Eterna apaixonada...

 
Eterna apaixonada...
 
 
Serei uma eterna apaixonada,
Abracei-me nas fotos suas,
Penetrei meu olhar no seu rosto(meu),
Quanta falta seu sorriso me faz,
Quanto tempo levei para entender isso(errei).
Serei uma eterna apaixonada(por você)
Viverei para amar você(eternamente)
Quero estar no seu colo, sentir seu cheiro.
No aconchegos dos seus braços
No sabor doce dos seus beijos
No brilho encantador do seu olhar(profundo)
Serei sua eterna apaixonada(te amo).

[
 
Eterna apaixonada...

Entre o sol brilhante e a lua errante

 
Entre o sol brilhante e a lua errante prolongo esta paixão que me traz em pulgas, e me expõe a cada instante. Entre o nascer e o apagar da luz, arrasto este sentimento que cresce exponencialmente embora em silêncio, abrindo-me um sorriso que ilumina a noite incandescendo. Quando se fará isto que sinto audível em ti, sem sombra de duvida que assuste crianças no escuro, conduzindo teus dedos a meus cabelos rubros, teus lábios a minha pele pintalgada, teu ombro a minha cabeça deitada. Te espero ao amanhecer como quem aguarda o “trem das onze” que o há-de levar a casa. Te aguardo ao anoitecer com a vontade de desarrumar camas e salas, cobrindo-as de peças de roupa soltas, pipocas douradas, e caixas de chocolates recheados acabados. Podes chegar de manhã com um beijo apenas, mas prolonga-o, prolonga-o, prolonga-o. Apenas um, mas que seja longo e goooood.
Ilia Mar
 
Entre o sol brilhante e a lua errante

SILÊNCIO

 
Silêncio
Eu vou começar a escrever
Somente pelo prazer
O que sei e o que não sei
Que leiam ou não leiam
Para mim não tem importância
São palavras sem fragrância
Sem a leitura sequer merecer.

Silêncio,
Quero ouvir os queixumes
De todos os meus ciumes
Que não param de me falar.
Quero ouvir palavras do coração
Daquelas que nos embalam
Mas que de perfume exalam
Das pétalas de uma paixão.

Silêncio
Quero ouvir o doce crepitar
Dos meus lábios ao te beijar
Em plena madrugada
Sentir a tua pele acetinada
No meu corpo se deliciar
Saciando nossos desejos
Conjugando o verbo amar

A. da fonseca
 
SILÊNCIO

Se eu pudesse sonhar...

 
Se eu pudesse sonhar
De encontro ia aos teus braços
No teu coração faria o meu ninho
No teu corpo…o meu porto de abrigo.

Se eu pudesse sonhar
Envolver-te-ia ao meu coração
Sufocava-te de beijos
E morria de paixão.

Se eu pudesse sonhar
E viver em liberdade…
Em ti me saciaria
De tanta felicidade.

Amar em liberdade
É aproveitar ao máximo
Tudo aquilo que a vida nos dá.
 
Se eu pudesse sonhar...

UM INSTANTE EM NOSSO TEMPO*(Inédito!)

 
UM INSTANTE EM NOSSO TEMPO*

Bom dia Flor da Manhã...

Ela não responde resmunga alguma coisa e continua adormecida, vestindo ainda a sua camisa.

Ele romântico, cantarola... “ Amanhã de manhã vou pedir um café pra nós e fazer um carinho depois...”

Traz nas mãos uma bandeja com queijos e frutas, deixa ao lado da cama sobre um cadeira, que arrasta deixando ao alcance dela...

Embaixo da taça, com uma rosa vermelha, uma carta...

Ele a contempla com olhos que recitam uníssonos um poema de amor e sai cantando... “ Pensando bem amanhã eu nem vou trabalhar, e além do mais, tenho tantas razões para ficar...”

Mais tarde ela acorda e encontra a cartinha.

Começa a ler...

Minha Amada Flor

Queria recordar com você um momento nosso...
Faz tempo...

A brisa leve da manhã vinda do sudoeste massageava meu rosto, trazendo um aroma suave de flores daquela estação. O cheiro da relva contrastava com o sol do alvorecer.

Eu aguardava no jipe, a chegada da Flor da Manhã...
Ela apareceu como por encanto, linda como sempre...

Sua cútis dispensava qualquer maquiagem, corpo bem definido, cabelos negros em cascata pelos ombros, calça comprida de caimento perfeito, blusa de imaculada brancura, mangas curtas deixavam à mostra os braços bem torneados. Pele sedosa, levemente bronzeada pelo sol.

Seus olhos castanho-escuros, brilhantes, olhar angelical, até ingênuo, simples e profundo. A face de expressão decidida, já transparecia que... Um cérebro privilegiado trabalhava a toda....

Olhou ao redor e caminhou na minha direção, mansa e delicadamente, segura, mas leve como pluma. Graciosa como uma borboleta, daquelas que víamos aos milhares na clareira da mata...
Senti seu perfume suave!

Cheiro de fêmea, cheiro de flor, ainda úmida pelo orvalho da madrugada, cheiro de Flor da Manhã.
Abriu a porta, apoiou-se no suporte de embarque e se acomodou.

Olhei-a de soslaio.

Cumprimentei-a com um aceno.
Murmurou algo delicado.
Agradável.
Inteligível.
Bastava o olhar!
Admirava-a.
Sentia-me embevecido com a sua presença!
Aquela sensação tomava conta de mim e paralisava meus pensamentos!

Partimos em silencio, envoltos em nossos pensamentos pela estrada de terra batida, pelas pradarias do Pontal do Paranapanema...

O vento entrando pelas janelas, esvoaçava os nossos cabelos, enquanto seguíamos céleres ao nosso destino.
Éramos ela, eu e o jipe, nosso cavalo de aço inseparável!
Muitas fazendas para cumprir o calendário de vacinas do gado da região.

O dia passava, naquele laborar aguerrido, que para nós era um só delírio...
Eu e a Flor da Manhã...
Penso nisso e me transporto...
O tempo é conexão mágica, agindo no presente, em meu pensamento.

Boiadas de nelores, tão brancas, no prado verde como se fossem pipocas em mesa de bilhar, aos montes em tantos cercados, tantas cercas...

Fronteiras existiam, algumas podiam ser ultrapassadas outras não.
Mas Fronteiras existiam...

Minha Flor da Manhã, de todas as manhãs...
Você minha amada...
Bom Dia Flor da Manhã!
Flor de todas as manhãs!

Acordou?

Beijos do seu amado.

Fique comigo...

Ibernise feat Intrépido.
Indiara (GO), 07.09.2008.
Inédito!
Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.
 
UM INSTANTE EM NOSSO TEMPO*(Inédito!)

Clauus

 
Clauus
 
Aprecio cada visita ao único espaço em que podes ter ligação
Sei que não me esqueceste no mais alto nível do meu ego
Abençoo a tua felicidade e refugo toda mágoa em meu coração
Que vai evaporando mais rapidamente para meu sossego
Relembro as pétalas vermelhas, a primeira vez em que recusaste
As pernas que temiam como varas verdes, as noites em branco que passaste
O sabor do café com o sabor do álcool, a tristeza contente da simples presença
Pensei ser mais forte que o ser, mais alta que o mundo, respirar o puro
Ter sempre a verdade, ser rainha de todos os reino e tornando-me Jezabel
Pisada por cavalos e comida por cães.
Sinto-me forte e altruísta e nesta utopia me sinto Fénix…Agora!
E renasço das cinzas muito mais sensitiva
Relembrando a tua força de vida que em mim nunca foi esquecida
Ficaremos em silêncio sabendo exactamente o momento certo
Depois de apontarmos armas e recolhermos os feridos
De seguirmos para lados oposto na linha do equador
Penso quantos tempo iremos demorar a dar a volta ao mundo
Ainda que não paremos em lugar nenhum, voltaremos a encontrar-nos de frente.

Cravo
Seu nome provém do latim clauus, que designa prego ou cravo. Essa denominação vem da especiaria cravo, proveniente do botão desta flor, de formato similar ao de um prego. Cravo vermelho significa que você vive para a pessoa amada.
http://naturavendas.wordpress.com/200 ... 6/a-linguagem-das-flores/
 
Clauus

PÁSSARO FERIDO

 
PÁSSARO FERIDO
 
Ele caiu numa armadilha traiçoeira
Porque não suportou a tentação
Iludiu-se com a beleza passageira
Agora está sofrendo na escravidão

Trocou a liberdade por falsas juras de amor
Tornou se pássaro ferido pelo o engano
Do que era tão belo só restou a dor
O seu coração chora no abandono

Pássaro ferido por que tanto choras?
Sofres por causa de uma mulher covarde?
Olhe ao seu redor onde moras
Há alguém que quer te amar de verdade

Não te deixes levar pelas as aparências
Veja em que estado te deixou a fantasia
Muitas são as lições que nos trazem experiências
E nos FAZ ver a luz de um novo dia

Pássaro ferido ame quem te quer
Alguém que quer curar a sua dor
Dê uma chance para esta simples mulher
Que sempre quis te dar amor

Em silencio ela sempre te amou com ternura
A mesma mulher que você nunca quis
Ela quer voar contigo nas alturas
Para sempre te fazer feliz
 
PÁSSARO FERIDO

A VIRAGEM DAS NOSSAS VIDAS [1]

 
A VIRAGEM DAS NOSSAS VIDAS (1)

Lembras-te quando nos encontramos
E os nossos olhares cruzámos
E deles saía o esplendor do amor?
Quis pedir a tua mão, não consegui
Mas vi que aguardavas o meu pedido
Mas na beleza do teu sorriso
Não tinha palavras, eu me senti perdido.
Aproximamos-nos e murmurei palavras
Que nem eu mesmo compreendi
Mas tu sim, pois que tu esperavas por elas.
Disseste-me mais tarde que não resististes
Porque as minha palavras eram de amor.
Queria pedir a tua mão mas como dizer?
E então num momento de coragem...
Não te pedi a mão mas as duas
Tu me as destes e selamos esse momento
Com demorado beijo e foi a viragem
Das nossas vidas.
Vidas de amor acorrentado
A dois corações apaixonados !

A. da fonseca
 
A VIRAGEM DAS NOSSAS VIDAS [1]

Fundamental mesmo na vida é amar-se

 
Fundamental mesmo na vida é amar-se
 
Fundamental mesmo na vida é amar-se, ninguém distribui pelo mundo o que não tem. As paixões advêm de seres de baixa autoestima, por não terem em si mesmos o suficiente vampirizam outros seres, em busca daquilo que supra suas deficiências afetivas. Aquilo que é sugado de fato não nutre mantendo o ser sempre faminto a vivenciar estados de depressão nos mais variados níveis da existência. Assim o ser que queira viver a beneficie do amor deve travar batalhas hercúleas contra suas paixões, armado do firme propósito de acessar e cuidar das próprias nascentes internas. Há de se levar em consideração que a evolução humana não caminha desvinculada da espiritual, que se recolheu ao plano interno junto com os mestres de alta evolução, portanto hoje tudo é dentro do ser e não fora dele.

O texto citado no comentário é apenas uma amostra do que se diz sobre a baixa autoestima.

Link da imagem do texto acima. nk:http://tratamentodadepressao.org/803- ... -estima-aprenda-libertar/
 
Fundamental mesmo na vida é amar-se

Como esquecer um amor

 
Como esquecer um amor

Amor, diga-me...
Quantas peças eu tenho que encaixar
Para me aproximar de você novamente?
Quantos rabiscos eu tenho que rabiscar
Para completar o seu nome e junto dele;
A palavra, eu te amo.
Você se tornou um quebra-cabeça para mim.
Que mesmo juntando todas as peças desse
Quebra cabeça você se tornou mudo nesse
Terrível silêncio que emudeceu
E calou o meu belo jardim.
Não é fácil esquecer um grande amor assim.
Não é fácil esquecer os beijos trocados
As juras declaradas, o conforto de um abraço.
Como esquecer um amor que nos fez tão bem
Que nos deixou mal acostumados num vai e vem
De carícias, de paixão,
Que nem mesmo os delírios do coração
Foi capaz de entender tamanha emoção.
Não dá para esquecer você...
Não me peça isso, não me peça para te esquecer!
Pois não consigo, fogem de mim quaisquer atitudes
Que eu possa ter para deixar de te amar.
Não me peça para te esquecer... Tentei... Tentei,
Mas tudo foi em vão, tudo ficou sem solução.
Se você quer me esquecer, tudo bem, eu aceito,
Mas não me peça para deixar de amar você!

Izaura N. Soares
 
Como esquecer um amor