https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

… no desalento, morri ontem

 
Não encontro as ruas do teu corpo
nem tão pouco as rugas onde te escondes
das sombras viscosas da vida.

Na deriva de açucenas boreais
acenas-me vaga-lumes de memórias,
em gestos baços onde se jubilam feras
encovadas em orbitas de algozes e carrascos.

Nos pomares de frutos empedernidos
asas de borboleta projectam-se encharcadas
e luzidias em sussurros sinistros.

Nos montes há muito que se calaram as cotovias
e as cigarras mudas entoam-se no bater das horas
dos pêndulos desajustados dos nossos dias.

Corcunda, a madrugada, rasteja-se na fuligem
aniquilada de um vento…

… no desalento, morri ontem

carcomida p’lo gorgulho e o caruncho,
no acre húmido e pardacento
do desfraldar de asas retorcidas
de pássaros decrépitos e decadentes,
tombados das pernadas arrancadas
às arvores, por si já feridas.


MT.ATENÇÃO:CÓPIAS TOTAIS OU PARCIAIS EM BLOGS OU AFINS SÓ C/AUTORIZAÇÃO EXPRESSA

 
Autor
Mel de Carvalho
 
Texto
Data
Leituras
2819
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
33 pontos
9
0
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2007 18:36  Atualizado: 23/07/2007 18:36
 Re: … no desalento, morri ontem
E nesse desalento, também morrí, ontem"!
Beijo, Mel.

Enviado por Tópico
Juraci Rocha Silva
Publicado: 23/07/2007 18:47  Atualizado: 23/07/2007 18:47
Participativo
Usuário desde: 09/06/2007
Localidade:
Mensagens: 45
 Re: … no desalento, morri ontem
Oi Mell. Todo sentimento do mundo, tivesse esperado um pouco mais, uma luz havia de surgir no horizonte...

Enviado por Tópico
Tália
Publicado: 23/07/2007 18:48  Atualizado: 23/07/2007 18:48
Colaborador
Usuário desde: 18/09/2006
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2503
 Re: … no desalento, morri ontem
Querida Mel
Sabes que adoro o que escreves mas sinto que em cada texto que que nos deixas morre um pouco de ti...

Um abraço grande

Tália

Enviado por Tópico
Paulo Afonso Ramos
Publicado: 23/07/2007 19:46  Atualizado: 23/07/2007 19:46
Colaborador
Usuário desde: 14/06/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2094
 Re: … no desalento, morri ontem
Querida Mel

É este o outro lado?
O lado negro-fusco do paraíso que te inspira?
Seja o que for... é estrondosamente poético e faz-nos desejar... mais!

... no talento, não morreste ontem

Creio até que nunca morrerás!

Beijo Eterno

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2007 20:04  Atualizado: 23/07/2007 20:04
 Re: … no desalento, morri ontem
Uma espécie de poema-metamorfose, feito de densas imagens, que nos confundem numa espécie de beleza atroz o suficiente para, numa primeira impressão nos sentirmos ao mesmo tempo leitores- participantes em compaixão, e depois, fatalmente atraídos para a névoa que envolve os lugares que não conhecemos, e onde os cogumelos nascem nas fezes das feras, que afinal somos nós próprios, quase sempre.
Esta Mel, que se pressente poema a poema, cordeiro e fera, muitas vezes só borboleta que anuncia a morte, a razão primeira afinal de qualquer metamorfose, morre vezes sem conta nos escritos que lhe ensinaram os silêncios urdidos dos gatos.
Para a encontrar, procurem-na no mais vivo dos lumes-farol, guiando o caminho daqueles a quem um dia o mar bebeu a alma e navegam agora na vontade de se perderem no tempo.
Mel-poema, meu alento.

Enviado por Tópico
Le Tab
Publicado: 23/07/2007 21:30  Atualizado: 23/07/2007 21:30
Membro de honra
Usuário desde: 02/02/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1460
 Re: … no desalento, morri ontem
Não morras das palavras, não morras o que existe maravilhoso em ti, belo por demais para se deixar morrer. Bjs

Enviado por Tópico
MariaSousa
Publicado: 23/07/2007 22:48  Atualizado: 23/07/2007 22:48
Membro de honra
Usuário desde: 03/03/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4096
 Re: … no desalento, morri ontem
E não avisas quando morres, Amiga?

Belo!

Deita fora o orgulho!

Bjs

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 24/07/2007 14:46  Atualizado: 24/07/2007 14:46
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: … no desalento, morri ontem
Querida Mel, o poema está lindo, embora muito triste.
Confesso que morri um pouco ao lê-lo, de tão intensamente o sentir.
Minha amiga, espero que tanta tristeza não passe de poesia. Bela!

Beijo grande

Enviado por Tópico
goretidias
Publicado: 30/07/2007 19:08  Atualizado: 30/07/2007 19:08
Colaborador
Usuário desde: 08/04/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 1237
 Re: … no desalento, morri ontem
Essa madrugada corcunda assiste-nos em cada amanhecer desolado...
Excelente poema|
Bjs