https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Palhaços Sem Circo

 
Recanto de artistas esquecidos,
Aqueles tristes palhaços sem circo
Por perigosas e escuras ruas a vagar...

Pássaros desesperados, ao chão,
Ciscando, distraídos ao perigo.

Mendigos sujos e doentes,
Bêbados imundos sem dentes
Pelas mesmas ruas à dormitar.

Por ali também um sarnento e vadio cão
Com muita vontade de viver, com fome.
Com vapores alucinantes um sujo irmão
Sem tênis, sem nada nem futuro: sem nome.

Um tambor que arde em mais uma esquina
Mãos frias, por tabela, a aquecer
Um negro esfarrapado balbucia alguma coisa

Enquanto ao seu lado,
Um companheiro arde em chamas.

Um outro sonha com um dia melhor;
Lembra da infância perdida entre surras;
Lembra do cachorrinho preto,

Do gatinho branco e da tia Joana que lhe
Dava todas as manhãs um pedaço pequeno de pão.

Vapores fétidos diluídos numa atmosfera sufocante
Exalando de bueiros entupidos de lixo e de pedaços de

Gente, enquanto os urubus passeiam por entres os
Milhares de pomos que se formaram perto dos jardins onde não nasciam mais os sóis.


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1286
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
8
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 09/02/2011 21:53  Atualizado: 09/02/2011 21:55
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7283
 Re: Palhaços Sem Circo
Um texto forte,real e com a tua marcante léxica. Gostei, meu amigo.

Um abraço, Gyl


Enviado por Tópico
Angela.Rolim
Publicado: 09/02/2011 23:56  Atualizado: 09/02/2011 23:56
Colaborador
Usuário desde: 11/11/2010
Localidade:
Mensagens: 1162
 Re: Palhaços Sem Circo
Vim apreciar teu interessante e triste, mas real, escrito! Um abraço!


Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 10/02/2011 00:20  Atualizado: 10/02/2011 00:21
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14977
 Re: Palhaços Sem Circo p/ Gyl
Querido poeta amigo Gyl

São tantos os palhaços pelos
caminhos da vida, eu mesma
sinto-me muitas vezes assim
um palhaço no centro do círculo
sem ninguém para aplaudir, então
abaixo a cabeça e sigo....

Excelente e real poema

Beijinhos no coração


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/02/2011 00:27  Atualizado: 10/02/2011 00:28
 Re: Palhaços Sem Circo
bem sabemos que este circo que é a vida, nem sempre é coberto por lonas coloridas. inda assim os palhaços sorriem. do poema até chora-se.

Gyl, aquele abração Carioca.

zésilveira