https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de vanriz

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de vanriz

Deixa pra lá...

 
Deixa pra lá...
Os momentos que na garganta há um nó!
Saudade da boca, do gosto, do cheiro!
Que em mim, realizam por inteiro!
Mas, eu estou só!

Deixa pra lá...
A vontade que ainda existe...
Ao lembrar dos encontros que marcamos,
Aqueles!..que de amor nos acabamos!
Mas, eu estou triste!

Deixa pra lá...
Essa tristeza que domina a saudade...
Afinal, o que posso fazer é nada!
Afinal, fui um dia amada!
Mas, acabou a felicidade!

Deixa pra lá...
Os momentos de alegria passados...
O passado, não move montanha,
Só que ainda me acompanha!
Mas, empurro-o para os lados!

Deixa pra lá...
Essa intrusa angústia aflorar este dia!
Deve ser só mais um daqueles dias!
Em que não consigo escrever poesias!
Mas, luto contra essa agonia!

Deixa pra lá...
Esse frio que teima em ser vizinho,
Pairando ao lado do calor dos teus carinhos!
Ambos lutam pelo dominio dos meus ninhos!
Mas, ganha mesmo o carinho!

Deixa pra lá...
O carinho que sempre existirá...
A natureza tende mesmo a se modificar!
As tempestades podem se espalhar!
Mas, o tempo é quem saberá!

Deixa pra lá...
Se o tempo é mesmo mestre do saber...
Quer passem anos, nunca será tarde!
Para o amor invadir esse peito que arde!
Mas, será dificil esquecer!


16/01/2010

Van
 
Deixa pra lá...

Não sei mais sem você!

 
Toda manhã será sombria,
Mesmo com a luz do dia
Se escurecerá sem seu Bom Dia!
E eu pensarei...
Não sei mais sem você!

A tarde será comprida,
Mas passará sem sua vinda;
Soando apenas o sinal de saída.
E eu continuarei...
Não sei mais sem você!

A noite talvez aqueça,
Mesmo sem o sono que mereça,
Ouvirei tua vóz dizendo: Vanessa
E eu acordarei...
Não sei mais sem você!

A madrugada será mais cara
Pois pra dormir será rara,
Terminando enfim... clara!
E eu chorarei...
Não sei mais sem você!

Assim passarão longos anos,
Que envelhecerão pele e panos,
Consumindo todos ganhos.
E eu poetizarei...
Não sei mais sem você!

E se um dia houver um momento,
Em que você sair do pensamento,
Decerto haverá lamento
Pois assim morrerei...
Sem aprender viver sem você!

20/04/2011
 
Não sei mais sem você!

Imensa Distância

 
" A maior distância que existe, é aquela que separa a mente e o coração "

Um ótimo carnaval a todos!

13/02/2010
Van
 
Imensa Distância

O que eu queria...

 
O que eu queria mesmo na vida...

Era um simples atalho...
Que me guiasse ao monte,
Onde sentisse orvalho,
Onde enxergasse horizonte!

Um simples destino...
Que me levasse aos caminhos,
Aqueles que eu até imagino,
Aqueles dos teus carinhos!

O que eu queria mesmo na vida...

Era uma raiz mais profunda...
Que a chuva não arrancasse...
Ser mesmo primeira, não segunda,
A única que te completasse!

Uma cerveja sempre gelada...
Que não findasse o gosto da ilusão,
Ouvindo sempre a canção: És amada!
Aquela que escrevestes com paixão!

O que eu queria mesmo na vida ...

Era escrever um livro e bolar a capa,
Contando esperiência mesmo comum!
Desta vida, não pular nenhuma etapa,
Até as que não há personagem algum!

Era ter o mapa dos sonhos de criança,
Mapa da mina, tesouros de ouro!
Véus que vestem minha lembrança,
E dividem com você esperança no futuro!

08/01/2010
 
O que eu queria...

Amor e Lua

 
Nosso amor vive...
Todas as fases da Lua.
Navega desde o rio triste,
Até o mar da beleza nua...

Vezes parece Minguante,
Beirando 1/4 de amor...
Vivemos perto e distante
Sentindo frio e o calor!

Vezes a paixão reNova,
Beija o dia, acena ao sol,
Fala a noite, verso e prosa!
Respira o ar sob o lençol...

Assim, torna-se Crescente,
Pulsando o lento compartilhar.
Vezes a chuva cai sobre a gente
Outras o colo é abrigo para morar!

Assim, transborda a Cheia...
Seguidas doses de mel,
No corpo e na veia
Na terra e no céu!

Assim, nosso amor vive...
Eterno também como a lua,
Escrevo para que arquive:
Quero ser sempre Tua!

29/01/2009
 
Amor e Lua

a Ponte...

 
Toque telefone!
Por tantas ja quebrou,
a silente hora...
Falastes quando não estou,
agora negas aurora...

Esqueça as vezes,
que me irritou...
Sabe fazes felizes,
todas partes do que sou...

Toque telefone!
Traga sorrisos em palavras,
ou prosa do dia...
Aos ouvidos são caricias,
inspiração e poesia...

Arrastas por seu fio,
aquele sopro...
Que refrescas o cio,
de um corpo...

Toque telefone!
Extermine a distância,
a saudade...
Tua voz é fragância,
única realidade...

Faça jus a construção,
uma ponte...
Entre o amor e a solidão,
és a fonte...

13/02/2010

--
Van
 
a Ponte...

Viver Poetizado

 
Nas manhãs os passáros cantarão,
Beirando nossa janela...
E eu sentirei a sua mão,
Tocando-me e fazendo-me mais bela!

Nosso levantar se tornará tardio,
Mesmo se a visão for de um rio.
E se os dias forem de frio,
Nosso calor não deixará vazio!

Mas se porventura houver contenda
Essa loucura será breve...
E antes mesmo de uma prenda
Nossa conversa será leve!

O anoitecer será nosso encanto
Ainda mais que os cantos...
E dessa forma portanto:
Não haverá dias com prantos!

Nosso olhar sempre entoará
O que o mar não saberá levar.
O velho de novo revelará...
Que esse amor nunca vai acabar!

O que descrevo não é imaginário,
É apenas um viver poetizado,
Mesmo feito assim, solitário,
É sonho de quem é apaixonado!

Escrito em 21/04/2011, de improviso, atendendo a pedido de um amigo!
 
Viver Poetizado

Alma Dividida

 
Mãe,
Consegue dividir sua alma em duas,
Com a coragem de superar a dor
E com a sensibilidade do amor,
Faz das tristezas dos filhos, suas!

Feliz dia das Mães!
 
Alma Dividida

Doente no Deserto

 
Intento desejo incerto
Nesse inóspito deserto
Dúplice é conduta
Fazendo maçante a permuta

Como abdicar?
Como executar?
Tento apalavrar
Na esperança de sarar.

Desfalece a paciência
Aparece a consciência
Tem aspecto de equivalência
Mas prevalece a tendência!

Dotado de eminência
Esquiva-se da consciência
Pois só diante da presença
Que é curável essa doença!

Van
 
Doente no Deserto

Casamento

 
O Casamento é um abrigo,
Que buscamos até encontrar.
Companhia que é Amor e Amigo,
Acolhe, cuida e vive a nos Esperar!

22/11/2009

Van
 
Casamento

Tristeza da Manhã

 
Hoje eu não quero ler!
Então me disseram pra escrever;
Mas escrever sobre o quê?
Se nem mesmo sei o porque
Que desejo tanto o 'novo' ver!

Tenho ao alcance dos olhos, beleza!
Reconheço também tal grandeza;
Dessa força que move as nuvens que vejo
Trazendo sombra ao lado que almejo!
Então, por que insiste a tristeza?

É mesmo tola a emoção confusa...
Não passa mesmo de uma intrusa!
Se sobressai agora pela manhã;
Mas logo a tarde se fará irmã...
E eu não serei mais sua fã!

30/07/2010

--
Van
 
Tristeza da Manhã

Reencontro

 
Foi assim, diferente!
Entre o imaginário e o real,
De repente, fez-se presente!
Assim, da nossa forma, igual!

O frio tornou-se quente...
Num embaraço, sexual!
A tristeza ficou contente,
Nesta noite foi especial!

Após um tempo ausente,
Veio beijar-me afinal...
Gosto em corpo atraente,
Molhando-me em água pluvial.

Conhecido cheiro corrente
Do nosso amor arsenal..
Hoje não é assiduamente,
Mas ainda é actual...

Magia do reencontro carente
Num canto espreitando o eventual,
De um dia ainda mais sedente
Onde precisamos de um prazer total.

05/12/2009

--
Van
 
Reencontro

Amor sem lençol

 
A beleza...
Duma praia distante!
Onde o sol cobre o mar.
Reflete a luz brilhante,
Dos olhos querendo amar!

Teu olhar...
Nessa tarde semblante,
Um canto vem entoar!
Sob o céu elegante,
Anda-me a remar.

O mar...
Com ondas rasantes,
Chama-nos para mergulhar.
A água buscando horizontes,
Na areia vem nos molhar.

Teu corpo...
Molhado nas curvas dos deuses,
Sobre o meu vem consagrar.
Desde a pele aos dentes,
Teu calor vem enxugar!

O sol...
Pinta um sorriso na nuvem!
Marcando a tarde de verão.
Nasce clareando a paisagem,
Adormece aquecendo a solidão!

O amor...
Nascente como fruto natural...
Regado sob a luz do sol.
Tornou-se ainda mais especial
Sendo consumado sem lençol!

02/03/2010

---
Van
 
Amor sem lençol

Ser Humano

 
Somos semeadores de instintos,
Procurando sempre um solo fértil.
Somos de amor, sempre famintos!
O homem é bom e mau, é Viril.

27/01/2010

--
Van
 
Ser Humano

Amigos

 
Amigos são entes leais!
Entre sorrisos e lágrimas,
Inspiradores com palavras,
Perto ou longe são ideais!

Amigos também são amores!
Inesquecíveis aos anos,
Tornam-se puros e eternos,
Quando regados como flores!

14/01/2010
 
Amigos

Desejo em dilema!

 
Aqui, nesse canto, paro!
E lendo poemas, me encanto.
Em um instante me encontro...
Visualizando os meus dilemas!

Entro no desconhecido labirinto
Das sutis curvas do que sou...
Entre tudo que há anseio e instinto,
Sinto falta do que nem começou!

Daquele raio verde a me atingir a pele,
Que ainda brilha ofuscando a memória.
Das reações que ao corpo compele,
Sob o teu olhar no inicio da nossa história.

Aos fortes e leves toques dos teus dedos
Em que findei a noite embriada por teu cheiro.
Me perdi te revelando os meus segredos
E em pouco tempo, já era tua por inteiro!

Tornei-me por querer, refém do teu querer...
E ser tua por inteiro, decerto era demais.
A melhor opção foi tentar esquecer
Todos aqueles momentos especiais!

Só que hoje engasgo com meus desejos...
Que descem distintos pela razão e emoção!
O que fazer? Falar ou calar todos eles?
Que teimam em me acompanhar na solidão!

15/11/2011
Van
 
Desejo em dilema!

Quero um diálogo verdadeiro

 
O que eu quero mesmo na vida ...

É contemplar mais o belo,
Aprender com os momentos de dor...
E assim firma o elo,
Das amizades e do amor!

É liderar meus pensamentos,
Antes mesmo dos cinco segundos.
É liberar meus sentimentos,
Os melhores e mais profundos!

O que eu quero mesmo na vida ...

É ter a tranquilidade de criança,
Dormir com um sono mais justo!
Acordar com uma nova esperança
E aprender fazer de pouco, muito!

É ser mais criativa,
Inventar a alegria na dor.
Sair mesmo dessa rotina ...
Mudar mais o sabor!

O que eu quero mesmo na vida ...

É ter tempo para o Eu
No silêncio que o mundo não dá.
Trabalhar e chegar até lá,
Na janela que comigo cresceu!

É me esvaziar por inteiro...
Ter mais espaço para ouvir,
E quem sabe até atingir,
Um diálogo verdadeiro!

--
Van
 
Quero um diálogo verdadeiro

Lembro-me de quando o Amor era possivel

 
Lembro-me bem...
O portão já estava aberto!
Você adentro, inquieto,
Pois o tempo era certo.

Lembro-me aquém...
Meu carro fora das vistas,
De vizinhos ou turistas.

Lembro-me além...
Das cortinas à fechar,
O sofá imóvel, à esperar,
Nossos gemidos sem falar.

Lembro-me também...
Que o desejo suprimia o medo,
E de tudo que tornou-se segredo.

Lembro-me de alguém...
Que ora vestia-se de coragem,
Armando-se de casa até viagem.

Lembro-me de ninguém...
Que enfrentasse tão bem o imprevísível
Acreditando que o amor era possível!

05/11/2009
 
Lembro-me de quando o Amor era possivel

Dor

 
Desliza sobre um rosto abatido,
Lágrimas de um querer contido.
Produto da dolorosa partilha,
Que inconscientemente humilha.

Silêncio grita em apelo!
Você não ouve. Que desespero!
Se eu gritasse em vóz alta...
Perceberia o quanto faz falta!

Minha vóz ao teu ouvido
Ja não posso mais...
Seria opróbrio antigo,
Por isso permito. Vais!

Penso: Será que resisto?
Coração bate fora do peito,
Pois longe, não existo!
Só não tenho esse direito!

06/11/2009
 
Dor

Poeta

 
O poeta enaltece a dor,
Vive o passado e presente.
Descreve até o ausente,
Porque não esquecer o sabor!

Busca não ser superficial,
Fala de amor e paixão
De desejo e traição,
Porque tudo isso é real!

O poeta enfeita a beleza
Que por si só poetiza.
Fala do sol e da brisa
E por que não da tristeza?

Quando fala da alegria,
Por vezes fantasia
Em outras, poesia.
O poeta critica e elogia.

Dá vida ao imaginário,
Com anseio e o vigor!
Não se desprende do amor,
Mesmo ao viver solitário!

Em versos tudo cria,
Sente, vê ou imagina.
Não vive uma rotina
Porque viaja noite e dia!

24/04/2011
 
Poeta

Van