https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

A Eternidade (Arthur Rimbaud)

 
Open in new window


De novo me invade.
Quem? – A Eternidade.
É o mar que se vai
Como o sol que cai.

Alma sentinela,
Ensina-me o jogo
Da noite que gela
E do dia em fogo.

Das lides humanas,
Das palmas e vaias,
Já te desenganas
E no ar te espraias.

De outra nenhuma,
Brasas de cetim,
O Dever se esfuma
Sem dizer: enfim.

Lá não há esperança
E não há futuro.
Ciência e paciência,
Suplício seguro.

De novo me invade.
Quem? – A Eternidade.
É o mar que se vai
Com o sol que cai.

Tradução: Augusto de Campos

Arthur Rimbaud, poeta francês que inspirou o filme Sociedade dos Poetas Mortos, tradução do poema por Augusto de Campos.

Arte: Mihai Adrian Raceanu, Painter from Romania
 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
4774
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.