https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 5 »
Offline
Garrido
Ocio
O ócio encurva, o trabalho endireita.
Enviado por Garrido
em 16/05/2010 21:33:58
Offline
Garrido
Mordomo (Fim)
Ali, todos são condenados, e às vezes, pensa, também ele próprio, e até, talvez, o seu amo. De re...
Enviado por Garrido
em 09/05/2010 22:02:39
Offline
Garrido
Mordomo II
Habituou-se a acompanhar os convidados à cave, no mais isolado dos silêncios. Conhece as escadas ...
Enviado por Garrido
em 01/05/2010 16:33:01
Offline
Garrido
Mordomo I
O principal incómodo não é, sequer, o sentido de injustiça. A remoer, fica apenas uma certa malda...
Enviado por Garrido
em 25/04/2010 21:34:31
Offline
Garrido
Isso Basta
Todos os dias sai do carro disparado, indiferente aos apelos da mãe. Todos os dias deixa de a ouv...
Enviado por Garrido
em 06/04/2010 21:49:41
Offline
Garrido
Trivialidades Surpreendentes
Quem imagina as consequências de uma trivialidade. Vem pelas costas, a resposta à questão. - Caro...
Enviado por Garrido
em 21/03/2010 20:16:48
Offline
Garrido
Guilherme
«Tenho de ir... Danados! Ainda me apanham. Se eu pudesse ficar... Eu tenho de ir. Se eu soubess...
Enviado por Garrido
em 14/03/2010 21:00:39
Offline
Garrido
Resoluta
Resoluta, enfiou a mão no saco. Esperava descobrir, nesse gesto, porque aceitara o desafio, mais ...
Enviado por Garrido
em 01/03/2010 22:20:03
Offline
Garrido
As Voltas das Serpentinas (II)
O desejo mais bem escondido era admirarem-lhe a originalidade. Imaginava-se um excêntrico, ainda ...
Enviado por Garrido
em 21/02/2010 21:10:39
Offline
Garrido
As Voltas das Serpentinas (I)
Três dias. Três dias de festa. Ano após ano, reina a folia, mesmo para personagens menos provávei...
Enviado por Garrido
em 16/02/2010 14:41:09
Offline
Garrido
Sem Nada Dizer, Digo-te Também
Sem ainda nada ter dito, Quero já, também dizer-te, Na Babel que não acredito, No labirinto da in...
Enviado por Garrido
em 07/02/2010 20:40:56
Offline
Garrido
Reprojectar
Construo, o amanhã desmoronado. Aplico um tijolo, vermelho sangue, Com argamassa no muro já grand...
Enviado por Garrido
em 31/01/2010 21:21:39
Offline
Garrido
Ternura de Chorar
Amo... Amo e choro. E choro porque amo, Choro porque amo a vida. Choro pelo afirmado sacrifício, ...
Enviado por Garrido
em 18/01/2010 23:17:08
Offline
Garrido
A Brisa Também É Tempestade
É suave a brisa, - Murmúrio entalado - A varrer a erva rasteira, E vigorosos montados. Abana uma...
Enviado por Garrido
em 03/01/2010 17:09:13
Offline
Garrido
Dilema
- Vai-se andando... Mais ou menos... Assim, assim... Tudo menos abanar o vespeiro! Nem fraqueza...
Enviado por Garrido
em 27/12/2009 18:17:10
Offline
Garrido
Habitante da Floresta
Não semeio árvores! Assisto ao seu nascimento, Impávido, sofredor das fragilidades Surpreendente...
Enviado por Garrido
em 13/12/2009 20:34:11
Offline
Garrido
Viva!
Duplamente lixado, É o inocente. Não basta a condição inerente? De partida, precisa vencer A pró...
Enviado por Garrido
em 06/12/2009 15:18:08
Offline
Garrido
Poesia
Perfumes difusos, Sabores... a frutas, a lágrimas ou a cianeto. Sentir... Na pele o gelo, E o env...
Enviado por Garrido
em 01/12/2009 16:54:50
Offline
Garrido
Vira-Latas
Vira-latas de olhos tristes, E rabo entre pernas, vivendo da fome, O medo encarnas. Passo por ti ...
Enviado por Garrido
em 22/11/2009 21:28:29
Offline
Garrido
O Que E Doce Também Amarga
Falaram a um arquitecto, Para lhes desenhar um lar. Apresentou-lhes um projecto, Um grande paláci...
Enviado por Garrido
em 16/11/2009 21:56:34
(1) 2 3 4 5 »