https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de thanya

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de thanya

os sábios falam porque tem algo a dizer, os tolos falam porque tem que dizer algo (platão)

rosa negra

 
Como é difícil justificar
sem ser preciso procurar
um pecador com prazer
que sonhou sem viver

rosa negra sangrenta
pairando sobre o vento
entre as nuvens cinzentas
à procura de sustento

Cai aqui no meu poço desejado
esta rosa tanto esperada
sem um espinho escondido
achei o coração perdido
 
rosa negra

a mais bela noite

 
A mais bela noite
a noite de luar
agarro numa foice
à melodia de encantar

o teu corpo e o meu
mortos no chão
a alma que sou eu
que está viva, na solidão
 
a mais bela noite

feliz aniversário mãe

 
feliz aniversário mãe
 
Feliz aniversário
escrevi-te um poema
não usei um auxiliário
inventei-o pelo tema

Não tinha dinheiro
apenas criatividade
o sentimento é verdadeiro
e o poema novidade

Flores e guloseimas
todos os anos igual
as palavras que queimas
o que é perfeitamente natural
 
feliz aniversário mãe

se eu fosse um anjo

 
Se eu fosse um anjo
poderia voar
se eu fosse um diabo
poderia mandar
se eu fosse a natureza
poderia encantar
se eu fosse o vento
poderia viajar
mas como sou simplesmente eu
apenas posso sonhar
 
se eu fosse um anjo

sentido

 
Somos algo extraordinário
E ao mesmo tempo despreziveis
Não fazemos falta vivos
Também não o fazemos mortos
Ingeridos pela ganância
Depois vomitados pela confiança
Ou muito me engano ou a vida não faz sentido
 
sentido

NADA

 
Eu quis
escrever
um poema
em que
dizia
rigorosamente
nada,
nem uma
vogal,
consoante,
palavra
ou frase
nem um
ponto
ou vírgula,
apenas
NADA

A brincar com a poesia
 
NADA

Eu quero chorar

 
Eu quero chorar...
tu nao me deixas
eu quero esquecer...
tu não te queixas

cada lagrima
um tipo de sangue
cada pensamento
uma vida distante

culpo alguém
quem? Não sei!
olho os teus olhos
tu não o tens

passou muito tempo
já me sinto só
em nada me concentro
não quero estar só !
 
Eu quero chorar

Caminho sem destino

 
Caminho sem destino
de pés descalços
em todo o caminho
não me veio o cansaço

os meus pés sangram
como nunca vi antes
enumeras pedras pisei
todas cortantes

finalmente sedimentos
finos e macios
colam-se no meu sangue
até chegar aos rios

aliviado, o corpo
reage sem defesa
está pronto para outro
caminho da natureza
 
Caminho sem destino

meu eterno fiel

 
meu eterno fiel
mata quem tiveres de matar
meu subito leal
nada te é letal

canta para mim
voz doce e mortal
não me afecta a mim
teu corpo de animal

honrra-me meu aia
a vida te pouparei
ate à umbrae !
onde eu te esperarei
 
meu eterno fiel

vampiros

 
vampiros
 
os melhores amigos da solidão
nem só em sonhos aparecerão
o uivo dos lobos, a melhor melodia
ficam mais novos de dia para dia

uma imensidão de sangues percorrem-lhes nas veias
vasos sanguíneos idênticos a teias
de alhos e cruzes têem eles medo
deitam-se tarde mas levantam-se cedo

deixão descendência
com dois furos numa garganta
não se trata de delinquência
mas de ciência que espanta
 
vampiros

que mundo é este?

 
que mundo é este?

onde a sabedoria é desprezada
e a filosofia espezinhada

onde aprender é sacrifício
e o amor fictício

onde toda a gente chora porque quer
e toda a gente mente por coisas quaisquer

e onde matam seres fieis
para se sentirem reis
 
que mundo é este?

A solução

 
Eu quero fechar-me num quarto ás escuras
Apenas ouvir o eco da minha voz
Fechar os olhos sem juras
E quando os abrir não estar entre vós

O suicídio é um acto de cobardia
A dor permanece durante uns segundos
Já não havia nada que me desse alegria
Pode ser que a encontre noutros mundos

Faço-o ao som de uma música pesada
Para relembrar a dor passada
Ainda estou consciente...
O que acontecerá no próximo presente?
 
A solução

não quero

 
Não quero sorrir
Não quero mentir
Não quero chorar
Não quero amar

Não quero sofrer
Não quero viver
Nâo quero sentir
Não quero ouvir

Não quero ver
Não quero ceder
Apenas quero continuar a escrever
 
não quero

Gritos

 
aptece-me fechar
e gritaaaaar
vibrar com o acontecimento
sem vergonha!!

ouvirem-me em todo o lado
sem importância
olhar para o meu meio
rir do que digo

não ter pena de ninguem
mata-lo se me chateia
pisar uma formiga
berrar de estreia

maluca de todo
feliz por mim
sem nada para chatiar
gritar até ao fim
 
Gritos

aprendi algo enquanto vi

 
aprendi algo enquanto vi
devo olhar, olhar e olhar outra vez
olhar, olhar e olhar mais uma vez

pensar, reflectir e pensar novamente
até que a cabeça me doa e passe para a mente
e quando estiver quase a desistir
solto um sorriso e digo "eu vou conseguir"

corro nesta meta até ser atingida
aprendi tudo mas este tudo não é nada
nasço e morro algures nesta vida
mas nunca vou dizer "eu não aprendi nada"
 
aprendi algo enquanto vi

solto.me de uma chama

 
solto-me de uma chama
onde quase me queimei
olho em volta, estou numa cama
como é que aqui cheguei?

sinto-me vazia, incompleta
falta-me algo, ser poeta!
não encontro palavras
não encontro frases

não me encontro a mim
só te encontro a ti
o meu pensamento é involuntário
acontece tudo ao contrário!
 
solto.me de uma chama

Meu diabo

 
Rouba-me a alma
grande pecador
tu aqueces o inferno
e matas o senhor

És o diabo que eu procuro
na antipatia na tua face
mata por ser seguro
e retorna à tua base

Anjo das asas cremadas
e auréola ardente
sombra do meu corpo
da minha alma dependente

Soriso sangrento
do meu sonho desatento
o teu corpo de humano
a tua mente de animal
 
Meu diabo

Porque teve que ser esta cor

 
Porque teve que ser esta cor
porque teve que dar nesta dor
assim nada faz sentido
será que foi tudo bem merecido?

Que raio de jogo este
mais valia me teres tirado a vida
já que o bom não me deste
estaria agora no caixão metida

Em que beco me ei de enfiar?
já nem em mim posso confiar
as ilusões que me surgem na pista
mais valia não ser dotada de vista

Talves o consumo de algo letal
me possa levar ao sítio mortal
onde possa ouvir infinitivamente
Que tudo o que fiz estupidamente
não se tratava de um controlo mental
 
Porque teve que ser esta cor

Morte

 
sou apenas mais uma
alma dele, morta !
existente...
em mim não, nele!

eterna chama
como um pecado
chorando e rindo
continuamente

dizendo palavras
marcantes, brutais
escrevendo frases
directas, letais

babando sangue
silenciosamente
cortando o ponto
finalizado

correndo para ali
tapete da maldição
contra o movimento!
dificultando...

odiando a vida
matando a sorte
deixando a saida
caminho da morte!
 
Morte

não faz sentido

 
A minha alma não faz sentido
A minha esperança não faz sentido
O meu amor não faz sentido
A minha vida não faz sentido
O meu mundo não faz sentido
O meu poema não faz sentido
NADA FAZ SENTIDO!!
 
não faz sentido