https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Le Tab

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Le Tab

Livro em branco(para todos os lusos poetas)

 
Dizem que cresci, deixei de ser um miúdo para ser um homem. Já me aguento sozinho sem ajuda de ninguém. Até há quem diga que tenho picos de genialidade, nada de mais errado. Não sabem o que dizem, não passa de palavras mágicas, de ilusões, feitas através de palavras que escondem sentimentos.
Sou um mero errante das palavras, que mesmo sem saber um dia me cruzei numa esquina, numa tabuleta onde dizia entra. Alguém me disse entra, não tenha medo aqui vai se sentir em casa, aqui vai se descobrir, descobrir o poder das palavras. O mistério que se esconde por detrás delas. Folheei todos os livros, de todos autores desconhecidos, encantei-me devorei todos, até chegar ao último e perguntar não há mais?

O silêncio imperou e a voz ao fundo respondeu outra vez:
-Falta o teu!
- Mas eu não sei escrever, não sei o que é escrever, junto palavras, que formam textos e algumas pessoas dizem que até fica bonito!
-Eu era como tu, quando era novo, escrevia sem parar, filosofias, angústias, revoltas que atormentavam o meu pensamento! Para veres, até acordava durante a noite para escrever... Depois aprendi a poesia, foi amor à primeira vista, ela me adorou e eu a ela. Fazíamos tudo juntos, parecia que éramos um par de namorados loucos de amor. No fim descobri que também não sabia escrever, mas sabes o que ela me disse?
-Não, diz-me por favor...
-Não faz mal meu amor, podes até nem saber ler, podes escrever mal, mas desde que escrevas com sentimento e aos poucos indo corrigindo os teus erros... no final serás idolatrado, não por escreveres para a elite, mas sim por escreveres para aqueles que ouvem o coração....
-Mesmo assim...tenho medo de errar, de as tratar mal, de não conseguir ser bom com elas. Tenho medo de as magoar. Fazendo mais mal que bem...
-Ai está, tu mostras ter sentimentos, primeiro vais ter de cair, aprende as tratar com carinho, aos poucos elas vão se tornar tuas confidentes...
-Porque é que não tens aqui ninguém conhecido?
-O que é ser conhecido para ti?
-Aqueles autores famosos e conhecidos por todos, além fronteiras...
-Meu caro amigo, aqui se vais para ser famoso esquece, aqui só a gente desconhecida, gente que mal ou bem tenta tratar por tu as palavras. Alguns fazem magia com estas, outros transportam-nos para o mundo dos sonhos. Outros mostram o que é amor, aqui poderás não encontrar fama, mas encontras tudo o resto que nesse mundo nunca encontrarás...
-Como poderei dizer ao mundo, onde encontrar este canto?
-Basta que digas, que sigam as palavras, os sentimentos, vão encontrar de certeza, espero pelo teu livro, aquele em branco que nunca escreveste, que anseio ler, devorando todas as palavras, pois sei que és capaz...
-Obrigado por me teres dado o teu ombro, por teres tido orgulho em mim, de confiares um pouco e dizeres quem és mesmo não dizendo o teu nome. Agora sei quem és, apesar de continuar a ser um mero mortal, um mero amador, quem nem poeta, nem o escritor o é, vive agora com o coração cheio de amor, por um dia te ter conhecido.
-Não digas isso, eu sou um mero sobrevivente das palavras também, abraço-te de braços abertos, recebo o teu carinho e retribuindo igualmente com toda a força, agora que vais não te esqueças, és um amador, quem sabe nunca serás famoso, mas um amador cheio de amor e sentimento.
Parti com alegria e espanto, nunca tinha visto tanta alegria e amor, em palavras, não eram meras palavras mas sim actos, sentimentos bem reais, assim tinha a certeza que não estava a sonhar. Quando sai , olhei para a tabuleta e vi aqui é o cantinho do lusos poetas, embora não haja famosos, há muitos com vontade de amar e que amam de verdade a escrita. Foi assim que espalhei ao mundo este cantinho, onde realizei um sonho, o de escrever o meu livro em branco.
 
Livro em branco(para todos os lusos poetas)

Nada se compara a ti

 
Nada se compara a ti. Tudo parece imperfeito quando comparado contigo. O teu olhar transmite tanto, o teu sorriso contagia seja quem for tão genuíno e tão doce. Quando olho para ti não vejo uma pessoa, vejo sim o anjo mais bonito que alguma vez vi. Dizes que és somente uma menina, mas essa menina é tão doce, tão bela. Que não existem palavras para te poderem descrever como deve ser. És uma menina a quem fiquei rendido, fico a cada segundo que passa, e ficarei sempre rendido. Sabes porque? Por seres quem és, nunca mudes a tua existência e vital para muitas pessoas. De certeza que o mundo não era o mesmo sem ti. Não consigo imaginar um mundo sem ti. Sem a preciosidade da tua existência. Nada digo de novo, talvez ate me repita. Mas continuarei a dizer isto ao vento, para vento poder espalhar ao mundo a menina maravilhosa que és. Para quem não te conhecer desejar conhecer-te. E se as pessoas depois de te conhecerem, não gostarem do que viram, não te preocupes porque eu continuarei a gostar de ti como és. Estarei sempre aqui nos bons e maus momentos. Limpar as tuas lágrimas a sorrir contigo e desejar que cada momento se torne imortal. Porque a tua existência para mim se tornara imortal. Nada mais quero dizer, senão que gosto muito de ti. Que tu para mim, és a razão da minha sobrevivência. Eu ainda estou vivo porque um dia me deste a mão, quando estava a um passo do abismo. A ti devo a minha vida. A ti devo hoje ser feliz, e querer a tua companhia, mais do que tudo. Ao ver o teu sorriso faz-me que o mundo pode ser maravilhoso basta lutarmos por ele, quando vejo as tuas lágrimas lembro-me que ele é como uma rosa com espinhos. Mas se tiveres ao meu lado saberei que por mais espinhos que a rosa tenha, eu ultrapassarei tudo. Moverei o mundo se for preciso para te ver feliz. Sei que não tenho dom da escrita, mas quero que fiques a saber que tudo o que escrevi foi pensado em ti, e para ti. Nada mais importa se dizeres que não gostas de mim. Agora neste momento vejo que és o meu sol, a minha vida. Por existirem pessoas como tu e que há pessoas felizes como eu, e por isso acredito que o mundo pode ser algo muito melhor basta querermos.
 
Nada se compara a ti

Escrevo sem saber...

 
Escrevo sem saber,
o que escrever!
Dou por mim a teclar
teclas que não sei
no que vão dar....
Agora que comecei,
não consigo parar.
Parece que alguém
o faz por mim...
Mas não vejo ninguém,
estarei a ficar louco?
Se calhar a verdade é sim,
compreender-me é pouco,
pois nunca me achei normal.
Serei então genial?
 
Escrevo sem saber...

Não quero ser lido...

 
Não quero ser lido, muito menos compreendido...
Já não sei quem sou, quem fui ou serei! Já não me lembro o começo de tudo isto, ou se calhar já estava predestinado...Foi um acontecimento natural, ainda me lembro da minha infância, se calhar não foi das mais felizes. Mas nada justificava que me tornasse neste ser horrendo que tornei-me... Um monstro selvagem, em que nada me para, matando todos os que se metem a minha frente. Ferindo meio mundo com a minha cólera, deixando lares despedaçados, espalhando tristeza a minha volta.
Nada faz-me viver, apenas sobrevivo, do sangue, ódio, tristeza... Sou um moribundo um meio-morto, meio-vivo, dormindo de dia, acordado de noite! Não me tentei procurar ou encontrar, pois eu quando quiser vos ver, vou a vossa procura. Nem preciso de ajuda, pois já é irremediável, por isso não tem cura! Vou indo nesta silenciosa noite, que me faz vibrar, me acalma amedrontado tantas almas que por aqui vagueim nesta rua mal iluminada. Um candeiro partido, uma mulher na esquina a vender o seu corpo, outro a dormir num papelão, isto é o meu mundo horrível, onde vivo! Onde irei morrer, mas com certeza não serei lembrado da melhor maneira...
 
Não quero ser lido...

Incauto

 
Sou apenas um homem rancoroso e mórbido....

Dado ao mísero que me cabe, só sobrevivo

Tendo n'outra vida, n'outra sorte me perdido



Um ar que sustive e que de boca aflora

Embora causa ao ser não tivesse,

E insiste o tempo sorrateiro,

Em não dar-me o descanso que mereço.



Vitimado, tendo a paz sorrateiramente roubada....

Por uma alma caridosa, vendo a minha não ser poupada

Não a sendo , ao gasto derramado pelo corpo

Minha mente n'outros cantos andam....



A dor fala por mim, salta diante dos olhos menos atentos...

Fazendo dela as páginas do meu livro ensanguentado..

Recriando factos que se apagavam da mente,

Desde então vivo por ela atormentado.

Torna a vida em puro sangue!

Junior A. & Le Tab
 
Incauto

Verdade submersa...

 
Eu tenho olhos não tenho? Se tenho, porque querem que eu veja sempre com os vossos olhos?
Querem mandar em mim, obrigar a sentir o que não sinto.
Estou farto de ouvir falar de amor, transformado em algo superficial, banal. Quando ouvi sempre dizer que o amor nada tem de banal! Será que sentem mesmo o que dizem? Não passará de uma velha cantiga, querendo embalar, mas parece que já ninguém a escuta.
Perdem-se de amores, no amor, agora não passam de uns triviais. A princípio achava graça, eram diferentes, carinhosos e gentis...mas agora o que acho realmente? Não passam de uns velhos conhecidos, generosos, cujas frases não passavam de uma ilusão, são apenas palavras, que um dia foram sentimentos.
Abram o vosso coração, a vossa mente, vejam com olhos de ver.
A vida não é esse mar de rosas que pintam nos vossos quadros, tem muito sangue, muito negro, mas se olharmos com atenção talvez um dia cheguemos próximos dos vossos quadros.
Perdoem-me se vos magoei mas apenas fui sincero, já não quero mais viver esta mentira, este “nós” que nunca existiu, ou se existiu não passou de uma farsa!
Agora já não falo apenas para vós, falo para o mundo inteiro.
Estou farto de histórias de amor, daquelas que acabam sempre bem.
Todos escrevem sobre amor, julgam saber do que falam. mas saberão mesmo?
Com falinhas mansas tentaram-me iludir, não passam de uns tontos.
Nada sabeis o que é a vida, julgam por ter vivido menos bem já sabem o que é sofrer.
Sofrer é ir para a África sem nada, viver junto a eles, passar por tudo o que eles passam, isso sim, é sentir dor.
Não tentem encher os meus olhos de ilusões. Odeio a todos, a todos aqueles que se auto-intitulam se de conservadores, todos os falsos moralistas que falam da sua poltrona, não vendo o mundo real.
Quero ferir todos os que se quiserem ferir, pois se a verdade incomoda, quero ser incomodativo.
Falo para todos os que fingem não ouvir, aqueles que tentam passar de mansinho na sombra para que ninguém os veja à claridade.
Alguém um dia saberá dizer mesmo o que é o amor, a dor, paixão ou compaixão.
Vejo em todo o lado hipocrisia, falsidade, começando nos postos mais altos da hierarquia social, pessoas que julgamos mais íntegras, da igreja, à politica, os magistrados, até onde irá a podridão?
Até onde iremos nós para ultrapassar isto? Farto de tantos falarem de coisas de amor, mas o que fazem realmente para mudar o mundo para além de palavras bonitas?
Espero que esta mensagem chegue alguém, pois eu tentarei mudar, não dizendo apenas palavras bonitas para alguém ler, direi palavras indesejadas para todos ouvirem, lerem e se calhar para alguém assinar por baixo e fazer algo realmente de verdade.
 
Verdade submersa...

O teu olhar

 
Por vezes perco-me com a tua beleza,
com o teu olhar!
Dizem que os olhos são o espelho da alma.
Se sim,
tão tens alma mais pura que vi ate hoje.
Tens algo em ti difícil de descrever,
de explicar,
que me fazes sentir quando estou ao pé de ti.
Não encares isto como mais um conjunto de letras,
que formam um texto.
Mas sim alguém que te quer conhecer,
profundamente.
Quer poder ver realmente a pessoa que és,
quando o meu olhar se perde com o teu…
Não me julgues pelo meu aspecto,
pelo meu carácter arrogante que tenho por vezes.
Só quero que saibas que te acho uma pessoa incrível,
única e especial.
Não te conheço para te dizer isto.
Mas algo em mim,
que me diz que não estou enganado.
Que estou perante alguém com M de mulher enorme!
Apenas te quero conhecer,
deixas-me te conhecer?
 
O teu olhar

Distractions

 
-Imagina um sonho, vou te pinta-lo
Cheio de cores, de alegria será só nosso
Depois desse quadro feito de sonho te direi
Ao ouvido bem baixinho, o que nunca pensei dizer
As palavras nunca ditas antes..eu acho que te amo
-Sim, acho que te amo!

Eu amo, te amo com todas as forças, com toda a alma
Mas sou uma criança, por isso faço piadas para esconder
Este sentimento que me devora me consome...
-Sou eu apenas a dizer que te amo!

-Imagina um carro a passar cheio de velocidade
Lá dentro cheio de coisas vazias, tento fugir...
Mas não consigo apenas quero-te dizer o quanto te amo!
Mas sou uma criança, por isso faço piadas para esconder
Este sentimento que me devora me consome...
-Sou eu apenas a dizer que te amo!
 
Distractions

Sou diferente?!

 
Porquê?
Não sou igual aos outros seres humanos? Sou diferente... Por ter uma orientação sexual diferente? Deus diz que são todos iguais perante ele, os direitos humanos dizem o mesmo. Porque não posso-me casar então? Hipocrisias das religiões, muitas como a religião cristã mataram em nome da fé. Agora quando só quero expor o meu amor ao mundo casando com o meu amor, não posso.
Religião porém tem imenso dinheiro, quando Jesus Cristo viveu na miséria... Esquecem-se dos problemas de hoje, grande parte são devido a elas. Pois quis espalhar a fé cristã, quando quero apenas entregar o meu amor não posso, porque se julgam moralmente superiores para chamar-me atenção. Como se pode chamar atenção, se nem tem sequer moral para se olhar ao espelho, tudo em nome de Deus, mas será que sentem mesmo o que apregoam? Duvido, é difícil de acreditar...
Que sociedade é esta, se pode ter uma arma, para sua segurança, mas só a usa para matar, diz-se moralmente respeitada. Mas que no primeiro momento condena tudo e todos, não suportando ver alguém feliz, não suporta ver um beijo de um homossexual ou lésbica, mas não faz mal ver pornografia, sexo explícito na televisão...
Será que sou eu que vivo num mundo que não me pertence? Se calhar sou eu, não devia existir, pois este mundo é cruel demais... Não se conseguindo olhar ao espelho, ver o que são realmente por detrás dessas máscaras horrendas, fazendo dum sorriso malicioso, a sua melhor arma! Escondendo a verdade, pois o ser humano não consegue viver com a diferença, tudo o que é diferente ele recusa a aceitar. Por isso vou gritar bem alto, sou diferente mas igual a tantos outros, diferentes como eu, mas não me escondo. Por detrás duma máscara e assumo o que sou, sem qualquer pena, responsabilizando-me pelas minhas palavras... Pois só quero amar livremente, deixem-me amar quem eu amo!
P.S- Não quero ofender ninguém, muito menos as religiões, quero apenas criticar o que acho ser uma hipócrisia destas.
 
Sou diferente?!

Dor

 
Quero retirar esta dor que me mata
Fazendo de mim alguém sem ser
Que sendo eu, se dá na alma, maltrata
E agora que vou fazer?

Talvez matar esta dor que me consome,
Retirar a vida que me resta, sofro sem saber…
Vejo-me á sofrer, e sofro sem me alegrar.
Tiram-me os sonhos, aquilo que me seria viver
E o que me presta viver sem sonhar?

Esses sonhos, amantes, que me faziam voar,
Hoje a consciência diz, foi-se a razão do apetecer
E agora, que vou fazer?

Se vivo, sofro sem amar,
Se o nego e morro, amo...
E logo, vivo á sonhar.

Escrito por Bruno e Junior A.
 
Dor

Deus...

 
 
-Sim, tu que te chamam Todo – Poderoso!
Onde andas? Eu continuo-te a procurar!
Às vezes penso que não passas de um orgulhoso!
Gostas de nos manipular a teu belo prazer, sátira forma de gostar!

Ensinaste o homem a amar, a odiar!
Mas não o ensinaste a perdoar!
Deste os intrumentos, mas não ensinaste a os usar!
Onde andas que eu continuo-te a procurar?

Dizem que estás em todo o lado.
Porque só vejo sangue, morte, guerra?!
Um dia acreditei em ti, fui apaixonado!
Idolaterei-te, agora só te peço que desças à terra!

Vem ver por ti próprio a realidade.
A tua bela obra-prima, vê como está a tua criação!
Mas confesso que tenho saudade…
Quando te ouvia e batia mais forte o meu coração!
 
Deus...

...nada mais sei nesta vida.

 
...nada mais sei nesta vida.
O que soube um dia,
Já me esqueci!
Não devia
Ser interessante,
Pois dizem que só se fixa
O que queremos fixar
Se calhar nunca quis saber
Apeteceu-me sempre
Vaguear por este mundo
Como um ser errante
Um nómada, com a mochila
As costas, entrando a dentro
Nas novas civilizações, pois as antigas
Nem eu nem ninguém se lembra como
Foram, o mal deste mundo não se interessa pela antiguidade...
Se calhar estou a ficar velho, já não me sinto pertencente a minha geração, sinto-me um intruso, que não pediu nada mas forçaram a minha entrada para ficar bem na foto....
 
...nada mais sei nesta vida.

Quarto escuro que tantas recordações me trazes...

 
Quarto escuro que tantas recordações me trazes...
Um grito abafado pelas paredes,
um gemido que entoava a alma, fazendo vibrar, um ódio crescendo dentro de mim estava a nascer. Quarto escuro que tantas recordações me trazes... Foi nesse mesmo quarto que perdi a inocência, deixei a minha pureza de lado...
Uns gemidos que levavam a minha alma, deixando para trás o nascimento de um ódio, que me consumiu, até as entranhas do meu ser. Desfigurando tudo em mim, deixando de saber quem era para me transformar num monstro. Porquê? Pergunto eu, tinha de ser assim. Haveria necessidade de saciares os teus desejos, em mim, uma pobre criança? Sou, o que sou devido a si!
Deveria ter orgulho em mim, pois só me tornei o que você foi para mim. Um monstro, que rasgava-me a roupa, para entrar dentro de mim, do meu corpo. Sentia nojo, mas não poderia fazer nada, era meu pai. Que tanto adorava, agora tanto odeio. Ninguém se apercebeu? Todos se silenciavam, num silêncio perturbador, que me arrepiava, todos viam, o que não queriam ver. Mas todos jamais ousavam, soltar uma palavra, com medo de represálias, de marcas nas costas. O que é isso? Comparada com marcas, que me deixou! E agora ainda vivo com elas. Passado tanto tempo, terei desculpa para tudo o que faço? Não, se calhar devia condenar-me a mim próprio, mas não consigo, deixei de saber o que era o bem e o mal. Há muito tempo, agora apenas tento saciar o meu desejo, que aquele quarto escuro que tantas recordações me deixou, despertou para outras... Confissões de um pedófilo, resumidas neste excerto...
 
Quarto escuro que tantas recordações me trazes...

Presença da ausência

 
Presença da ausência.
Quando elas se fundem
e volvem-se numa só!
Num tormento em que permaneço,
sem ti, desvaneço...
Pensando na tua Ausência
quando cá, estás presente.
Abraço-te na ausência
para não ter que sofrer,
como se fosses minha
amiga, confidente,
dado ao meu ser ausente.
Ficara apenas umas
reticências... da presença
da tua vacuidade...num
quarto vazio onde já
foi teu, meu!
Numa página da vida,
que se transformou a
dita vida sem ti.
Num livro em branco.
Cheio de dúvidas,
tornando presente
o ausente ser que és!
Mas ficara, viva, pulsante
a tua presença em mim.
Apesar de teres morrido
num esquecimento sem fim,
a tua lembrança ainda
mora em mim!
Jamais irei esquecer.
Tornando a presença
da tua ausência, numa
realidade incontornável!
 
Presença da ausência

Sentimento

 
Sentimento
 
Quando te vi os meus olhos sorriram
Fazendo deles vivos como nunca antes
Formando então várias formas e cores

Como nunca anteviram
Meus lábios um riso
Entrando no Paraíso

Apenas vos declaro o meu sentimento
Que de tão arrebatador, não me afundo
Neste insensível e hipócrita mundo

Fazendo de cada palavra um momento
Inebriante que fazem os nossos sentidos
Ficarem calados, até com certeza mudos

Para ouvir dizer” Te amo meu amor!”
 
Sentimento

Hoje morri...

 
Hoje morri por dentro. Morri porque perdi uma pessoa. Perdi alguém a quem jamais pensei que poderia algum dia perder. Morri pois por mais pessoas que conheça, por mais amores que tenha ninguém se vai comparar a ela, pois tudo em que tocava tornava mágico, era uma pessoa inigualável. A vida vai continuar o sol vai nascer, como todos os dias, o rio vai passar como sempre passou, vou ver sempre as mesmas que encontro todos os dias. Mas eu, é que nunca mais serei o mesmo, pois perdi uma grande perda. Não vou dizer que me dói, mas e uma perda lastimável, que jamais sara. Não me arrependo de nada, voltaria a fazer tudo de novo, pois vivi intensamente cada segundo como se fosse o ultimo por isso a nossa relação ser tão especial. Não a odeio, jamais poderia odiar alguém que me fez tão bem, adoro desde o primeiro minuto que a conheci e vou continuar adorar. Jamais esquecerei dela, por mais anos que viva. Espero que possas ler, e sintas o que neste texto tentei transmitir, respeito e compreendo, mas acho que poderíamos continuar amigos, mas senão quiseres tudo bem, espero um dia voltar a poder andar lado a lado contigo e sorrir como um dia sorrimos juntos. Fazendo do sorriso o mais belo sorriso que vi ate hoje, para ti tu sabes quem és...
 
Hoje morri...

Porquê?

 
Porquê? Sim, porque me fizeste isso... Estragaste a minha vida. Ao não me dizeres, ao esconderes essa verdade, tinhas uma bomba nuclear nos teus braços. E nada disseste, que te fiz de mal, para merecer isso. Confiava em ti, como ninguém. Muitos já me tinham dito essa verdade que escondes, por detrás desse véu. Sei que perante esta sociedade, terias de esconder, mas a mim? Mas a mim que te sempre amei? Que lutei contra tudo, e todos, levando a minha loucura só para te ter a meu lado. E agora que me resta deste amor, que já passou? Um eterno pesar, da herança que ficou, que me deixaste quando partiste. Morreste e não soubeste me dizer, essa verdade que escondeste a vida toda. Agora aqui estou no teu túmulo, a ver-te a chorar. Mas não sinto ódio, pois amei-te como ninguém, só queria que me tivesses dito antes de partir. Que tinhas sida, mas agora já nada importa porque não te tenho aqui para dividir contigo este pesar. Para poder sorrir novamente contigo, e desejar ser novamente livre, desta prisão em que me deixaste....
 
Porquê?

O que é a vida?

 
Se não um reflexo, um espelho, de nós próprios, dos nossos olhos. Dizem que ela é um mar de rosas visto por adolescente. Que ainda não sabem o que ela é, dizem os mais velhos. Os adultos dizem que não é justa, porque nem sempre, alcançamos o que queremos. Mas se alcançássemos tudo o que queríamos passava a ser monótona e degradante a vida. Dizem que é uma eterna esperança. Devido ao facto que temos a ilusão de conseguimos algo, que sabemos nunca vamos atingir. É uma rosa cheia de espinhos, são as pessoas que sofreram e sofrem e quando olham a sua volta só vêem sofrimento. Para mim a vida é aquilo que quisermos, aquilo que estamos disposto que ela seja para nós. Não é um mar de rosas porque nem tudo é perfeito. Não é uma rosa cheia de espinhos porque não existe só sofrimento, existe também muitas alegrias se tivermos dispostos a receber essas alegrias. Esperança porque nela podemos lutar e tentar com que os nossos sonhos sejam alcançáveis, mesmo que pareçam utópicos a que lutar pelos nossos sonhos, e se tornem reais. E para vocês o que é a vida??
 
O que é a vida?

Junto as pedras

 
Cá me encontro, junto as pedras,
por sobre uma esplanada
Sinto-te em leve brisa ao meu rosto acarinhar,
e bem sabia que eras tu
Virei-me e senti,
como se uma imensa onda se rebentasse por sobre mim
Num turbilhão de imagens
e sentimentos que se embrenham
Não sabia o que dizer,
nem o que pensar,
Então te aproximaste ainda mais,
lentamente, e sorriste
um sorriso inebriante que me desapercebi do eu,
e cá estava,
Rendido,
a querer-te novamente
A desejar os tempos de outrora,
donde eramos um, tempo remoto...
Seria possível esquecer-me do que fizeste
e entregar-me a ti novamente?
Valeria a pena? - Assim indaguei.
Voltamos num só momento,
um para outro, num olhar.
Disseste-me: Olhe ao derredor,
vê a natureza a nossa volta tão bela,
Para que pensarmos no que o futuro nos reserva
Quando nada acontece por acaso,
e por isso cá estamos.
Depois de tudo que nos sucedeu, pensei...
Valeria então a pena reviver o passado?
E voltarmos as velhas feridas que jamais fecharam
Feridas que só me fizeram sofrer,
em desventura me encontrar.
Continuavas a mesma,
uma bela criança em sua meninice de amar,
que com o tempo se esmerava,
mas nunca deixará de ser menina mulher,
Surgi cá as dores, como dantes,
quando fugiste deixando apenas o cálice do sofrer
E agora queres fazer de conta que nada se passou,
como é possível poderes ser tão insensível?
Ei! Novamente partiste sem nada dizer.
Torno ao efectivo então,
desato-me das pedras de outrora que ao ser castiga,
Levanto-me, para viver, quem sabe n’outro dia te encontrar,
E quem sabe assim, escutar tudo que ainda não me disseste.
 
Junto as pedras

Quem és tu?

 
Quem és tu?
Tu que não consigo descrever em palavras...
Palavras insignificantes, para tua essência...
Essência que me faz viver, dormindo...
Dormindo porquê?
Porque vivo eternamente num sonho.
Sonho este que não posso acordar.
Acordar deste sonho seria como matar a minha alma
Alma minha de tão fraca que é, vive sempre sonhando
Sonhando o impossível desejando o inalcançável.
Inalcançável, se fosse alcançável continuaria a desejar?
Desejar claro que não, como qualquer outro ser humano deseja sempre o que não tem.
Tem apenas a si, e a vontade louca de querer tudo e o nada, restando apenas uma ilusão
Ilusão que se vai diluindo na vida, pois perceberam que só podem viver se tiverem uma coisa.
Coisa que alguns mortais chamam de amor, poetas a razão da luta incessante na vida.
 
Quem és tu?