https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de LuisSardinha

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de LuisSardinha

Eu no tempo (,) sem tempo

 
Eu no tempo (,) sem tempo

O tempo segue seu percurso,
cavalgante,
com hora marcada,
com compasso certo ,
apenas nós sem escolha vamos com ele ,
criamos divisões: anos , meses , dias
mas
o coração é que constrói as diferenças ,
a vibração interior é que marca o nosso compasso
e aquilo que passo é o que “tenho tempo” para passar , com as escolhas que faço,
por isso sempre que passo para um novo ano faço um balanço
e tento-me embalar pela música do meu coração
para saber ter mais tempo para passar
com o que me faz Feliz,
"escorregando " no tempo ...
como num escorrega o petiz ...
fazendo, com o tempo ,
do meu coração um aprendiz
de feiticeiro, de magia
de encanto pela vida ...
que sempre recomeça ...
em cada momento ...
a todo o momento ... agora .... já

Luis Sardinha

10/01/2009

12 h 05 m
 
Eu no  tempo (,) sem tempo

As mãos

 
“As mãos “

“Pelas mãos passa o sentimento do poeta ...
são delicadas executantes dum pensamento !
Orgulhosas da sua função
aqui estão elas : sempre à mão !”
__________________________________________

As minhas mãos, se têm algum sentir, é o teu ...
o sentir das tuas que afagam as minhas.... que não deslargam,
têm a forma certa para encaixar nas tuas,
sabem de cor os teus relevos,
sabem a relevância que tens para mim,
sabem o que senti
com o seu toque,
o que decobri, mais do que com o meu olhar
tardam em chegar ao seu destino,
teimam em buscar o teu conforto,
e se o seu porto é pequenino
não é o meu coração
pois ao chegarem ,
o teu (coração ) ao meu dá a mão
só te quero ter à mão
para poder experimentar
o tempo de não esperar
o momento de te ver partir .
Nas minhas mãos o teu regaço
a tua completa existência,
em cada ruga
em cada traço
fica a certeza...
traçados sim um para o outro
de mão na mão para todo o tempo
os dedos são testemunhas
do nosso grande e eterno amor
têm truques e segredos,
sabem de emoção
têm a maior
expressão: a do nosso amor
afagos, carícias, apertos
sem nós cegos apertados
vida fora sempre dadas : caminho de paz,
de amor,
entrelaçadas : as mãos e as vidas
supostos terminais do meu corpo
são o principio de te sentir ,
só os lábios sabem mais
por terem essa vantagem do sabor “logo a seguir “
mas sabem que não determinam
onde só as mãos sabem ir ...
têm rugas de sabedoria
têm veias de poesia
apertadas pelas tuas
a vida inteira , noite e dia!
Informam-me da tua forma,
da forma de eu sentir
conforme ao sentimento ,
aperto-as...
para não te ver partir ...
e sinto, momento a momento ,
o coração a disparar de amor
o dedo aperta o gatilho e mata !!!!
Mata a fome de tantas horas de mãos abertas
à espera de a ti as dar
simplesmente e tão apenas
DESERTAS PARA TE ENCONTRAR !!

Luis Sardinha

23/09/2008 04 h 20 m
 
As mãos

Declaração de amor

 
Declaração de amor

Sei que no fim dum sonho
vem outro
que no fim da vida
vem outra
e que o fim (= objectivo ) de mim és tu ,
é ter um principio contigo,
o princípio do caminho
que quero percorrer ao teu lado,
viver em teu redor,
viver em ti e tu em mim …
alegria e felicidade do meu coração te sentir
e de me chegar a ti
e te beijar
de te abraçar e te amar
e dizer que o que vivi assim …. quero continuar …. a ser EU … sem fim.

És para mim o meu sonho
para a minha existência a razão
uma alegria que em mim ponho
Quando em ti estou e me dás a mão

És razão de ser do meu EU,
alegria de ser teu,
amor de te ter,
de seres meu céu,
língua da minha voz,
sussurro do meu sonho.
És minha vontade de estarmos sós,
o amor sem tamanho,
imensa luz,
a eterna descoberta de mim .

Sempre quis estar assim …
Move-me o teu encanto,
pára-me o teu feitiço…

Pensando em ti me levanto…
Aceito teu compromisso !!!

És vitória do meu Deus,
Deus em corpo humano.
Estrelas meus olhos que brilham ao ver os teus.

És quem eu quero , quem amo !!!
Divina a descoberta de ti
divino teu corpo,
onde mergulho e náufrago …
Em ti vou e venho … na tua praia … o paraíso ,
Na tua saia … o teu encanto .
Perco em ti meu juízo, pronto !
Ouço de ti o teu pranto…
“Encantado ! Muito prazer !
Amo-te”

Luis Sardinha
Algures em Lisboa , à espera no táxi , 22 de Maio do Ano da Graça de 2009
sardinha.luis@hotmail.com
 
Declaração de amor

A Poesia , o Poeta , o Sofrimento, a Arte

 
A Poesia , o Poeta , o Sofrimento, a Arte

O poeta tem que dizer sempre o que sente ?
Deverá sentir o que diz ?
Dizer o que sente será sempre um caminho fácil se fôr mesmo poeta ou seja , se souber mesmo fazer transparecer nas palavras aquilo que é o seu sentir . È é esse o seu dom , todos sentimos mas nem todos temos a capacidade de, com arte, transformar o sentimento em algo sólido e palpável nas letras e nas linhas, mas por vezes tão intangível no conteúdo.
Também , por vezes , o dom de saber brincar com as palavras desobriga-o de sentir . Assim , dependendo da versatilidade de cada um o processo será mais fácil ou não : apenas a descrição do sentimento , com a arte e engenho de um artista ou apenas a arte de brincar com as palavras constrói a obra . Doutra forma seria o poeta um prisioneiro do seu sentimento , sem poder falar do que não sente ...
É mais fácil falar do que se sente ou do que não se sente ? A liberdade de poder dizer o que não se sente como se estivessemos a sentir é uma arte , possibilita aos outros identificarem-se com a escrita . O poeta será assim um artesão que constrói objectos : umas pessoas gostam de uns outras de outros ...
O importante é que foram feitos com amor ...
o importante é que teem beleza interior ...
o artesão também não faz só o que gosta
gosta do que faz , isso sim !
Deixem ao poeta o estatuto da liberdade !
Até lhe deram a possibilidade de ter pseudónimos , ter vários “eus “ : é um “sortudo” , sem dúvida ,
e que arte aquela do actor : veste a pele dos personagens ...
Despenalizem-me então por não dizer só o que sinto , a arte é liberdade . Livre é também cada um dos leitores nas interpretações da obra , livre é cada um dos leitores na forma como é tocado pela obra .
Outro dia ouvi que para se ser um poeta , um bom poeta , tem que se se sofrer ... fiquei a pensar : talvez essa agrura torne mais fácil “o parto” da escrita , saia com contornos mais artisticos e sentidos .. Esperem aí .. : eu disse “talvez “ , isso obrigaria o poeta a ser incontornavelmente um sofredor . Desculpem mas não me estou a ver nesse papel ... . Mas , por outro lado também sei que o sofrimento é relativo , depende muitas vezes da forma como avaliamos a realidade . Não quero ser pretensioso e dizer que não existe, existe sim , sintamos a tristeza de algo que a vida nos dá , aceitemos os acontecimentos , tiremos as lições , as ilações , choremos até , porque não , mas não prolonguemos o sofrimento . Entendamo-lo como uma lição , como um caminho da nossa alma , dum percurso de evolução espiritual . Sejamos Mestres ao encarar o que nos acontece pois o bem e o mal são experiências que temos que passar . T todos sabemos que a vida é assim e o importante é o o prisma com o qual encaramos a realidade . Aí estamos fronteiras meias com a espiritualidade , com a paz e a tranquilidade das filosofias espirituais da vida .
Mas o poeta é um artista e na arte vale tudo, desde que haja a sublime sensibilidade na obra que só o amor da entrega permite. O poeta tal como o cozinheiro tem todos os ingredientes à sua mão , é livre , pode falar de amor, de sofrimento , de todos os “ingredientes “ que lhe vão na alma, pode juntar outros que não sejam seus . Sua arte é na confecção , dos ingredientes e dos condimentos , no AMOR que põe na sua obra : a liberdade , o génio , a felicidade de exprimir a sua arte , sempre com prazer , sempre com inspiração e sempre com liberdade : a liberdade de , com a sua arte ( escrita , pintura , música , etc. ) ter as asas para voar até onde o pensamento quiser !

Bem, consegui o meu objectivo (sorrisos ) para se ser poeta não é preciso sofrer ... Ufa!! que alívio já estava a ficar preocupado ...

QUE SE ESCREVAM MUITOS POEMAS DE AMOR E QUE SE ESTEJA MUITO APAIXONADO ! ( Sorrisos )

Luis Sardinha ( 28 de Agosto de 2008)
 
A  Poesia , o Poeta , o Sofrimento, a Arte

Tão simples a Felicidade ...: "Sentimentos do coração em pensamentos de luz "

 
Tão simples a Felicidade ...: "Sentimentos do coração em pensamentos de luz "

Singelos,
simples,
leves ,
transparentes,
limpidos.... :
os pensamentos
os seres (a forma de ser ) dos seres (humanos)
tal como são ...

fugazes : as nuvens , os aborrecimentos ..

perenes e sublimes os sentimentos !
momentos do sentir e não do simples existir inconsciente
são os sentimentos que nos fazem viver,
que articulam o ser tal como é ,
o que foi e o que pensa que poderá ser
antevendo o que quer sentir
mas sem pressões e sem medos ,
preparado para o que quer que venha a acontecer ,
sem a manipulação do pensamento ...

Por isso os pensamentos teem de ser :
singelos,
simples,
leves,
transparentes
e limpidos
para serem de luz...
para seguirem o coração!

O Coração :
demora-se pela espera ...NÃO ESPERES
Atrasa-se pela demora ,

o tempo não existe ,
só o agora
o coração não insiste,
é livre, aceita e entrega!
O Coração é feliz ... SE O DEIXARES (SER)
E TU É FELIZ , SE O QUISERES !

Luis Sardinha

10 de Agosto de 2007 (Madrugada )
 
Tão simples a Felicidade ...: "Sentimentos do coração em pensamentos de luz "

O Côr de Rosa da Prosa

 
O Côr de Rosa da Prosa

O côr de rosa da prosa
apenas teus olhos o vêem , o sentem
é um cheiro ,
um sentimento,
uma luz
algo forte que nos une, seduz e nos separa
nestes símbolos escritos a negro , que transfiguram o que vai no coração
e, que , curioso ...
nos ligam , nos põem em comunicação , nos redescobrem ....”O Côr de Rosa “ : um sentimento de amor, de alegria , de paixão , fantasia, sedução
que ,
depois de lidos ,
vão...
mas que nos deixam ,
no coração ,
a marca indelével da sensação de profundidade e de que ,
onde por vezes não está nada ,
se pode construir muito,
e onde está escuro , a luz pode ser a nossa companhia ,
o nosso guia ,
que faz sentir em nós
aquele sentimento
indefinido ...
que nos dá :
alegria de viver ,
harmonia ,
paz,
equílibrio
que vem do nada ?
Não !
Que nos ajuda a estar BEM em tudo !
Que vem do tudo... ESTÁ TUDO EM NÓS !
Só temos que procurar , quando a vida nos faz fugir dos caminhos que são os nossos...
aquele cheiro
aquele sentimento
aquela luz ,
nós sabemos onde ela está ...
por vezes não a queremos ver ...
Como tudo pode ser tão simples ...
A vida está em nós , nós a construímos e não é ela que nos constrói ...
Nem é preciso comprar nada!!!
o “Côr de Rosa”, do bem estar , da paz , da harmonia ESTÁ EM NÓS !

Luis Sardinha
 
O Côr de Rosa da Prosa

Para ti

 
Para ti

prazer que me dás em seres assim
de me dares a mim
o que tens em ti...
intensa
profunda
mulher
que faz despertar em mim
o que o corpo quer e a alma sonha...
alegrias
entregas
e misterios
desvendados em palavras...
entregas de corpo e sensações
suspiros
ais
em delirios ...
instintos fatais,
murmurios,
vitrais
de luz
de amor
de sonho em realidade
és tu que não sais do meu ser
és a minha verdade e o meu querer
que um dia havemos de ter
suspiros de mim
fugazes maravilhas
eternas melodias
que sonhas e que me guias.
Leva me a ti
e serei teu
estarei no céu
e serei EU

Luis Sardinha

Loulé, 11 de Junho de 2009 12h 30
sardinha.luis@hotmail.com
 
Para ti

O Côr de Rosa da Prosa

 
O Côr de Rosa da Prosa

O côr de rosa da prosa
apenas teus olhos o vêem , o sentem
é um cheiro ,
um sentimento,
uma luz
algo forte que nos une, seduz e nos separa
nestes símbolos escritos a negro , que transfiguram o que vai no coração
e, que , curioso ...
nos ligam , nos põem em comunicação , nos redescobrem ....”O Côr de Rosa “ : um sentimento de amor, de alegria , de paixão , fantasia, sedução
que ,
depois de lidos ,
vão...
mas que nos deixam ,
no coração ,
a marca indelével da sensação de profundidade e de que ,
onde por vezes não está nada ,
se pode construir muito,
e onde está escuro , a luz pode ser a nossa companhia ,
o nosso guia ,
que faz sentir em nós
aquele sentimento
indefinido ...
que nos dá :
alegria de viver ,
harmonia ,
paz,
equílibrio
que vem do nada ?
Não !
Que nos ajuda a estar BEM em tudo !
Que vem do tudo... ESTÁ TUDO EM NÓS !
Só temos que procurar , quando a vida nos faz fugir dos caminhos que são os nossos...
aquele cheiro
aquele sentimento
aquela luz ,
nós sabemos onde ela está ...
por vezes não a queremos ver ...
Como tudo pode ser tão simples ...
A vida está em nós , nós a construímos e não é ela que nos constrói ...
Nem é preciso comprar nada!!!
o “Côr de Rosa”, do bem estar , da paz , da harmonia ESTÁ EM NÓS !

Luis Sardinha
 
O Côr de Rosa da Prosa

Sentidos de Amor

 
Sentidos de Amor

É uma alegria,
um sentimento profundo de prazer ,
que aquece o coração
como uma música divina
que desperta todos os sentidos
Dá gosto sentir os meus sentidos ...
ao pensar em ti ...
ter pele para te tocar
ter olhos para te ver
ouvir a tua voz doce
poder cheirar o teu perfume de Mulher
ter a tua na minha mão
e o gosto ...
o gosto de saborear o quanto é bom te amar ,
e sonhar com o teu sabor ...num beijo
beijar-te em sonhos
e mergulhar no gosto da paixão e do desejo ,
no mar da tua beleza ,
na imensidão do sentimento
como uma chama !...
sempre acesa ...

Luis Sardinha

24 de Junho de 2007 , 05 h 30 m
 
Sentidos de Amor