https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Imaginação (11 de Setembro)

 
Imaginem milhares de crianças mortas,
Com as feridas expostas, pernas tortas;
Imaginem milhares de mães ignotas
Imaginem o terror sobre o céu das ilhotas...

Agora imaginem a dimensão dos danos
A falta de consideração pelos seres humanos
Imaginem a dor logo ao romper da aurora
Imaginem o estrago que faz uma Enola...

Imaginem centenas de milhares de vidas
Imaginem o calor, a onda, o super som,
Uma bomba com mais de mil megatons
Arrasando um complexo de pequenas ilhas...

Imaginem os sonhos... As famílias...

Imaginem Nagasáki...
Imaginem Hiroshima...


Gyl Ferrys

Para melhor compreensão do texto:

Enola Gay: foi o nome dado ao bombardeiro B-29 que lançou a bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima no dia 6 de agosto de 1945. Foi pilotado pelo coronel Paul Tibbets Jr., então com 30 anos, comandante do 509º Grupamento Aéreo dos Estados Unidos, que desde fevereiro de 1945 preparava-se para a missão. A fim de realizá-la, Tibbets escolheu pessoalmente um quadrimotor B-29, batizando-o com o nome Enola Gay em homenagem à sua mãe.

Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki: Foram ataques nucleares ocorridos no final da Segunda Guerra Mundial contra o Império do Japão realizados pela Força Aérea dos Estados Unidos da América na ordem do presidente americano Harry S. Truman nos dias 6 de agosto e 9 de agosto de 1945.[1] Após seis meses de intenso bombardeio em 67 outras cidades japonesas, a bomba atômica "Little Boy" caiu sobre Hiroshima numa segunda-feira.[2] Três dias depois, no dia 9, a "Fat Man" caiu sobre Nagasaki. Historicamente, estes são até agora os únicos ataques onde se utilizaram armas nucleares.[3] As estimativas, do primeiro massacre por armas de destruição maciça, sobre uma população civil, apontam para um número total de mortos a variar entre 140 mil em Hiroshima e 80 mil em Nagasaki,[4] sendo algumas estimativas consideravelmente mais elevadas quando são contabilizadas as mortes posteriores devido à exposição à radiação.[5] A maioria dos mortos eram civis.[6][7][8]

As explosões nucleares, a destruição das duas cidades e as centenas de milhares de mortos em poucos segundos levaram o Império do Japão à rendição incondicional em 15 de agosto de 1945, com a subsequente assinatura oficial do armistício em 2 de setembro na baía de Tóquio e o fim da II Guerra Mundial.

O papel dos bombardeios atômicos na rendição do Japão, assim como seus efeitos e justificações, foram submetidos a muito debate. Nos EUA, o ponto de vista que prevalece é que os bombardeios terminaram a guerra meses mais cedo do que haveria acontecido, salvando muitas vidas que seriam perdidas em ambos os lados se a invasão planejada do Japão tivesse ocorrido. No Japão, o público geral tende a crer que os bombardeios foram desnecessários, uma vez que a preparação para a rendição já estava em progresso em Tóquio.
 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1001
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
8
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/09/2011 23:11  Atualizado: 10/09/2011 23:11
 Re: Imaginação
Um texto que nos alerta sobre os horrores nucleares! Muito bom, caro amigo! Parabéns!




Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/09/2011 01:06  Atualizado: 11/09/2011 01:06
 Re: Imaginação (11 de Setembro)
Caro Gyl, tanta coisa ja se escreveu e ja se falou sobre o tal 11/09 que, qualquer coisa que ainda se fale ou se escreva sobre o mesmo, soa como... mais um texto sobre um assunto que, como outros tantos assuntos envolvendo violência e morte de inocentes "vira e mexe" voltam a ser explorados pela midia à titulo de noticia. Respeito imensamente o seu direito de expressão. Porem vejo e, saliento que é uma opinião estritamente pessoal, o 11/09, comparado as atrocidades vividas diuturnamente pelos moradores de zonas de risco ao redor do mundo, notadamente nos paises africanos, as barbaridades acontecidas aqui em nosso belo pais tropical, a miséria que campeia pelo mundo afora, o trafico de drogas, armas, crianças, mulheres, orgãos e etc, o descaso das autoridades mundiais com a fome que grassa pelos mais insuspeitos rincões do mundo, nada mais é que apenas e tão somente mais um ato tresloucado provocado por um fundamentalista doente que foi condicionado a acreditar que o americano é o "traste" do mundo.

Chega de 11/09. Que Deus continue confortando e consolando as familias que tiveram membros seus ceifados nessa que foi apenas mais uma tragedia levada a cabo pelo homem, contra o homem a despeito do que pensa o homem e, que a nossa amada e idolatrada midia impressa, falada, twitada busque outros assuntos menos doloridos.

Abraços - Pedro