https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A Uma Dançarina do Ventre

 
Sagrado, sagrado, sagrado
Os seus gestos a hipnotizarem
A minha vulgar e apaixonada visão.
Virtuoso o seu ventre a serpentear
A libido inescrupulosa e platônica
Que me alucina em súbita antalgia.
Sagrados e virtuosos são seus pálidos
E misteriosos olhos azuis
Em que eu mergulharia
Minhas vãs e ocultas fantasias.
A plenitude de seus lábios
Num sorriso condutor de meus pobres desejos.
Ah, como eu desejaria!
Ah, como eu desejaria!
Suas madeixas ruivas a envolverem
Seu corpo belo e alvo numa dança erótica,
Num contato híbrido de nossos corpos
Nos gozos lúbricos sempiternos
Em que eu uivaria.
Sagrado, sagrado, sagrado
O seu corpo a coreografar
O ensaio do desejo de alcova
E do puro desejo de amar.
Sua virtude é sua existência,
São seus guizos a ecoarem
Em meus atos de cobiça e penitência
Para que um dia num cortejo sonhador,
Sua saliva em minha boca
Eu possa provar.


Open in new window


Poema do livro Orações Licenciosas (Ou Cancioneiro Erótico), Romulo Narducci.

www.romulonarducci.blogspot.com

 
Autor
RomuloNarducci
 
Texto
Data
Leituras
504
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
shirley
Publicado: 03/05/2010 21:11  Atualizado: 03/05/2010 21:11
Da casa!
Usuário desde: 22/06/2008
Localidade:
Mensagens: 351
 Re: A Uma Dançarina do Ventre
Não tem como não se fascinar pelos movimentos sinuosos da dança do ventre, pois é uma dança exótica e enigmática que inspira até mesmos os poetas. Beijos