Sonetos : 

A pena, apenas apena!

 
A pena, apenas apena!
 
Que fosse apenas versos! Gostaria,
Porém, se a pena apena, é porque dói,
Arrasta-nos da alma tudo que corrói...
E, deita num papel, fingindo poesia!

É certo que ainda dói! Nem poderia...
Ser diferente, porque se alguém constrói,
Mil sonhos, um castelo, e alguém destrói...
Fazendo-o ruir, da noite para o dia...

Há que se apegar àquilo que é preciso!
Fazer das lágrimas; tímido sorriso
Dizer do furacão: foi uma brisa amena...

Passou! Nem lembro mais o que aconteceu...
Mente! Se acaso diz que já se esqueceu...
Porquê? Não é bem isso o que a pena, apena!

Del 06/08/10



 
Autor
Del
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1249
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/09/2010 00:26  Atualizado: 14/09/2010 00:26
 Re: A pena, apenas apena!
A cada poema teu que leio (e já lí muitos) é sempre como se fosse o primeiro...tal a emoção que sinto com tuas palavras, com teu grande talento!

Parabéns Del, por mais este magnífico soneto!

Um beijo!