https://www.poetris.com/
 
Textos : 

com pé.

 


. façam de conta que eu não estive cá .



compreendo que os lugares estejam onde os corpos estão e por isso compreendo que os corpos tenham subitamente desaparecido. ao princípio da noite passou por mim um homem com alguns lugares às costas e outros tantos enfiados debaixo do braço. perguntei-lhe para onde ia. não me disse nada. nem me atrevi a segui-lo, com tamanha desenvoltura andava que a certa altura os pés parecia que lhe saíam do corpo. sempre quis os pés fora do corpo, passear as pernas em osso. carne viva. gosto de ver acontecer a vida dentro da vida, senti-la como se esta estivesse prestes a morrer atropelada por uma camioneta de sonhos. por isso não segui o homem, deixei-o levar todos os lugares que gosto, talvez assim não tenha onde meter os pés e estes desapareçam.
 
Autor
Margarete
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1081
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
6
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
sampaiorego
Publicado: 06/07/2010 01:08  Atualizado: 06/07/2010 01:08
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2010
Localidade: algures virado para o mar com gaivotas
Mensagens: 1150
 Re: com pé.
*****


Enviado por Tópico
Inspiração_Estelar
Publicado: 06/07/2010 01:23  Atualizado: 06/07/2010 01:23
Da casa!
Usuário desde: 15/05/2010
Localidade: Portugal
Mensagens: 330
 Re: com pé.
Como não tenho mais nada a dizer, simplesmente aplaudo e espero por mais.

Beijinhos

Inspiração

Enviado por Tópico
sampaiorego
Publicado: 06/07/2010 02:03  Atualizado: 06/07/2010 02:03
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2010
Localidade: algures virado para o mar com gaivotas
Mensagens: 1150
 Re: com pé.
mar. esse homem acabou de passar à minha porta. ainda trazia os sonhos todos. apenas andava um pouco mais devagar. talvez cansado da caminhada – chamei-o. levei-o para junto do meu mar e pedi-lhe para me mostrar todos os sonhos que trazia consigo. mesmo aqueles que trazia debaixo do braço. segundo ele. eram muito grandes para os poder trazer na sacola de couro que trazia em volta do corpo – falamos. nunca imaginei que aquele corpo franzino trouxesse tantos sonhos agradáveis – mostrou-me um sonho de um poeta. queria fazer um poema de amor. um que fosse capaz de acabar com todos os trovadores – outro sonho. era de um rapaz sem mãos. tinha-as perdido quando em pequeno perdeu o pai para o trabalho árduo. guardou-as dentro dos bolsos e jurou nunca mais escrever o futuro – outro sonho ainda. era de uma miúda. que queria ser grande. ter uma montanha só dela e no topo do mundo uma pedra onde pudesse subir e amarrar uma nuvem – perguntei-lhe se era assim tão difícil ter uma montanha. assim grande. com uma pedra no cimo. junto ao céu. encolheu os ombros e riu-se – ficamos amigos e dei-lhe aquele lugar junto ao mar. sei que naquele lugar não vai mais ter que correr com os sonhos dos outros – ofereceu-me um sonho. mas como é para uma miúda. e a mim não me serve. vou enviá-lo para ti – ainda tens pernas para ele.

beijo

sampaio(r)ego

Enviado por Tópico
Alexis
Publicado: 06/07/2010 02:11  Atualizado: 06/07/2010 02:11
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade: guimarães
Mensagens: 7254
 Re: com pé. para mar
um dia compreenderás.és tu o lugar.

beijo,mar.

Enviado por Tópico
Alemtagus
Publicado: 06/07/2010 15:23  Atualizado: 06/07/2010 15:23
Colaborador
Usuário desde: 24/12/2006
Localidade: Montemor-o-Novo
Mensagens: 2747
 Re: com pé.
São esses teus pés que pisam caminhos sonhados e por sonhar, aqueles que descreves com tamanha eloquência que o mundo pára e escuta com maior atenção.
Se voltares a encontrar o «homem dos lugares» segura-o porque, sabe-se lá, um dia podes querer rever todos esses lugares.

Beijo para Mar