amoroso
em trajes de seda, vestida de liberdade

e resplandece pura em teu peito santo
sou tanto pecado, queimo vivo num raio
e a minh'alma te respira, livre dos dias
dos fantasmas e sobrevivo no teu abraço

faz-me tua água banhando o teu corpo
e o serei por inteiro e o cansaço me sangre
faz-me em teu mar em tuas rochas cálidas
em teus cabelos antes que a morte me renda

e tudo será amor, e para que seja por inteiro
aquieto-me aqui, dentro do teu peito calado
guardando os segredos para as tuas horas
e quando você voltar e a saudade restar só

"É melhor ser rei de teu silêncio do que escravo de tuas palavras..." [William Shakespeare]

http://interludioepoesias.blogspot.co ... lencio-e-tua-alegria.html
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/5556605

~.~.~

imagem:
Gerome-Diogenes Diógenes no barril, cercado por cães
pintura de Jean-Léon Gérôme, de 1860
The Walters Art Museum
Centre Street: Fourth Floor: From Rye to Raphael, the Walters Story
http://art.thewalters.org/detail/31957/diogenes/
~.~.~
música: https://youtu.be/NAWQxIq-9-Q
Lara Fabian - Adagio - LaraFabianVEVO]
Adagio [Tomaso Giovanni Albinoni(08/06/1671-17/01/1751, Veneza, Itália)]
Lara Fabian, nome artístico de Lara Sophie Katy Crokaert. Cantora, compositora e letrista belga-canadense de língua francesa.
Lara Fabian - Site officiel - Actualités - http://www.larafabian.com/
 
entre o meu silêncio e a tua alegria

por mais que sejas por um dia

 
por mais que sejas por um dia
 
 
por mais que sejas por um dia

por mais que a imaginação a tenha
e meu tempo de emoção se cale
suportas teu coração magoado
e no meu desejo floresça uma dor

por mais que acredite na sorte
por teu merecer nem tanto
saberás dos meus sonhos que choram
dos perigos que rondam teu pranto

por mais que no entardecer tristonho
te contraias na ausência recebida
a noite traga um vazio apaixonado
num insaciável espinho sem a flor

por mais que a vida contenha
a minha ilusão concebida
no impossível viver sem estar ao teu lado
na tênue luz, enfim, ter-te encontrado

por mais que na esperança venhas
abrir-se no teu coração coroada
nos olhos o beijo apaixonado
não sou nada, se deixar-te viver na dor

por mais que aos pés estranhos
nas mãos a cor seja o rubor
és a minha cor preferida
por aquele que sabe que se faz bonita

por mais que a inanição se espante
ao saber-te enamorada
se soubesses da minh'alma inquieta
encontra-me logo, dirias, antes que outro o faça

por mais que a quente noite venha contigo
junto das outras extremamente frias
sinto em teu corpo que dormes
na mais linda canção és a poesia

por mais que teus sons e ouvidos
sigam os bramidos do mar, o sibilar dos ventos
saberei das tuas estações, as tuas fases de lua
guardo o teu sorriso e nua na tão minha solidão

por mais que sejas a flor por um dia
o verde olhar nas montanhas
a distância dourada nos pertença
o quê fizemos do amor?

os nossos lábios sussurram:
o amor mora um no outro

-.-
"se convives entre os que mentem, diga sempre a verdade. além de dar menos preocupações e eles pensarão que estás mentindo."

~.~.~
http://interludioepoesias.blogspot.co ... que-sejas-por-um-dia.html
~.~.~

https://youtu.be/-rfI_Dxyd3s
HUMAN Soundtrack - Armand Amar - "Human"
The Movie Human - O Filme Humanos
O que nos torna humanos? Será por que amamos, por que brigamos? Por que rimos? Choramos? Nossa curiosidade? A busca pela descoberta?
Saiba mais detalhes sobre o filme, sua criação e muito mais reflexões no
Blog A Vida na Arte do Ser®
https://michaelbruggermusico.wordpress ... nidade-para-a-humanidade/
~.~.~
~.~.~
imagem: Bernardino Mei, Ghismonda com o Coração de Guiscardo - Italian, 1612 - 1676
http://www.the-athenaeum.org/art/full.php?ID=117394
The Athenaeum - Bernardino Mei - Artworks
http://www.the-athenaeum.org/art/list.php?m=a&s=tu&aid=6043
 
por mais que sejas por um dia

Eu tenho um segredo pra te contar

 
Eu tenho um segredo pra te contar
 
 
Convivemos com um dos maiores desafios da modernidade. Todos querem ser ouvidos, todos falam de si mesmos. Convivemos com a carência de sermos, não vistos na aparência, mas sermos escutados nos sentimentos, das nossas filhas da angústia. Na angústia de viver de escolhas, das mesmas escolhas em que me faço o mesmo e em outras escolhas em que vou me mudando em vida.
A filosofia me contou um segredo: A vida é feita de escolhas e toda escolha nos causa uma angústia. A angústia é a mãe de todos os sentimentos que nos conjugam e nos mantém em laços e nos nós, unidos: no amor, na raiva, no ódio...

As escolhas entre a Eva e a Tarsila do Amaral.
A Eva, figura criada na gênesis de uma costela, apenas uma parte pequena de Adão. O casal poderia fazer de tudo no paraíso, a exceção de comer a tentação de uma maçã. Foram julgados, condenados por formação de quadrilha e banidos do paraíso. Tiveram dois filhos, Caim e Abel, em descontrolado ciúme afetivo, um matou o outro. Resumo da história divina: um casal cúmplice e uma quadrilha de ladrões, um filho assassino e um cadáver de um irmão. Assim começou a civilização humana.

A Tarsila, no antropofagismo, negou-se com a divina exacerbação sensual da maçã e para uma finalidade reprodutiva do homem. Em sua arte em Ser, pintando-se a mulher inteira e única. Adão, que só é sêmen, e sem a mulher não se servirá para porra nenhuma e nem para reproduzir-se. O homem na extinção e só se fez Adão depois de ser concebido no ventre da Eva.

Nascer mulher não é uma escolha, mas um ato divino. Escolha é se permitir ser a costela de Adão. Escolha é para que nasça a mulher inteira e única. A mulher quase perfeita e muito além das maçãs. Uma escolha de só ser dois defeitos: A mulher ser única de si e por ela ser irresistívelmente livre.

Eu tenho um segredo pra te contar.
Eu descobri que você é bonita por dentro, que as suas palavras saem bonitas. Que não você desiste de amar, continuará sempre amando, só irá desistir de sofrer.
Eu posso sentir que você é uma mulher madura, que reconhece seu corpo. Conhece as suas dores, sabe da sua pele e, em cada uma das suas cicatrizes, as cicatrizes da tua alma. Que só quem se curou com amor, sabe curar-se em cada uma das suas lembranças.
Como só aquela que se cura, saberá com amor curar o outro.

A mulher madura que sabe onde no seu corpo, ela se guarda nas suas dores e nos seus prazeres. Ela sabe ensinar o homem amado, para aprender com as palavras que se faz amor. Os mistérios onde ele possa senti-la e tocá-la para a dor ou o seu prazer. O seu segredo de mulher madura, que se reconhece nos encantos de ser uma flor e desabrochou dos seus aromas em vida. Não é mais uma jovem, que ainda em botão, está para experimentar a euforia do mundo e para ainda aprender a se saber mulher.

Eu aprendi que viver e errar fazem parte de toda uma vida e errar muda uma vida toda. Mas, viver sem o erro seria involuir no tédio das nossas cavernas pré históricas de Lascaux.

Eu sei que é chato. Mas, eu tenho outra coisa pra te contar.
"Nós vamos morrer, eu morro e você morre."
Então, antes da gente morrer um pro outro, se você souber me ouvir.
Eu quero fazer só um pedido:
nós dois podemos morrer juntos se amando?

Eu tenho o teu segredo pra te contar. Eu descobri que você é tão bonita por dentro. Eu sei que é o meu desejo em ti que eu amo. Mas, é porque eu te amo, eu preciso me amar em ti. Tu és tão perfeita com as tuas imperfeições, que te fazem uma mulher única. Teu amor me ensinará a amar os teus defeitos e a admirar as tuas qualidades. Para quando a imagem de ti, que idealizei, se quebrar em desencanto, saberás que te amarei nos teus piores momentos, para o tempo do aguar para as tuas raízes. Só então, como aquele que te amar na doença, seremos felizes com a tua alegria.
(-.- )

"Ele amava as minhas flores e quando o inverno chegou, não sabia o que fazer com as minhas raízes. Caio F Abreu Poa- RS"
http://interludioepoesias.blogspot.co ... m-29-de-julho-de.html?m=1

Rhythm of our hearts [Salvadore Poe Dibartolo]
Lisa Ekdahl (nascida em 29 de julho de 1971) é uma cantora e cantora sueca de música popular. Ela até agora publicou cerca de 10 álbuns, a maioria deles na língua sueca, mas alguns inteiramente em inglês. Esta música é do álbum "Sings Salvadore Poe". É lançado em 2001. Salvadore Poe é o marido de Ekdahl. A música no álbum é uma mistura de jazz latino, fácil de ouvir e bossa nova.
website
http://lisaekdahl.com/
http://www.radioswissjazz.ch/en/music ... f1e1a28d33ef5fb/biography
~.~.~
imagem: O Pecado Original Adão e Eva no paraíso- Michelangelo
http://milhasapercorrer.blogspot.com. ... ta-em-detalhes-museu.html
 
Eu tenho um segredo pra te contar

nas mil folhas do meu imaginário

 
nas mil folhas do meu imaginário
 
 
~.~.~
nas mil folhas do meu imaginário

diga-me qualquer coisa
o meu querer é a tua voz rouca
a que te desperto no meu invento
nos sussurros que te faz indecifrável

sejas, ainda que eu não saiba, o meu mistério
apenas para que eu saiba
para que eu ainda saiba
o quanto ainda tu me queres

possa ouvir no teu leve respirar
o silêncio que revela no meu olhar
onde no teu corpo em que invento
tudo em tua volta se adormece

faça nascer o teu corpo secreto
porque nele tudo me renasce
nas tuas sonolentas carícias
como te furtasse, eu me entrego

sorrateiramente te construo
na liberdade dos lábios amantes
o instante no meu coração ainda pulsa
na tua primeira nudez em meu peito

e com o desejo inquieto
procuro na distância do teu repouso
percorro os beijos mudos sobre a tua pele
e estremeço ao te esculpir com as mãos

ah! minha desamparada alma
se embriaga no teu voo da pluma
no sabor que alimenta o meu desejo
nos lábios em que te doas embebida

não quero a morte, não quero nada
somente respirar-te à exaustão
encontrar-me nos lábios do teu ventre
e ser tudo que te leve ao breve instante

sou de tudo nos limites do teu corpo
no entrelaçar teus dedos em meus cabelos
no comprimir meu beijo entre tuas ancas
tu és o que me faz renascer das cinzas

por isso te toco e me faço súbito
no impossível esquecer o teu ardor
gravastes na memória o teu gozo
no infinito sopro do meu tempo

por isso te conspiro e me exausto
nos teus gestos que me embriagam
eu te escuto no ar que se desprende
na última gota que recolhes no suspiro

em mim desvendas os segredos da tua carne
sou o humilde desejo que beija os teus pés
és, em teu corpo, quem me recebe por inteiro
pouso em teu peito o nascer como quem ama

e colorimos no céu o sentido das cores
nasce em ti o poente entre os teus seios
para que eu seja o teu desejo de noite
quando se molhas na transparência da água

sei do agora porque te criei em tantas palavras
não era simplesmente por uma noite de insônia
eram as lágrimas que vertiam do teu olhar
reveladas pela tua face no instante do gozo

elas ainda molham as mil folhas do meu imaginário
as mil folhas do meu imaginário

http://interludioepoesias.blogspot.co ... as-do-meu-imaginario.html

~.~.~
Lisa Ekdahl - Blame it on my youth [Jamie Cullum]
LISA EKDAHL
look to your own heart
http://lisaekdahl.com/
imagem:
Arte e Solidão
New York Movie, 1939 by Edward Hopper
A solidão é um tema forte na sua vasta obra.
http://www.edwardhopper.net/newyork-movie.jsp#prettyPhoto
http://www.edwardhopper.net/
 
nas mil folhas do meu imaginário

a beleza era mulher, ainda menina

 
a beleza era mulher, ainda menina
 
 
tanta piedade se peço por uma mulher
de tão perdida se embeleza e se perdeu
já morreu num falso amor, foi pela dor
tudo é dor, é falso amor, morrer em vida

a beleza foi da menina, se perdeu da flor
na mulher, a menina se perdeu do amor
não há como voltar, nem há mais casa
não há mais lar, lá se morava um no outro

não, não há o que houvera por te amar
não há na mesma rua, nem há a menina
não há o que houvera, nem a mesma eu
o que era meu, só meu e se quebrou

meu pai tocava, nem era tanto o amor
minha mãe calava, enquanto só havia dor
de tanto amor, de pai por pais trocava
amas pai, a mulher que hoje te alucina

um coração que pulsa, enquanto sangra
por uma mulher, a dor da piedade venho
da beleza que se perdeu de tão perdida
agora pulsa, repulsa, expulsa e se enoja

nunca mais serão as duas, as mesmas
não mais uma flor, nem mais perfume
nem mais beleza, nunca mais ela será
apenas fez dela um objeto dela mesma

quando olho nos teus olhos, não te vejo
então, você me dói

~.~.~

com o tempo, a tudo a gente se acostuma
a gente se acostuma a não saber quem somos
a gente se perde e não volta mais pra casa
não há mais o lugar de onde a gente veio

não há mais a mesma rua
nem é a mesma casa
lá não se mora mais um no outro
não há mais um lar

nem há a mesma menina
lá nem sou mais eu
me perdi de mim
pelos caminhos

não sei quem sou
agora não dá mais
não tem mais vida
não sei mais voltar

um dia volto pra casa
não sei pra onde
se volto um dia pra mim

~.~.~

a vida não se fantasia,
o sonho que é o sonho verdadeiro,
se constrói um pouco do sonho todo dia
o sonho que se constrói em segredo
no impossível dos apequenados

até que um dia o impossível aconteça na realidade
o impossível é muito grande pra gente pequena
gente pequena fantasia pra você ficar junto

te enclausuram e te sufocam
te diminuem pra você ficar presa
no pequeno tamanho deles
~.~.~
http://interludioepoesias.blogspot.com.br/2017/08/blog-post.html

música:
Ivete Sangalo e Flavio Venturini - Todo Azul do Mar e Céu de Santo Amaro
[Flavio Venturini]
http://www.flavioventurini.com.br/
Flávio Venturini é um cantor, tecladista, pianista e compositor brasileiro.

imagem colhida na internet:
https://4.bp.blogspot.com/-qvXW5tHE4fw ... 7449446676738766459_n.jpg
 
a beleza era mulher, ainda menina

como soube te amar naqueles dias

 
como soube te amar naqueles dias
 
 
~.~.~
como soube te amar naqueles dias

em todas as mulheres te procuro
nem que sejas por um gesto teu
e para ser e me lembrar, sou seu
sou daqueles dias, como te amei

na flor, sem estar dentro de ti
o amor, por um beijo em tua dor
e amar, a gota de sangue e amor
nas veias do meu corpo, desvendo-te

num canto, que me encantas mágica
renasço em tuas lágrimas das rosas
do teu corpo dolorosas
apara em mim a tua dor, amor

dos teus males que me invadem
teus sonhos, êxtases, cansaços
és a muita dor, irritação e desconforto
és tão forte e a vontade de hibernar

até que passes pelas tuas dores
és o vinho e embriago-me no beijo
a tua dor saberás dos lábios meus
meus vastos céus em chama e flor

e aos teus pés o meu repouso
pouso os beijos de uma vida
viva eterna em tua água pura
dai-me a tua calma de princesa

e aos teus pés a sombra do carinho
agora sei, entre seus dedos eu nasci
e me encontrei em ti, eu me perdi
em tua rubra boca, o cálice de fogo

trago-me e minhas mãos são tuas
sou em teus perfumes pelo corpo
a dor que na tatuagem se irradia
dá-me tão nuas em profundas dores

e deixa-me colérico em tuas lágrimas
são tuas horas marcadas pelas dores
as farei minhas, que no coração palpitas
em teus seios latentes de lembranças

tão tarde, guardai-me em teus em crepúsculos
dos nossos gestos de outrora, a lembrança
os sóis dourados se iluminarão em teus cabelos
as bocas apaixonadas de juras de amor

a dor em lábios de uma jura secreta
como soubemos do amar naqueles dias
fecha os olhos, esse tempo não há depois
aquela que no corpo as saudades incendeias

a mulher que aprendi amar a dor
a que hoje sei que posso amar
na mais linda canção do teu amor
a mulher que agora sei te amar na dor

http://interludioepoesias.blogspot.co ... e-amar-naqueles-dias.html

~.~.~
imagem:
Venus and Cupid
Lorenzo Lotto (Italian, Venice ca. 1480–1556 Loreto)
http://www.metmuseum.org/art/collection/search/436918
~.~.~

https://youtu.be/mYjfWevnN9o
Suburbano coração (Mônica Salmaso)- [chico buarque]
Release
http://www.monicasalmaso.mus.br/new/P ... /frameset%20releases.html
 
como soube te amar naqueles dias

ainda que as noites sejam longas

 
ainda que as noites sejam longas
 
 
quando o teu olhar pousa na boca
no contorno dos lábios se faz rosa
por mais que a respiração contenha
a flor da rosa se emudece no sorriso

quando se faz o brilho de esmeraldas
na saudade o verde olhar nas montanhas
só há o teu céu nas tuas constelares íris
são tão cristalinas as lágrimas dos pampas

quando o sol descansa em luz dourada
nas carícias sobre os fios longos do cabelo
quisera o vento desvendasse o teu segredo
de um coração em desespero apaixonado

quando as nuvens se escurecem de cinza
teu corpo se abraça na cortina de chuva
a primavera das flores lilases e amarelas
molham no vestido a tez macia de um amor

quando as tuas noites não querem dormir
o quê fazer se os corações estremeceram?
os suspiros ficaram entrecortados e breves
talvez por um nome que lhe veio à mente

quando em teu coração suportas tudo calada
numa hipótese abstrata que era um sonho
mais que num desejo insaciável de viver
no impossível viver sem acontecer o desejo

quando teu coração se fecha n' outro que abre
como se fecha a porta em meio a escuridão
o mundo para no silêncio do que poderia ser
esqueces dos momentos no tempo da solidão

quando se desfaz o temor na insensatez
teu sul se encontra ao sul de um amor
os sonhos que te encontram nas canções
hão de brilhar em teu olhar de imensa luz

quando a noite for sedosa e quente
de suspiros profundos e entrecortados
seja por onde, serás sempre o inusitado
serás a que tens visto a lua ultimamente

quando propuseres indagar-se nua
se ainda sei que guardo o teu olhar
como sei das tuas noites sempre iguais
do amor, onde só a tua lembrança revive

saberás de um céu a espreitar a noite
n'algum lugar guardando o inesquecível
na paixão dos teus segredos não vividos
no rosto o iluminar de um sol com pressa

ainda que as tuas noites sejam longas
sejas a longa espera como a minha
ainda que todas as noites sejam uma
és a única noite como o teu amar deseja

Vuelvo al sur[ Piazzolla e Fernando "Pino" Solanas]
GotanProject Youtube
https://www.youtube.com/channel/UCie_hsKZv4AhQL-vrwhbisg
Web site
http://www.gotanproject.com/
~.~.~
A Escola de Atenas, pintada em 1511, afresco de Rafael Sanzio pintor renascentista na sala della Segnatura (sala da assinatura) do Vaticano. O apontar do dedo de Platão (427-347 a.C.) pormenor da Escola de Atenas.
http://mv.vatican.va/2_IT/pages/x-Sch ... s/SDRs_03_02_020_big.html
Musei Vaticani
http://mv.vatican.va/2_IT/pages/MV_Home.html
Collezioni Online
http://mv.vatican.va/2_IT/pages/MV_Visite.html
http://www.wga.hu/html_m/r/raphael/4stanze/1segnatu/index.html
~.~.~
http://interludioepoesias.blogspot.co ... -noites-sejam-longas.html
 
ainda que as noites sejam longas

no sonho da poesia

 
no sonho da poesia
 
 
não peças ao teu corpo que me olhes
nem em tuas curvas irei perder-me
no arrepio da tua pele perseguir os lábios
não irás em teus seios tornar-me amante

não aos momentos sublimes do teu suor
nem verei a transparência de tuas vestes
nem a cegueira terei nos teus penhascos
em queda profunda nos teus desejos

minha delicadeza não tocará teu rosto
no macio da pele o tato se negará
os dedos resistirão na seda o toque
nos cabelos seduzido não quedarei

não ao tremor no teu corpo desnudo
a minar a estrutura do meu ego
no teu suspiro não respirarei prazeres
calo o meu grito ao teu ventre mudo

não entregarei aos teus lábios úmidos
meu desejo voraz em saborear tua boca
não saciarei na tua saliva o meu deserto
morrerei nas bordas frescas do teu oásis

não alimentarei no sabor da pele
o gosto do sal que me alimentas
nem o perfume morno que provocas
no ardente percurso pelo teu corpo

não saberei dos anseios rosados
em teu ventre o aflorar contente
o segredo febril do teu amante
da pureza nem o degustar ardente

não me toques com a tua magia
nem me seduza com teus sussurros
sou o avesso dos teus desejos insanos
és ainda o sonho desperto na poesia

http://interludioepoesias.blogspot.co ... poesia.html#ixzz2ZqPTXFJZ

música:
E mi troverai [Sergio Cammariere]
SERGIO CAMMARIERE
OFFICIAL WEBSITE
http://www.sergiocammariere.com/
imagem: A falta que nos move
 
no sonho da poesia

não permitas que somente a vida aconteça

 
não permitas que somente a vida aconteça
 
 
~.~.~
não permitas que somente a vida aconteça

só em teus braços componho melodias
construo-me nos momentos de teu silêncio
se a cada um não, mais da vida eu sei
e em si mesmo, em cada um há uma prisão

e sem que percebas, a vida nos ilude
e na dor dos outros, a tua dor se alivia
como sou e serei sem que digas o que tu és?
se me desconstruo em sua existência finda

saber-te prisioneira em tua beleza
se acreditamos em que não vemos
por medo, sem saber que és meu destino
se em que nos vemos não acreditamos

se nos cativamos e fazemos sofrer
na tua beleza de alma eu me devoro
e em tua rubra boca me enveneno
é no teu corpo que minh'alma existe

sabes que um dia a beleza ofusca e passa
mas quando se abres como uma aurora
extasia-me, faz-se a bela e me deslumbra
te vislumbro como um desabrochar em flores

e se te doas por tudo e tanto me encanto
me busco em tua paz, se és meu repouso
anseio em tanto amor e o quanto amas
espero em teu peito os botões de rosa

por tanto amar teu desabrochar em vida
que eu tanto sofra se nos ver na dor
se me reconheces em duas almas antigas
foi o encontro nosso pelo maior destino

e o mesmo destino que se fez ingrato
se em teu corpo jovem me envelheço
a ironia foi destino antes do nosso amor
e se agora soube em minha dura sina

pior saber-te da ambição dos outros
do egoismo a enclausurar-te bela
libertar-te, é por tanto amar-te à vida
se te deixo partir, eu te suplico livre

pois sem teu amor, liberta-se por mim
e se me abandonas para que não sofras
saberei, se não haveremos nós num hoje
sou sem amar num nós e a morte me clama

da sua dor sei que em tuas palavras sangras
iluminas com seu amor os meus labirintos
lá onde sei, te perco dos meus caminhos
pois trouxeste a plena luz de teus carinhos

me desprezo a morte para saber-te feliz
apenas que saibas para onde foi a vida
se és forte, saberás, é a minha razão de vida
e então saberei da minha vida sem mim

importo com meu fim sem teus carinhos
importo o não viver, se viver sem teu amor
que breve eu seja, pois sem amar-te em nós
sem nosso amor a vida não tem sentido

aconteça em vida pelo verdadeiro amor
não se permita que a vida te aconteça
és teu o amor e faça-o acontecer em tua vida
se o destino é meu e seguirei com a minha dor

em sentimento que se represa, o amor transborda
numa inundação é inevitável o seu curso d'água
o amor está a espreita entre o desejo e a dor
num mundo nos deseja, um mundo de dois corações

não permitas que somente a vida aconteça
no mundo de dois corações viver num só

~.~.~
Arte e solidão
Guy Rose (1867-1925) é um nome muito talentoso dos impressionistas dos EUA. Pintou este quadro ( La Mère Pichaud) em 1890. Uma senhora olha a cadeira vazia de forma expressiva. A pintura é da fase francesa dele, quando estava próximo a Monet. O outro é do pintor acadêmico inglês Charles Spencelayh (1865 - 1958) e se chama “A cadeira vazia” (The empty chair) , de 1922. Os dois falam do envelhecimento, da espera, dos parentes que não chegam e da dificuldade em lidar com o abandono. Arte, às vezes, dói.
http://www.guyrosegallery.com/
https://www.flickr.com/photos/nogtow/sets/72157625152860375/
~.~.~
Quando Amanhecer [Vanessa da Mata] feat. Gilberto Gil
álbum "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias".
http://www.vanessadamata.com.br/
 
não permitas que somente a vida aconteça

a procura de uma pessoa...

 
a procura de uma pessoa...
 
 
a procura de uma pessoa...

não procuro, e nem saberia
eu nada procurava antes de ti
tu és o dia que em ti me encontro
antes de ti não havia um nós
antes de ti não havia um nome
não havia o tempo,
era só o antes de ti
o teu nome ensinou-me a amar os teus defeitos
para que eu soubesse admirar as tuas qualidades
antes de ti,
nunca houvera um nome em minha boca
nas quatro letras do teu nome me encontrei
para que o todo exista
o silêncio se confessava por nós,
a falta da sua voz, o seu canto
o enquanto,
a natureza do seu rosto ilumina
em risos e danças
em luzes nos meus olhos
nessas ausências,
o que mais sinto são as tuas falas
a chuva canta por nós,
o quanto me encantas
esse vazio seja das promessas
no poema do ventre
as sombras repousem em nós
sejas o amor que nunca dói

a procura de uma pessoa...

quem deseja quer ser só desejada
ser desejada por todos é ser desejada por ninguém
todo prazer muda de lugar ou causa um vicio
relacionamento virtual e a distância é "ficar" no amor platônico
dançar é com pés no chão
reconheço meus defeitos,
sem eles me desmorono
os olhos nos olhos
o rosto lavado na chuva
as aparências não enganam
enxerga-se o que se deseja ver
os poetas e os cegos enxergam na escuridão
não há metades, nem almas gêmeas
o patriarcal transforma os meninos em heróis
e nas meninas no corpo capital
as verdades não são absolutas e sempre mudam,
resistir a mudança é fatal
ser moderno é consumir modernidades?
a beleza e as afinidades o tempo devora
o Amar eterniza o sentimento em benefício de todo ser
quem ama não agride sem ser agredido por si mesmo
os diplomas vem no último suspiro
não há segurança
me diz: é perigoso ser feliz?

http://interludioepoesias.blogspot.co ... rocura-de-uma-pessoa.html

música:
Edu Lobo (feat. Mônica Salmaso) - Valsa brasileira[música de Edu Lobo, letra de Chico Buarque]
Biscoito Fino: https://www.youtube.com/channel/UC0MFq331Z7_CoSFimP84Mbw
Website Oficial
http://www.monicasalmaso.mus.br/
http://www.chicobuarque.com.br/ - http://edulobo.com.br/#agenda
imagem:
flor dente de leão
 
a procura de uma pessoa...