https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de OlharCativante

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de OlharCativante

Nós e o Mar...

 
Nós e o Mar...
 
Quanto tempo passa em cada minuto despido da tua pele?
Sinto a vida interrompida nos intervalos em que não acontecemos e a respiração suspensa no que não me canso de esperar.
E no tempo em que te demoras vivo-te intensamente do que me ficou do dia atrás.
Sinto a marca dos teus braços no meu corpo abraçado de saudades e a ponta dos teus dedos na pele que me tocas mesmo quando não me tens contigo.
Sinto-te chegar e partir no mesmo fogo antigo que, longe ou perto, hoje e sempre, nos consome.
O que somos não tem tempo porque existimos dentro e fora do pensamento...

Tu e eu somos o espaço imenso de um mar de amor sem fundo.
Navego-te na distância e, nas voltas que dou, nunca deixo de te encontrar.
Ausência é falta, é morrer sem deixar de respirar.

Se o mar me quer como eu quero o mar só a viagem me importa e a certeza que tenho de conseguir chegar.
A sede que temos de nós não nos deixará naufragar...!!
 
Nós e o Mar...

O Amor Por Ti Acabou

 
O Amor acabou
com ele vão os sonhos...
As história vividas
Lágrimas escondem sorrisos
que outrora soavam a alegria...
O sol esconde-se em noites sombrias...
As estrelas não encantam mais o cèu...
Sozinha agora,recordo um mundo só nosso...
Feridas se abrem,coração sangra...
Dor mata dentro do peito...
PARTISTE...
Nossas mãos não mais se enlaçam...
O silencio da ausência...
Sinto a falta da tua voz...
Os dias tornam-se banais...
A minha boca sente o frio
esperando pelos teus beijos...
Liberto as amarras...
Quero gritar apenas...
AMOR...
Ouve o meu coração
que não mais te esquece...!!

ALindaSereia
 
O Amor Por Ti Acabou

(Des) Esperança...

 
(Des) Esperança...
 
Há já algum tempo que não sei como falar-te.
Deixei de sabe-lo quando percebi que as palavras doem.
Doem como feridas, como golpes profundos que dilaceram os sentidos.
E em todo o tempo que não sei o que dizer-te, desejo em segredo poder segurar-te a mão, e não esperar mais nada.
Que tu também não esperes mais nada.
Que possamos ficar lado a lado, em silêncio, até que as palavras se curem.
Até que as nossas almas consigam encontrar-se, sem dor...
Conseguir explicar o que sinto por ti é impossível.
Fizeste do improvável perpétuo.
E o verdadeiro sentido que nos une é este amor nu e cru,
que me abarca o peito.
 
(Des) Esperança...

Timeless...

 
Timeless...
 
Não é o corpo que une o caminho que trilho na linha do nosso encontro.
É o tempo.
O tempo em que te bebo na luz que o teu sorriso me concede de olhos fechados,a demora doce do tamborilar dos teus dedos trémulos envolvendo a chama do meu peito.
É o tempo.
Esse tempo incerto e expectante que me ofereces na carícia ardente da tua boca,como se o beijo fosse eterno e nunca morresse nos teus lábios.
É a espera audaz sem procura do meu olhar que o teu calor me contamina, me a
faga e me acende o teu desejo.
É o tempo.
O tempo que perdura o afecto derramado na entrega, que absorve mas não extingue, apaixona, prende, reinventa e sente.
É o tempo.
O tempo que se esvai, que trilha linhas de despedida e encontro nos caminhos da tua ausência...!!
 
Timeless...

Geografia do teu corpo ...

 
Geografia do teu corpo ...
 
Lembro-me, de todas as estradas do teu corpo, sei-lhes as curvas, as descidas e subidas, não preciso de ter os olhos amplamente abertos para conhecer-te os desvios, os atalhos para o prazer que guardas em locais insanos.
Sabes bem que cada poro da tua pele é recanto que conheço, que cada gemido dos teus lábios é resguardo onde me abrigo, que cada gota da tua transpiração é em mim inspiração.
Não te esqueças como te descobri, palmo a palmo, dedilhando-te como a uma guitarra, noites a fio, na música constante das sensações que tivemos e sentimos como ninguém, nos arrepios da pele quando nos tocamos.
Nas longas noites, nas tardes que prolongámos, em passeios de dedos pelo desejo macio de corpos despidos, descobrimos o êxtase dos sentidos, bebemos nos lábios todas as vontades, e deixamo-nos ficar, perdidos no tempo, no momento de sermos nada mais que dois seres num só corpo metidos.

Lipy_29\10\2010

In My Memories...(ALindaSereia)
 
Geografia do teu corpo ...

Sonho de uma noite!

 
Sonho de uma noite!
 
Esta noite sonhei contigo que me tinhas vindo visitar.
fiz de ti um pedaço do meu ser,entreguei-me por inteiro.
confessei-te os meus desejos..contei-te meus segredos mais íntimos ao longo de todos estes anos.
voltaste a ser minha fantasia minha loucura meu desejo o meu tudo.
a noite foi minha companheira,quando sozinha no meu quarto,e contgo no meu sonho..me entregava por inteiro à loucura do desejo....sentia o teu toque..a tua respiração ofegante,a percorrer todo o meu corpo debaixo dos lençóis,a tua voz fazia-me perder os sentidos,desejar-te ainda mais.
as palavras já não as conseguia usar,só queria que o meu corpo te toca-se e pude-se dizer tudo que sentia.
Só o frio do lençol,me fazia acordar desse sonho.
pois neste quarto escuro,só imaginava o calor do teu corpo no meu,e não o ter é que me fazia acordar e voltar à realidade...mas no entanto teimava em fugir do que era real,pois só queria voltar aquele sonho,aquela ilusão,à ilusão de uma noite!!(dedicado a um anjo...)
 
Sonho de uma noite!

Não vou Mais...!!

 
 
Censurar os erros do passado...
Passarei a minha vida a limpo e
farei dos erros uma lição.
Fazem parte da minha evolução aqui,
Paciência...Continuarei a errar,
porque só erra quem faz;

Criticar ou tentar modificar alguém...
Mudarei,apenas,as minhas atitudes.
Vou mudar para melhor,sabes por quê?
Ganho eu e quem me ama também;

Abrir mão dos meus sonhos...
Lutarei sempre para que eles aconteçam.
Mesmo que eu leve uns bons tombos,vencerei meu o medo e continuarei a correr atrás do melhor para mim...!!
Colocar a minha felicidade
nas mãos de alguém...
Vou ser feliz de qualquer jeito.
De preferência,amando quem me AMA,
que tem preocupações comigo e luta para me ver Feliz;
Passar a vida esperando
pelo que desejo que aconteça...
Vou aproveitar hoje mesmo,
enquanto o amanhã não chega.
Aprenderei a curtir cada momento com o que existe de bom,aqui e agora;
Ficar com pena de mim
pelos meus problemas e tropeços...
Agradecerei a Deus a minha força
e por ter sobrevivido a eles.
Lembrarei-me sempre que dificuldade,em vez de castigo,é o maior estímulo à minha criatividade;
Ser pessimista e pensar no pior...
Ocuparei meu tempo com algo útil, que me divirta ou que possa ajudar alguém.
Vou esperar pelo melhor, valorizar cada amigo e cada coisa boa que aparecer na minha vida;
Despejar problemas nos ombros de amigos...
Aproveitarei a presença deles para me alegrar. (Quando muito,vou pedir um colinho...rsss.)
Saberei respeitar e preservar meus amigos, e, com tanto carinho e benquerença,nunca me sentirei só.
Querer ser modelo de perfeição
ou copiar o dos outros...
Vou me aceitar como sou, e dar
o melhor de mim em tudo que fizer.
Acima de tudo: amar, amar, amar...
e ser MUITO AMADA.
A partir de hoje,
vou viver plenamente,
sem medo e

MUITO FELIZ.
 
Não vou Mais...!!

Miss You...

 
 
Miss You
Sabias que as noites frias me aproximam ainda mais de ti?
É que na tua ausência instalou-se um campo magnético de brisas partidas ao meio, entre tu e eu, entre nós dois inteiros, a aquecerem por dentro tudo o que entre nós está mais além.
Não sei como consegues, diz-me como fazes para projectar na minha pele o holograma de murmúrios distantes do teu toque (e do teu beijo a arder na minha boca).
E eu não sou capaz, nunca fui, de soltar as amarras e ir à procura do nosso cabo da boa esperança, onde Fomos
– onde ainda Somos –
um quadro a óleo a transbordar para o mar, pintando-o de um azul estrondoso nas profundezas dos afectos saltimbancos.
Saberás tu que é definitivo o desmaio por onde atalhaste caminho no meu corpo?
Tu invadiste a minha boca com um archote e tudo o que digo, à luz da tua ausência, soa a espuma de fim de tarde a despedir-se da solidão.
 
Miss You...

CORAGEM...

 
 
Quantas vezes rimos, quando nos apetece chorar?
Quantas vezes damos coragem quando precisamos tanto dela?
Quantas vezes damos carinho desejando no fundo receber o mesmo em troca?
Mas orgulho-me da coragem que tenho.
A coragem que me acompanhou em todos os piores momentos pelos quais passei, a coragem de bater com a vida de frente e não me deixar derrubar por ela. De lhe dizer que a morte não foi inventada a pensar em mim e que quero viver. Não me deixarei derrubar, isso não.
A coragem de decidir que a dor não me tornará numa pessoa oca e amarga.
A coragem de me levantar após cada queda fosse no instante seguinte ou no seguinte momento.
Arregaçar as mangas quando ao meu lado todos me diziam que era melhor não, ou quando se davam por vencidos. Mesmo aqueles que me diziam: não sei como tens coragem...
Lutar enquanto valer a pena.
Sempre achei que basta o primeiro passo, depois a coragem vem por si só.
Coragem para dizer não, quando desejava dizer sim quando com essa palavra me magoava muito mais do que quem a ouvia, mas dizê-la mesmo assim, por sentir que era o que tinha que ser dito.
A coragem de não me deixar levar por sentimentos mesquinhos, por não odiar nem ter rancor de quem me fez muito mal.
A coragem de acreditar que amanhã, o sol estará além outra vez, independentemente da tempestade que hoje possa existir.
É disto que sinto orgulho de mesmo nos piores momentos, continuar com a coragem de acreditar que tudo passará. Saber que as minhas lágrimas podem servir para me dar força e não só para mostrar que sou fraco
E coragem para ter a humildade de baixar os braços e encostar as armas quando vejo que afinal a luta não vale a pena.
Mas o importante é nunca bater com a porta sem antes encarar certas fases da vida e poder mostrar a minha coragem.
 
CORAGEM...

A VIDA E PASSAGEIRA.....

 
 
Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais. Algumas, mesmo ainda em botão. Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira até que, pétala por pétala, tranquilas, vividas, se entregam ao vento.
Mas nós não sabemos adivinhar. Nós não sabemos por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor. E descuidamos. Cuidamos pouco. De nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos.
Perdemos dias, às vezes anos. Nos calamos quando deveríamos falar; falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
Não damos o abraço que nossa alma tanto pede porque algo em nós impede essa aproximação.
Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso" e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.
E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós. Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente.
Cobramos dos outros. Da vida. De nós mesmos.
Nos consumimos. Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que nós.
E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?
Isso faria uma grande diferença.
E o tempo passa...
Passamos pela vida, não vivemos. Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás. E então nos perguntamos: E agora?
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.
Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.
Não olhe para trás. O que passou, passou. O que perdemos, perdemos. Olhe para frente!
Ainda é tempo, de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor.
Ainda é tempo, de voltar-se para Deus e agradecer pela vida, que mesmo passageira, ainda está em nós.
Pense!... Não o perca mais!...
 
A VIDA E PASSAGEIRA.....

Contra A Corrente...

 
 
Só uma interrogação. Apenas uma. E no entanto a resposta seria suficiente para definir tudo.
Seja lá o que isso for. Tudo.
Dantes era assim que eu dizia.
Era assim que eu pensava.
Era assim que eu sentia:

O teu silêncio soa a dezenas de portas que se fecham, uma a uma.
Um eco que embate nas paredes frias do meu imenso medo de já não te ter.
E que se prolonga até eu ter a certeza que é esse o ruído de tu já não estares aqui.

Já não é assim agora.
O medo? Foi arrastado há muito pelas ondas de um oceano que vive dentro de mim e que eu desconhecia.
Agora ficou só a interrogação. Sem receios. Só a necessidade de qualquer coisa mais parecida com uma certeza.
Uma maré mais calma, que me empreste a sua cama de ondular suave para descansar e da sua espuma me faça sonhos.
Só isso.
Nada mais.
Não ser mais um barco contra a corrente do teu mar.
 
Contra A Corrente...

O Teu Nome...

 
O Teu Nome...
 
Não chegaste em manhã quente de Verão.
Não te amei à luz de uma lua de prata.
Não, não chegaste do nada quando já não imaginava que chegasses...
... porém juntos saboreamos um silêncio extasiado,
quando as palavras não eram de acontecer.

Gravei o teu nome num céu de todos os dias.
Nas noites claras és brilho mágico de estrelas
e em noites de breu aconteces para além de todos os Verões.

Nunca te chamei meu amor para não te perder em ilusões,
mas o teu nome na minha voz foi sílaba de um poema...

O teu beijo, trago-o na pele como um segredo que me faz sorrir,
um segredo que ninguém sabe,
que ninguém vê,
que ninguém pode ver!...

E à noite, quando te sei bem distante,
quem sabe em que ruas,
em que casas,
em que festas,
em sonos ou sonhos...

Quando sei que não me podes ouvir...
...chamo-te baixinho Meu Amor e aconteces em mim como eu sempre te sonhei…
 
O Teu Nome...

De Ti e De Mim...

 
De Ti e De Mim...
 
De Ti e De Mim...

A noite escondeu-se faz tempo...
A água e o Sol envergonhado parecem escutar cada palavra do meu corpo em direcção ao teu,
parecem segurar a chave que trago no meu peito que une e funde as nossas almas em momentos intensos... momentos de cumplicidade... em que à tua voz me entrego nua e vestida...
...uma e outra vez...sentindo o latejar do meu corpo consoante o teu desejo e à tua ordem...
Percorro cada pedacinho teu... do teu cheiro... do teu sabor...
Sabor que gravo e guardo na minha língua... sabor e cheiro que me acompanha à medida do momento...
e o tempo parece dormir como menino encantado... homem destemido, meigo.... de sorriso maroto... olhar profundo que quase dispensa as palavras... que sim, e que não...
Bebe em mim e de mim tudo o desejas, prendes-me e fazes-me tão tua... enches-me de ti... ao teu toque... elevas-me para que possa roubar o Sol e a Lua, tantas quantas vezes o imaginei... mandas-me parar... continuar...
Desejo-me Tua... e em palavra girada como cata-vento, ao meu ouvido... dizes-me És Minha... deixas-me sorrir, fazes-me louca, fazes-me mulher presa nas cordas, solta dentro de ti...
Sinto-me simplesmente feliz...mesmo que o fado nos escreva, agora,letras diferentes e que a vida nos coloque impossiveis de alcançar...

Fui tua, senti-te Meu...

DuduMary
 
De Ti e De Mim...

Vesti o Céu de Sonhos...!!

 
Vesti o Céu de Sonhos...!!
 
Recordações que o céu vestiu de sonhos e estendeu seu manto de mil estrelas sobre meu pequeno mundo que pouco a pouco adormeça...Fecho os olhos... Olho as estrelas e em cada uma delas invento uma historia para viver em cada um dos meus sonhos.... Lá bem no alto, onde quase a vista não alcança, uma luz pequenina e tremula chama minha atenção... Ela brilha suavemente e faz com que suas irmãs, mais próximas e bem mais brilhantes, deixam de existir...Olhando-te deixei me levar nos sonhos e vive sentimentos que pensava que tinha morrido...Olhei , olhei quantas vezes me perdi em teu brilho, pequena estrela...E contigo eu vivi os mais lindos sonhos de amor..Fui feliz como jamais pensei ser....
O silencio envolve a noite e a solidão apodera-se da alma. Sinto o coração bater devagarinho, torturado pela lembrança de uma melodia que fazia a noite brilhar numa doce magia... Chamo o sonho que tantas vez me embalou num doce beijo de boa noite...mas ele tarda e a manhã chega depressa demais...
Os sonhos tornam-se névoa densa que não consigo dissipar... O pensamento naufraga num mar de ansiedade que é atormentado pela falta de luz... luz que sempre conduziu a alma para um porto de abrigo, num abraço terno... Os sentidos, sensações gravadas no coração, transformam-se em melancolia, nostalgia de meu sentir, saudade que ainda faz com que ainda valha a pena lutar...e quem sabe, sonhar...
O céu vestiu-se de sonho mas esquece uma alma pequena que de olhar perdido, procura o brilho e o aconchego de um luar...caminho de luz que por um momento poderia guiar o pensamento para que também ela, fizesse parte de uma historia bonita, inventada no silêncio...

... no silêncio de um céu vestido de sonho...
 
Vesti o Céu de Sonhos...!!

O silêncio de nós ...

 
O silêncio de nós ...
 
Tocámos juntos o acerto das estações.
Vimos os ponteiros do relógio perderem o rumo à nossa existência.
As nossas mãos uniram-se num gesto comum.
Um amor infindável construiu-se das gotas de suor que derramámos, como quem sangra de si a existência, a fé e o pudor.
Respirámos no mesmo compasso.
Cantei no teu ouvido, segurei a tua pele, penteei os teus cabelos.
Tu cruzaste o teu olhar com o meu, como quem receia perder o instante mágico das noites de prata. Desenhei nas tuas costas o caminho dos amantes e o teu abraço selou o meu desejo às estrelas.
Na manhã, a chuva cessa. O sol irradia, indeciso.
O futuro que nos espera, também.
Pedaços de sentimento que formam papel de parede numa casa que passou a ser a tua.Cubro o rosto com os lençóis, ainda presos com o teu cheiro.
O meu corpo ainda guarda o ardor do teu toque.

Recordações.

Abro os olhos e lá estás tu..tatuado no eco das minhas palavras.

Loucura.

Voam sentimentos.. que penduro como quem estende a roupa branca.

Clarividência.

Ergo o meu corpo pálido e vejo teu olhar preso no horizonte.

Fotografia.

Vejo a casa e o cheiro dos livros.Sinto o canto do vento na janela.
Corto o doce que me deixaste na boca com um trago amargo de café.
O sabor que nunca passa.

Visto outra pele,outros olhos,e colo um sorriso falso no rosto.
O som da porta ao fechar,mostra o recolher de toda a dor que deixei para trás.

Fui a última nota que ouviste tocar.

In My Memories...(ALindaSereia)
 
O silêncio de nós ...

Momentos De Nós...

 
Momentos De Nós...
 
Foi num instante concreto de uma noite qualquer que as nossas bocas se encontraram no trajecto nítido de uma mesma palavra.
A mesma sonoridade tangível, o mesmo movimento dos lábios, materializando, mesmo ali à nossa frente, o que naquela hora certa precisávamos de ver. Ainda que só esboçado, para logo se esfumar. Concretizou-se, sim. Mas apenas e para perdurar como bruma que nos deslumbra e que habita entre e dentro de nós.
A fascinação que a tua mão provocou na minha permanece estranhamente intensa. Como matriz dos dias misteriosos que os relógios guardam escondidos para mim. Para nós. Gosto mais de dizê-lo assim.
Dessa noite de que te falo e que vai cruzando as nossas outras noites, deixa-me só recordar mais uma vez o aglomerado de destinos cintilantes acima de nós. Iluminando o trajecto seguro das nossas bocas na rota uma da outra... e de uma mesma palavra.
Há dias em que a falta que sinto de ti só é mensurável no silêncio oco de uma gaveta que se fecha.

Lá dentro só as palavras.

Aquelas.

As que ficaram por dizer.
 
Momentos De Nós...

Menina do mar

 
Menina do mar
 
Menina do mar!!! Ela ri-se. As palavras virão em tempo de ser. Agora corremos à praia. Descalças na areia, quais crianças felizes, sentamo-nos rindo na respiração ofegante. Nas suas mãos, a máquina fotográfica vai registando gaivotas, os tons azuis do mar, a brancura da espuma que se enrola a nossos pés, as arribas que nos rodeiam, as nossas pegadas na praia deserta. Olho-a. Afasta-se e a luz dispara na minha direcção. Não! Que chata! Roubo-lhe a máquina e ela aparece no visor. A menina do mar de costas, de frente, recortada num horizonte de espuma que encima ondas altas batidas por um vento forte.

E as palavras surgem nos seus olhos. Enterro melhor os pés na areia fresca. Sabe-me bem! Olho em volta a vegetação quase amordaçada por um vento constante que a não deixa levantar-se. Os seus olhos são todos os azuis do mar em tempos diferentes. Passam do azul brilhante ao cinzento de um dia de tempestade. Fala-me de dores no corpo e na alma. De sentimentos que julgara partilhados e são agora espuma levada no vendaval de emoções que é ela ali e agora. Não sorrio. Há lágrimas na minha alma por este saber… adivinho-lhe as angústias no azul profundo dos seus olhos. Fala. Nas suas palavras o querer ser inteira, plena na carne e na alma. E o cinzento azulado que são os seus olhos desliza na precipitação do azul profundo que reconheço. É o mar lutando pela terra que deseja. Este azul é este tempo de ser mulher. Entrega-se ao mar como amante fogoso e delicado em horas de paixão. Sorrio agora. Esqueci o cinzento nos seus olhos. A menina do mar levanta-se forte e desafiante. É vida para acontecer num semp

O pôr do sol foi coberto pela chuva que se abate. Corremos pela arriba. A noite passa lenta e acolhedora.

E acordo ainda imbuída do sonho que é aquele azul de mar nuns olhos que procuram vida por acontecer.
Espreguiço-me lenta no ritual que cada manhã tem para mim. Ainda é cedo! O meu leite frio é alimento apetecido sempre que acordo.

Sobressaltada olho o azul dos seus olhos sorridentes na manhã. Na casa a penumbra ainda domina. Ela chama-me. Anda! Vem comigo! Dá-me a mão qual imperatriz! Olho-a entre a surpresa e o riso. Espera! Quero o meu leite. És completamente maluca! Bebo o meu leite lento e olho o mar que se estende na minha frente ainda calmo. Não sei se o vento o virá inquietar. Arrepio-me! Corro para o seu quarto. Ela levanta o edredão e eu enfio-me e hummmmmmmmm tá quentinho e sabe-me bem! Rio-me nos seus olhos! Só tu! És doida mesmo! E recordações de infância sorriem-me na memória. São horas de prazer neste aconchegar.

Diz-me! Conta! Quero saber tudo! Eu dou gargalhada. Já sabes que nunca falo. Nãaaaaaaaaaaaa! Nem penses! Quero saber tudo! E a minha voz sorriu nas palavras. Falei do mar que me acolheu. Falei de um vento que tinha escrito palavras belas nas ondas de um mar em horas de espera. Falei de palavras que nunca tinha dito… falei da minha sedução numa hora de ir ser feliz. Falei num momento de ser única. Falei de horas onde a lua dava lugar ao sol tímido do acontecer. Falei de pétalas de rosas no momento de ser feliz. Falei da minha pele fresca a orvalhar. De um barco de mar passeando. De um sorriso nunca visto e a relembrar. Falei de um verde estranho no olhar que acontecia na minha carne e no meu ser feliz.

Levantei os meus pés rindo. Olhei as minhas unhas pintadas de branco como a espuma e a pequena rosa azul mar numa delas.
Ela deu gargalhada e juntou os seus pés aos meus. Aiiiiiiiiiiiiiiiiiii já sabes que tenho cócegas! Dei gargalhada alta. No meio do meu riso as palavras surgem altas e quase em soluços:

- Eu mato-te, menina do mar!
 
Menina do mar

A Fé

 
"Feliz é todo aquele que adquiriu o precioso
dom de transformar um quase-nada em quase - tudo."

A FÉ....

"É esperança a cada manhã
É olhar sem medo
O caminho desconhecido
È crer que vivemos além do que pensamos

È usar a força e a coragem
Que existe dentro de nós
Quando tudo parece perdido
É perceber que a vida é muito mais

É mover montanhas
Enfrentar perigos
Ser capaz de vencer o medo
É buscar a Deus

É um porto seguro
É vencer a angústia
De perguntas sem respostas
È compartilhar alegrias recebidas

É inverter o rumo da vida
Que não nos foi destinado
É seguir em paz a cada amanhecer
Na certeza de que o melhor vai acontecer

É ter um sonho para realizar
É caminhar até onde for permitido chegar
É ter esperança e amor
Para recomeçar quando preciso for

É deixar para trás
Tudo que a tristeza causou
De um passado morto, sem destino, sem cor
É crer que muito ainda temos a nosso favor

É buscar a luz interior
É acreditar e agradecer a Deus
Por ser um vencedor
Luz e amor no coração!"

"Segue aquele que te dê pouco e não
aquele que muito te promete."

"Bom se eu disser que esse poema não me fez chorar...estarei mentindo...
Estou em lágrimas...mas o bom de tudo isso...é a lição de vida...reclamamos muito...
E com isso deixamos coisas importantes em nossas vidas em vão...sem coragem de enfrentar...
Eu estou dizendo isso baseado na minha vida...vivo de lembranças...e vi aqui que isso não é bom...
E o meu presente...não me encaixo nele...preciso deixar o passado...preciso...sei disso...
Será que conseguirei? Espero que sim..."

Olha Dudu...Você com seus poemas...está me fazendo muito bem...acho que porque lhe conheço ja um pouco sei o que isso aqui significa para você ...você é tudo que está escrito aqui...nunca conheci ninguém assim...com uma alma tão pura...você me faz lembrar a atriz do filme..."Um amor para recordar"...com a sua simplicidae...meiguice...pureza...você Dudu é puro amor...
Parabéns e obrigada...um beijo do meu coração para o seu coração!! Malu Costa

Amigos queridos...tenho certeza que vocês irão adorar esse poema..."A FÉ"

Beijos a todos....amo vocês!
[/b]
 
A Fé

O Agora....

 
O Agora....
 
Assim como uma semente encerra em si mesma uma nova vida, cada instante, o Agora é o início de uma nova caminhada, mesmo que nem sempre tenhamos a consciência disto. Podemos seguir andando sempre da mesma forma, se assim o quisermos, repetindo o passado, carregando o peso de nossos erros, as tristezas de momentos que já foram vividos, mas também temos a possibilidade - e ela é real - de encararmos este instante como um novo começo, o início de uma história diferente, mesmo que com suas raízes no passado, em tudo que já sentimos, aprendemos e pensamos!

Este milagroso momento que vivemos é nosso instante de liberdade! Nele podemos escolher, podemos virar a mesa, podemos nos transformar. A cada instante estamos semeando o futuro e isto pode ser feito amorosamente e com responsabilidade, de forma clara, consciente de que a colheita chegará e que vai depender da qualidade do que estivermos fazendo no momento presente...

O passado já faz parte de nós! Estamos assim, agora, porque vivemos tudo aquilo de que nos recordamos bem, momentos que nos ensinaram e que nos moldaram, que nos transformaram em quem somos agora. Por isto, tudo que passou foi importante, mas não devemos viver repetindo e sempre relembrando o que já aconteceu.Vamos privilegiar o agora, com alegria e esperança, sabendo que nossa história está sempre recomeçando de onde parou...

Se já vivemos tantos momentos tristes, difíceis, felizes, amorosos, alegres e estamos aqui, agora, precisamos ter a confiança de que nos sustentaremos daqui para frente, aconteça o que acontecer. E de que sempre será mais fácil vencer, pois estamos mais fortalecidos pelas diversas experiências já vividas.

Importa ter esperança, acreditar que o novo está na nossa porta, dar sempre boas-vindas a ele e se entregar novamente, recomeçando, dando o primeiro passo e não apenas o passo seguinte.

Quando somos jovens, é bem mais fácil agir assim. Mas para os mais velhos é ainda mais importante trabalhar a esperança e a consciência de que somos eternos aprendizes, recomeçando e fazendo um caminho diferente. Pois, se não tivermos este cuidado, podemos nos colocar numa posição neutra, de não acção, quando deixamos a vida passar, sem realmente vivê-la, com todas as suas delícias e todas as suas surpresas.É claro que mudamos muito com o passar dos anos. Muito do que nos atraiu já não nos agrada. Chama-se isto de maturidade. Mas é preciso que não nos deixemos estagnar, apenas porque o nosso corpo já não é o mesmo. Pois nosso espírito é eterno e tem uma infinidade de coisas novas para aprender. A cada instante chega uma nova oportunidade e podemos e devemos estar conscientes dela...

Somos Todos Um em essência, mas nos expressamos de maneiras muito diversas, trilhamos caminhos diferentes e por isto, existem uma infinidade de coisas que não conhecemos, de caminhos que jamais trilhamos, de emoções que jamais sentimos, de pessoas que ainda não encontramos...

O nosso caminho é infinito, portanto, vamos andar! Alertas para o que nos acontece, para quem nos chega, para os que se vão, para o que sentimos. Para nos ajudar, para nos transformar, para aprender.

Vamos viver a plantar sementes, em cada momento presente. Que elas se tornem sempre mais saudáveis, mais puras, mais plenas de amor e de luz, para que o amanhã, não apenas o nosso, mas o de toda a humanidade seja mais feliz e menos denso.

É neste Agora que eu lhe convido à viver o mais plenamente, todas as possibilidades e oportunidades.
 
O Agora....

Passion Slut...

 
Passion Slut...
 
Esta noite, fui relento no esconderijo do Teu peito,vagabunda paixão nos passeios perdidos do Teu corpo.
Tu foste neblina húmida,orvalho-lume de Lua crescente,deambulante selvagem no calor errante das Minhas mãos.
Tu e Eu,
boémios amantes vagueámos escondidos no silêncio dos telhados que dormiam a Nossos pés.
No jardim amansámos a fome vadia do Nosso Amor,e sob luz do candeeiro,indiscreto farol dos Nossos desejos,segredaste-me:

- Quero ver-te.Quero lembrar-me de ti assim.
 
Passion Slut...

DulceMary
DulceMary