https://www.poetris.com/
 
Textos : 

Ser, Crer e Poder

 
Seria a base de sustentação do meu poder se fosse um único caminho por todas as entradas do meu corpo. Veria que talvez as mesmas entradas fossem as mesmas saídas em busca de um único poder que me é intrínseco à nascença. Nasço e formo-me numa periferia onde se encontram todas as bases, mas não sei para onde vou se me... sentar a olhar o mundo no topo de uma pirâmide. Ela será sempre a única sustentação da base que me fez nascer, crescer e morrer, mas mesmo sendo a única, será sempre a eleita em todos os jogos de poder, que me têm desde que me viu surgir por todas as arestas que a compõem.

Digo-te de mim e sonho, sonho e falo-te de princípios básicos de um ser em mudança pela busca de um Ser maior, que me diga onde encontrar o meu início e onde visualizar o meu fim em todas as bases que me fizeram acontecer. Aconteci e sou eu, morri e continuo a ser eu, mas se não me encontrar no centro desta linha, então as bases de sustentação fraquejaram e eu encontro-me entre um caminho e outro, em busca de outros que me levem ao topo da pirâmide. Inverti-a num sonho, reduzi-a a mil e uma formas para que me encaixasse numa delas e me visse a subir, sem no entanto ter que fraquejar nesse mesmo sonho. Há sonhos que me reduzem a pó e eu não sei ser pó sem primeiro ser um Ser. Quero-me por inteiro, mesmo que esse modo seja o inverso que me faz viver e morrer , sem ceder ao poder de me ter no encontro de todos os pontos que me fazem viver, um dia após o outro. Sei-me, mas não me sei a querer, e nem a crer num movimento que me leve sem deixar de me dizer em todos os versos e reversos do meu querer. Seria tudo se me deixasse ser um pouco nada.

Seria nada se me dispusesse a ser tudo o que o nada me deixou ser. Mas, para ser, será preciso encontrar-me em todas as formas que ainda não conheço. Quero-me então em rodopio por novas formas que me queiram toda sem nada, mas com tudo o que sou, não sendo, e existindo na súmula dos dias, na cobrança das noites, nas fragrâncias das flores que se querem nascer e morrer no meu jeito de ser enquanto mulher, ser, crer e poder.
 
Autor
ÔNIX
Autor
 
Texto
Data
Leituras
937
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
6
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
luciusantonius
Publicado: 02/03/2011 23:59  Atualizado: 02/03/2011 23:59
Colaborador
Usuário desde: 01/09/2008
Localidade:
Mensagens: 670
 Re: Ser, Crer e Poder
Oh Dolores (gosto deste nome com sabor espanhol)
Eu gostava de a comentar, de divagar, de dizer coisas que valessem a pena e minimamente à altura daquilo que escreve. Mas, depois de a ler, sou tomado por um complexo de inferioridade que me bloqueia.
Muitas vezes quero comenta-la, mas mingua-me poder poético para o fazer, e então fico calado. Saiba que a considero um expoente deste espaço que ainda não sei se é de todos.
Deixe que continue a felicitá-la.

O abraço de sempre
antonius


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 06/03/2011 16:03  Atualizado: 06/03/2011 16:03
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Ser, Crer e Poder
Dolores,
penso que há muito encetaste a caminhada para a conquista do verdadeiro SER pela tua doce e consciente essência.
Beijinhos
Nanda


Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 12/03/2011 18:02  Atualizado: 12/03/2011 18:02
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4527
 Re: Ser, Crer e Poder
Ola Dolores

Não é fácil sabermos o que o "EU" é, visto como dizes muito bem há muitas formas que o eu desconhece, e é nesssa tentativa de descoberta que vamos nesta nossa estrada redescobrindo um pouco mais de nós e dos outros.

Gostei de te ler poetisa

Beijinhos
Tudo de bom