https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de nereida

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de nereida

Só de pirraça

 
    Só   de pirraça
 
A saudade vem e me abraça
Sem que eu a chame
Nem a palavra declame
Surpresa fico sem graça

E, só de pirraça
Eu canto entediada
Uma melodia mesclada
Sem tino, sem graça

Transparente vidraça
Minha alma é assim
Presa na lembrança sem fim
Embaraçada e sem graça

Em pé:-manga arregaçada
Enfrento o dilúvio
Respiro eflúvios
E sorrio com graça!

Nereida
 
    Só   de pirraça

Voltando

 
[img align=center]https://www.luso-poemas.net/uploads/img59a320314c2ea.jpg[/img Voltando aos velhos amigos!
A saudade bateu forte.
E Deus é meu testigo
E me deu muita sorte.

Por motivos impensados
Um repente angustiado
Faz com que atrasados
Perceba os atos repudiados

Um chamado amoroso
De amiga cem-por-cento
Como amei:-foi carinhoso
Perdoa o contra censo.

Recebam pois,meu carinho
A todos que me sentiram
O bom filho volta ao ninho
Os maus fluídos se retiraram

Nereida
Obrigada a todos,recebam meu carinho.

Em especial à amiga Eureka! Meu apreço e grande abraço.
Te admiro Maria!!!!!

Nereida
 
          Voltando

Não nego

 
       Não  nego
 
Estou com medo.
Sim. Não nego.
Tento escrever.
Não mexo os dedos.
Mãe, venha escutar!
É poesia, é pura.
Mãe socorre,
Mãe escuta.
Estou com medo.
A vida é curta,
Não nego.
O futuro não enxergo.
Vou escrever um poema.
Não sei o tema.
Tenho medo.
Do obscuro,
Do futuro,
Não nego!!!!

Nereida
 
       Não  nego

Cantar das marés

 
     Cantar    das  marés
 
Ouço o cantar
das areias do mar
águas profundas onde
as sereias estão à dançar
//
Um ritual misterioso, frenético
e voluptuoso
Ouço o cantar das marés
ondas prateadas,refletem o luar
um convite para se amar
//
Deixar-se embalar em ritimo
de acalanto, encanto, aragem que
beija meu corpo
um convite para me banhar
//
Como a me chamar
suavemente deixo-me levar!

Nereida
 
     Cantar    das  marés

Jeito só seu

 
              Jeito  só  seu
 
Tão rica e deliciosa noite!
Em meu leito adormecida
Não estava só, esquecida
Não! porque em sonho houve pernoite

Em sonho vieste saudoso
E, eu com alegria te abracei
Com carinho que jamais imaginei
E te senti belo e formoso

Afagos com jeito só seu
Colado junto ao peito
Pulsando o coração com jeito
De dois, parecendo só o meu

Real devaneio:-- Sonhei?
Mas estavas tão presente
Sentindo o calor, não mais ausente
De repente um salto---acordei!!!

Nereida
 
              Jeito  só  seu

Acordaram as flores

 
              Acordaram as flores
 
Acordo pela manhã.
Acordados estão os pássaros.
Observo de minha janela,
Um presente: Bom dia!

Acordaram as flores.
Um presente na manhã.
Sinto todos os odores,
Sinto que não estas aqui.

Por onde andas amor?
Indagações me afligem.
A alma sofre com essa dor,
Que chego a ter uma vertigem.
///
Despierto por la manãna
Despierto estan los pájaros
Me acerco a la ventana
Un saludo al dia

Se despeirtan las flores
Un regalo a mi desajuno
? Donde estas carinõ?
Asercate, te espero con mi amores

Nereida
 
              Acordaram as flores

Minha vóz

 
     Minha   vóz
 
Minha voz não se faz ouvir
Por mais que grite
Letras garrafais em grafite
Em escritas do meu sentir

No lirismo da poesia
No que está na alma
Escrito em minha palma
Há um vácuo, vazia!

Vagueia por entre nuvens
Espalhando-se no espaço
Em folhas brancas eu faço
Arabescos que me convém

Minha voz não se faz ouvir
Mesmo que um megafone
Declamando o poema em seu nome
Nas entranhas de meu sentir

Nereida
 
     Minha   vóz

Oferenda

 
       Oferenda
 
Há todo um envolvimento e, movimento acontecendo, apetecendo...mais e mais.
Há uma ordem e desordem que cutuca e dispara meu coração batendo desenfreado.
Há um brilho intenso, sem compostura, de fácil leitura que os olhos traduzem.
Na face corada, na boca risonha, lábios carmim.
O que trazes pra mim?
Uma oferenda, um buquê de jasmim e, a certeza que estou
Amando!!!!

Nereida.
 
       Oferenda

Mesmo que tardio

 
                     Mesmo  que tardio
 
Porque o vazio em meu peito
Chega a doer, maltrata
Uma dor invisível, abstrata
Alma doente mostra defeito

Uma solidão que aniquila
Falta a palavra ,o carinho
Por onde ir, qual o caminho?
Seguir a ave tranquila

Em voo que liberta
Se tivesse eu asas
Voaria junto as águas rasas
Ou em planície deserta

Não haveria o vazio
Haveria a distância
Da dor que vivencia
Voo alto mesmo que tardio

Nereida
 
                     Mesmo  que tardio

A procura

 
             A  procura
 
Brumas do mar se levantam espalhando o perfume da maresia.
Nevoeiro cobrindo todo mistério escondido nas águas.
Exitando meus sentidos, meus inimigos, meu eu.
Passo pela névoa descortinando o escondido, minha libido a procura de teu amor bandido!

Nereida
 
             A  procura

Simplesmente

 
Simplesmente
 
Acaricio seus cabelos com mãos de fada.
Nossos corpos misturan-se com as areias do mar.
Gotículas das ondas respingam, são pedrinhas frias em nossos corpos quentes, na quentura da paixão, amor ,ilusão.
momentos de puro êxtase, o acontecer de um homem e, uma mulher. A beleza da natureza na composição divina do eu...e você.
Simples assim!!!!!

Nereida
 
Simplesmente

Da boca pra fora

 
    Da boca pra fora
 
Sua volta? não esperava!
Mas... só da boca pra fora
Chorei quando foi embora
Sorria enquanto chorava
**
Mas... não deixei ver
Nem transparecer a dor
Meu coração transborda amor
Insônia por ti até o amanhecer
**
Sim! te esperava
Contando os dias
Todas as horas,e via
O dia se aproximava
**
Meus braços num abraço
Meus lábios entre abertos
De muitos beijos cobertos
Corpos unidos num só enlaço

Nereida

Renasço a cada amanhecer
Me alimento de esperança
Sorriu ao produzir um verso
Cresço com a poesia
Em cada poema um novo dia
Me banho com raios de luar
Até o anoitecer
Nereida
 
    Da boca pra fora

Meu grito

 
     Meu  grito
 
Um grito na escuridão.
Mas ninguém ouve,
Ninguém soube,
Que era o grito de meu coração.

Em minha solidão permanente,
Meu eu, somente eu.
Sei que a voz correu,
Muito longe e tristemente.

A voz segue abafado.
As palavras querem voar,
Livremente pelo ar.
Como um canto eternizado.

Nereida
Amar é mudar a alma da casa.

Mario Quintana.
 
     Meu  grito

Basta

 
            Basta
 
Meu desejo que mude,
O tempo o vento.
Tire esse tom nude,
O cálice seja bento.

Viva sejam as cores.
As flores não sejam,
Pálidas, sem olores,
Suave perfume tenham.

Desejo que mude,
A oferenda seja farta.
Preciso que ajude.
Preciso dar um basta.

Basta! mudança,
Radical, bem vinda.
Desejo a esperança,
Pois meu coração bate ainda.

Nereida
 
            Basta

Meu abrigo

 
        Meu abrigo
 
Nesse momento tão só com meus pensamentos, ouvindo cada ruído, cada som, cada pingo de chuva, que nesse instante respinga em minha janela.
Um emaranhado de sons e, o cheiro de terra molhada, desperta em mim lembranças, no abrigo de minha casa, no aconchego de seu calor.
Procuro na calma apaziguar minha alma,meu coração. Num simples gesto, desligo o interruptor, desligo minha mente e... adormeço!

Nereide

Imagem do google.
 
        Meu abrigo

Ave de olhar cálido

 
   Ave de olhar cálido
 
O que sou?
Há todo um discurso
Que transcorre, segue o curso
Quem sou?

Não encontro a resposta
Pergunta de ontem, do hoje
Não há! talvez um forje
Escrita no papel e, será posta

Em letras garrafais
Sou a flor sensibilizada
De pétalas frágeis, não amada
Que as lágrimas refletem seus ais

Sou a luz de uma estrela
Apagada pela nuvem desgarrada
Sou folha levada na enxurrada
Sem a mão protetora para dete-la

Ave de olhar cálido
De rica plumagem
De cores que formam a imagem
Um ser que ama e, diz que tudo é válido

Nereida

De-me um ponto de apoio e,
Moverei o mundo.

Arquimedes
*****
 
   Ave de olhar cálido

Minha outra fase

 
   Minha outra fase
 
Minha fase é outra.
Sem rimas, sem arrimo.
Palavras soltas correm no espaço,
na pauta.
Sem falta saem do peito,reflexo da
alma, toque de flauta.
Parte de mim.

Nereida
 
   Minha outra fase

Sendo o que queira

 
                   Sendo o que queira
 
Me desprendo da matéria.
Sendo o que não sou.
Serei onda volumosa de mar raivoso.
Ou tranquilas águas de um lago azul.
Serei as pedras de um atol banhadas
constantemente, refletindo um caleidoscópio,
água, sal e sol.
Serei alvas conchinhas espalhadas, espelhadas de madre pérolas.
Serei peixinho prateado na orla mareando.
Serei sereia que mareia.
Sal, sol areia.

Nereida
 
                   Sendo o que queira

Vilania

 
    Vilania
 
Guiada por caminhos indesejados,
levada sem que seja perguntada:
Qual é seu sonho?
Onde é sua praia sonhada?
**
Sempre em areia movediça atolada, uma luta de braçadas no ar.
Sonhos levados pela ventania, pela vilania. Ah!! menina perdida, desejos tímidos, fugidios , roubados pelas quebradas da noite,
coberta por um manto estrelado e, pelas letras de uma poesia!

Nereida

Sonhos! nada mais.
 
    Vilania

Constrangimento

 
     Constrangimento
 
Meu amor está ausente,
e minha alma carente
não deseja o acontecido
e vou tecendo um rosário merecido

Aos Deuses, aos santos
velas em todo canto
velando seu bem estar
trazendo-o para comigo ficar

A ausência nescessária
causas temerárias
trouxeram o contrangimento
causando nosso sofrimento

Não há mal que não se acabe
eu sei... você sabe
tudo terá um fim
tu e eu, juntos em fim!

Nereida
**
O Amor é a força que

transforma o destino
Xico Xavier
 
     Constrangimento