https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A Um Cão Vadio

 
Open in new window


Te compreendo amigo.
Vagas a sós a mendigar
comida e carinho.
Os olhares se privam
de sua presença.
Já não lates a estranhos,
não corres atrás de pneus
ou te escondes de rojões.
Sobrevives solitário e apático
dentro de seu território demarcado.

Tu és magro, amigo,
de dar dó.
Seus pêlos brancos, empoeirados,
curtos e desgastados.
Focinho fino, olhos negros
e tristes
sem nenhuma consoloação...
És como a lua encoberta
pelas nuvens,
que já não te inspiras fé,
para saudá-la
com seu uivo.


Niterói (Praça de São Domingos), 28 de setembro de 2006.


www.romulonarducci.blogspot.com

www.evoetaverna.blogspot.com

 
Autor
RomuloNarducci
 
Texto
Data
Leituras
748
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
3
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
carolcarolina
Publicado: 29/04/2010 15:14  Atualizado: 29/04/2010 15:14
Colaborador
Usuário desde: 24/01/2010
Localidade: RS/Brasil
Mensagens: 9297
 Re: A Um Cão Vadio
Poeta Romulo!

Seu poema é realmente a situação dos pobres animaisinhos que vivem nas ruas. Eu fiz um poema e talvez logo mais o poste aqui no luso.
Falando justamente de cachorros que são a minha paixão.
Sabe, tem pessoas que depois que eles ficam velhos se descartam dos animais com se fossem meros objetos.

Parabéns pela inspiração que é verdadeira.
Bjo no seu ♥
♫Carol


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/11/2014 03:41  Atualizado: 02/11/2014 03:41
 Re: A Um Cão Vadio
Comovente e realista,é bem assim mesmo que acontece em todo o mundo,sempre tem um abandonado.