https://www.poetris.com/
 
Contos : 

Mordomo II

 
Tags:  justica  
 
Habituou-se a acompanhar os convidados à cave, no mais isolado dos silêncios. Conhece as escadas de olhos fechados: o frio cadavérico, o cheiro a mofo e o toque esponjoso dos limos debaixo dos pés. Cada ângulo da descida, é-lhe familiar desde sempre. Aliás, não tem recordação de outro lugar, nem de si, em outra forma que a presente. Não teve infância, juventude ou meia-idade. Carrega uma corcunda velha e o nariz encurvado sobre a boca, lembra o bico do abutre. O fato, irrepreensivelmente passado a ferro, bem podia ser o de um cangalheiro intemporal.

(Continua)


Boa semana!


Garrido Carvalho

Abril '10
 
Autor
Garrido
Autor
 
Texto
Data
Leituras
659
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.