https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Se tu viesses ver-me...

 
Se tu viesses ver-me...

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...



Florbela Espanca
( 08/12/1894 — 08/12/1930)
Autores Clássicos no Luso-Poemas

 
Autor
Florbela Espanca
 
Texto
Data
Leituras
1426
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
32 pontos
2
3
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
amandu
Publicado: 28/02/2010 20:01  Atualizado: 28/02/2010 20:01
Colaborador
Usuário desde: 24/03/2008
Localidade: LISBOA
Mensagens: 3651
 Re: Se tu viesses ver-me...
Sempre que te vejo tu és um sorriso diria o poeta em resposta a sua poetisa.
Sempre é assim na vida amar e perder a ocasião.
A mesma desgraça no Mundo pois creio que a isso se refere e mais de tudo o que é importante de ver.
É importante vermos a desgraça e não o conselho de quem é de graças.
Deus sabe sempre de ti e tu de tudo no meu ver.
Um abraço Florbela que é sempre bom rever.
Amandu

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/10/2014 11:45  Atualizado: 02/10/2014 15:34
 Re: Se tu viesses ver-me...
"Eu não sou como muita gente: entusiasmada até à loucura no princípio das afeições e depois, passado um mês, completamente desinteressada delas. Eu sou ao contrário: o tempo passa e a afeição vai crescendo, morrendo apenas quando a ingratidão e a maldade e eu a fizemos morrer."