https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de mariamateus

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de mariamateus

voluntariosa, amiga teimosa, persistente, pratico voluntariado há dez anos levando carinho, atenção e algum conforto aos mais necessitados, contribuindo assim para me sentir melhor comigo mesma. Sou mãe, amiga, companheira, tenho a minha gatinha que adoro

OLHO-ME...

 
OLHO-ME

Perdi-me na imensidão do sentir,
algemei os quereres em turbilhões sem fundo.

Longe de mim
moram distantes momentos
duma felicidade desconhecida toda uma vida.

Deixei de me querer.

Olho-me e nada vejo.

Apenas o silêncio faz eco
em pensamentos distorcidos
onde bate o martelar constante dos porquês.

Dias cinzentos são alma esmagada
por um querer sem sentido.

Mente chacinada
por desumanidade desse amor bandido.

Perdi-me no encantar de frases por ti escritas
qual serpente domesticada no assobio dos teus lábios.

Eras oceano
que banhava meu olhar intenso em ti,
luar celestial nos meus ombros por ti despidos.

Já nada importa.

Morri neste tempo em que te redescobri.

Tempo cortante!

Onde afago lágrimas
reprimidas numa dor sem fim.

Enterra-me bem no fundo
da tua mente alucinada.

Veda estes olhos que morreram por ti.

mariamateus
 
OLHO-ME...

Dois de amor (DUETO)

 
O amor és tu…

Deixamo-nos quentes
nos dias frios da Primavera,
escondidos por entre a folhagem
de Outono desmaiado nas searas de um beijo.

Um beijo dos nossos…

Lentamente
nos desprendemos do frio
dessas noites de Verão apaixonado
até voltarmos ao aconchego do Inverno.

O desejo em nós
é um relógio de chamas,
é a dança do tempo no nosso olhar.

O amor sou eu…

Somos a beleza
de uma neve romântica,
tão branca quanto esta pureza
que nos une num dois de amor.

Somos
a colheita
de uma paixão
que semeamos na certeza
das nossas mãos de inferno ansioso de amor.

Somos de nós vento do sentir,
tempestade de bocas escaldantes!

Amantes do sol nascente,
fusão do pôr-do-sol nos nossos momentos.

Nós somos o amor…

( Maria Mateus / Henrique Fernandes )
 
Dois de amor (DUETO)

LUAR QUE ABRAÇA MEUS OMBROS

 
Mais belo que o teu olhar,
só o luar intenso.

Luar este que abraça
meus ombros

caídos na dor
duma desilusão,

dum amor
outrora vivido
entre
afagos e sorrisos.

Noites quentes
numa ternura a dois.

Beijos tão nossos,

esquecidos
no cume da raiva,

no mergulhar em nada
do meu sentir.

Abraço-te em pensamento.
 
LUAR QUE ABRAÇA MEUS OMBROS

Nas mãos embalo saudade

 
Nos olhos
trago melancolia,
dor e sofrer por te perder.

Nas mãos
embalo saudade,
no peito bate açucarado
o reviver-te,
querer-te.

Minha alma
é mar embravecido,
dou-me à dor
numa espiral das falésias
marcantes da distância
do teu abraço envenenando o tempo
que não te traz de volta a mim.

Á MEMORIA DO MEU AMADO FILHO: IVO ALEXANDRE
MATEUS
 
Nas mãos embalo saudade

OLHA-ME NOS OLHOS...

 
Olha-me nos olhos,
já não lembras o meu olhar,

já não queres sobrevoar as estrelas
que a dois olhamos

e saltar a distância
que entre nós existe.

Diz-me,

se ainda
desejas os meus beijos,

o entrelaçar dos meus pés nos teus.

Quero olhar o luar,
vestir o teu corpo com a minha voz,

sentir-te terno,

apaixonado pelo meu Eu.

Vem amor.

mariamateus
 
OLHA-ME NOS OLHOS...

CADA MANHÃ MAIOR É O ABANDONO....

 
Se choro a tua ausência
mais que um dia vejo-me abandonada
na inquietação que rasga a mente
e me turva o meu pensamento.

Já nada saberás desta tristeza
que aniquila o pulsar do coração.

Encosto o pensamento à nossa mesa,
deixo cair as lágrimas juntas com o pão.

Vais regressar em cada lágrima
lentamente a escorrer-me pela face.

Cada manhã
maior é o abandono
que governará a minha solidão.

Na tua ausência
o teu toque reponho recordando-te
como recordo alguns sonhos
que a saudade conduz à ilusão...
 
CADA MANHÃ MAIOR É O ABANDONO....

COMO SE NADA DEMAIS A VIDA FOSSE

 
É na saudade de mim que me procuro,
nas colinas do tempo no silencio
agora companheiro da minha imagem

Entre prados verdes,de mil cheiros
no canto dos pássaros no som da
água que desliza da cascata.

Na melodia da cigarra.

Do ver-dor os dias alimenta, de melancolia
como se nada mais a vida fosse!
É na flor aberta,no pólen do pensamento que
renasce uma lágrima de mim ausente!

Um passado ainda recente no fervilhar,
da ilusão procuro curar as chagas da mente
juntar estilhaços duma vida crucificada
pelo tempo.

Mais forte que eu, aflui ao coração o fel
do esquecimento, entre a vontade distante
duma felicidade ausente em me reencontrar!!

mariamateus
 
COMO SE NADA DEMAIS A VIDA FOSSE

Estrada fora

 
Da minha noite
fazem parte os astros,
as rãs,
os grilos e sapos.

Estilhaços
da nossa história
regressam boicotados
entre lapsos de memória.

Febril,
demente,
não sei.

Habitas nas pirâmides
da minha alma,
erguida pela revolta.

Poli portas e janelas
com o descolorido da nossa paixão,
gritando calada na garganta esse amor
nas margens da aurora ardente,
brilhando pela manhã.

Dou por mim estrada fora
tacteando o chão sentindo a desilusão.
 
Estrada fora

ÉS PRESENÇA NAS ESTRELAS DA NOITE

 
Suave certeza do teu ser
Quando atravessas o meu pensamento
tudo se transforma tudo ganha vida,
sem ti, nada de alegre existe!

És presença nas estrelas da noite

Na luz do dia és a cor do verão que se
esconde,esperando o outono que se anuncia,
és alegria és a minha vida!

DEDICO A CUMPLICIDADE, AO AMOR E PRESENÇA!

DO MEU FILHO, NA MINHA VIDA!!

Nuno R Mateus c/
 
ÉS PRESENÇA NAS ESTRELAS DA NOITE

Ó mar doce mar

 
Ó mar
que bom é aspirar-te,
escutar teu lamento.

Pudesse eu
ficar para sempre em ti.

Juntar lágrimas
que banham meu rosto.

A beleza que tens,
alegras vidas quando em ti
entram para se banhar.

Destróis lares
levando muitos
que não mais
hão-de voltar.

Heróis do mar
que buscam o alimento
para muitas bocas saciar.

Ó mar doce mar
embala-me nos teus braços,
deixa que adormeça
ao som do teu murmurar.

Beleza falsa.

Não há
nada igual a ti,
lavas a minha alma.

Embala-me nos teus braços.
 
Ó mar doce mar

Poetas e poetizas

 
Poetas e poetizas
que vejo todos os dias,
agradeço profundamente
o carinho e força que me dão
para enfrentar cada dia.

Gosto de todos,
cada um de forma diferente,
aos amigos e amigas
sou leal para sempre.

Bem-haja a humanidade
neste site encontrada.

Deus abençoe
presentes e ausentes
nesta longa caminhada.

A vida…
 
Poetas e poetizas

SILENCIOSA NOITE......

 
Doí-me,
o pensamento árduo
do teu pensar.
Dói-me este sentir
ainda que meio adormecido
pelo brilho da lua.

Ofuscada
numa saudade
que me abraça sem saber
se sou tua.

Olho o firmamento,

coberto
das mais reluzentes estrelas.

A primeira que vi
fugiu pelo tempo tal o desejo
que lhe pedi.

Silenciosa noite
além do cantar dos grilos

que embala o meu sono
num breve instante
que adormeço.

mariamateus
 
SILENCIOSA NOITE......

PERDIDA

 
Soltam-se palavras
como
desalmadas lágrimas

no
ruidoso silêncio
duma tarde

em
pálido sol

de
Outono.

Gélidas vozes

como
maciças sombras,

teimosamente batentes
na
minha mente,

perdida no querer
dum tempo

de

te ter.

mariamateus
 
PERDIDA

Jardim de quimeras

 
Se o meu pensamento
pudesse virar o tempo
já estarias aqui.

De longe também se ama,
vai-se avivando a chama.

És senhor do meu sentir,
espiga crescente do nascer ao poente,
embalando docemente um sentimento
crescente.

Jardim de quimeras
no meio das primaveras,
cheiros amenos,
junco verdejante
que nasce à beira rio
que sem ti era vazio.

Vives no meu coração
que não aceita a versão,
um amor não pode ter distância.
 
Jardim de quimeras

QUEBRADA...

 
Se deixar de amar é morrer,
então morri.
Se chorar é quebrar,
estou quebrada pela dor
do teu desprezo.

Angustiado coração trespassado
pelas juras em vão
dum sentimento
por ti falhado

Nada temos em comum.

Desmembrada mente,
incapaz de sonhar quimeras
a dois.

Noites vazias pulsam no meu âmago.

Saudade repartida
em tons de nostalgia
onde se evaporam meus sonhos
dia após dia.

Perdi-me na imperfeição do amor.

Na alvorada cortante
bate incerto meu coração
descontente.

mariamateus
 
QUEBRADA...

PULMÃO DO MUNDO...

 
Noites frias,
dias chuvosos,
árvores desnudadas,
algumas folhas presas,
queimadas pela neve.

A tristeza invade-me a alma,
corrói a esperança dos meus olhos
verem flores tombando gentilmente
num convite ao inebriante cheiro
que de si emanam.

As cigarras morrem,
os grilos não cantam,
os pássaros piam com saudade
dos galhos vestidos,
servindo-lhes de abrigo.

Terras desabam
engolindo casas,
famílias,
levando vidas destruindo
a vontade de sorrir.

O mar revolto vem buscar
o que lhe tiram por direito,
o espaço e a liberdade,
os filhos que emanam
das profundezas desse amor.

Revolta a natureza
mostra quão egoístas somos,
destruímos a beleza da vida,
o pulmão do mundo,
o verde do sonho,
o querer da esperança.

Não apanhamos o papel do chão,
o cigarro que tresanda,
o lixo do leito dos rios risonhos
agora abandonados.

Mostremos a vergonha do nosso Eu.

Juntos faremos melhor,
limparemos,
teremos cuidado
com a electricidade e a água
na força da nossa união.
 
	PULMÃO  DO  MUNDO...

Amigos da escrita

 
Tenho o silêncio por companhia,
lá fora o mundo gira,
sinto-me vazia numa escrita
em mim desconhecida.

Que me perdoe
quem bem escreve,
nunca fiz poesia.

Aspiro aprender um dia.

Nos dedos sinto magia,
escrevo a minha vida
que de bom pouco tem,
só o milagre de ser mãe.

Não sabia
que existiam sites de poesia,
alguém me o mostrou,
tornei-me no que sou
psicóloga de mim mesma.

Amigos da escrita,
alguns virtuais nunca serão de mais.

Um arco-íris de luz,
saúde e harmonia,
continuem a escrever,
registo aqui a promessa
que vossos livros hei-de ler!
 
Amigos da escrita

A ti homem amado

 
Amor doce amor
sem tuas palavras
acompanhadas do teu EU
não vislumbraria a tentação
de aflorar tua boca com suaves toques
dos meus lábios.

Do sentir do querer,
rir, gritar, viver,
extravasar sentimentos soterrados.

A ti docinho e a mim,
elevo um cálice
do mais puro néctar da vida!

Companheirismo,
as chatices e a abertura
que existem entre nós dois.

Ao abraço
quando envolves
o meu teu peito que adoro.

A ti homem amado que respeito.

Teu sorrir
devolve-me a magia
de quando era muito criança.

Teu carinho
é pra mim chuva quente
em dias gélidos
e nefastos teus olhos
ora esverdeados
ora acastanhados,
relembrando-me o céu
nas tardes ainda quentes do Outono.

Ressuscitei ao mundo dos vivos!

Sinto-me esfinge moldada,
gota dum orvalho ao muito esperado,
dedilho nas areias da praia
o som de ambulante
das lágrimas sofridas
do calcorrear as duras penas
a esperança de vida perdida!
 
A ti homem amado

SORRISSO PERFEITO

 
Amei-te num sonho.

Desenhei-te
nas cinzas do cigarro
quando meus dedos
te queriam.

Despi o cansaço
de uma solidão,
prateada no negrume
do pensamento.

Lavei a alma
na paz do teu abraço,
deixando-me embalar
num arco-íris
de ternura cúmplice
no teu olhar.

Bebi
cada carinho teu
numa prece elevada
ao céu,
num vai e vem
do teu sorriso
perfeito.

Gazela.....
 
SORRISSO PERFEITO

REMAR CONTRA A MARÉ

 
Sinto um buraco na alma.

Na cabeça
um martelar acústico
de insatisfação,que
nada me leve ao extremo.

Estou cansada
de remar contra a maré,
dou-me à dor
numa espiral de lágrimas
ressequidas.

Na garganta,
estrangulados ficam
os soluços
por ninguém notados.

Receio ficar doida
passar-me para as margens
do além desconhecido por mim.

Que faço?

Quase não reconheço quem sou.

Na cabeça
sinto o bater de um pêndulo
do relógio enferrujado
por barulhentos
pensamentos dolorosos.

Sinto-me naufraga
num mar sem água
tal miragem no deserto.

Afundo lentamente
nesta morte em vida.

Gazela.....
 
REMAR CONTRA A MARÉ

MaRiAmAtEuS