Sonetos : 

Dentro d'alma!

 
Dentro d'alma!
 
Dentro d’alma!

Não dês ouvidos, à palavra torta!
Tentas, ouvir aquilo que não digo,
Pena não ver-me, como sendo abrigo...
E o meu coração, à ti, abrindo a porta!

Maldade humana! Vem e fere e corta,
E cedes. Aumentando o meu castigo...
E assim vais municiando o inimigo;
Nem vês que minha alma é quase morta...

Nem vês, amor, que sofro e não reclamo,
Nem ouves, quando digo que te amo!
Vem assim essa tristeza, fria e calma...

Que são punhais, cravados, me matando!
Quando outra vez, me ouvires soluçando...
Serão lágrimas, caindo dentro d’alma...

Del 26/09/10


 
Autor
Del
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1255
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
8
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/09/2010 10:37  Atualizado: 30/09/2010 10:37
 Re: Dentro d'ama!
Bom dia Del!

Sim...estes punhais ferem sem que possamos deles desviar e as lágrimas que dos olhos caiem são lágrimas de alma que grita silenciosas!

Que perfeição!
Como amei este soneto!

Parabéns!

Abraços!
Rosa


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/09/2010 11:12  Atualizado: 30/09/2010 11:12
 Re: Dentro d'ama!
De quando em vez não dispenso sentir a adrenalina que é escrever um soneto.
Este é primoroso.

abraço


Enviado por Tópico
antóniobotelho
Publicado: 30/09/2010 12:43  Atualizado: 30/09/2010 12:43
Da casa!
Usuário desde: 13/04/2010
Localidade: Aguiar da Beira - Guarda
Mensagens: 312
 Re: Dentro d'ama!
Excelente soneto!
Adorei ler!
Sem palavras para tantas palavras!
Aguardo mais criações destas.
Cumprimentos poéticos,

António Botelho
http://poesiasdeantoniobotelho.blogspot.com/


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/09/2010 13:08  Atualizado: 30/09/2010 13:08
 Re: Dentro d'ama!
Del...como não me encantar...não me emocionar diante dos teus versos? Diante da tua sensibilidade...do teu talento? Como não querer sempre te ler mais e mais? Como não amar tudo que escreves? Não tem como...rsrs...e tu sabes disso!
Beijo, Del!