https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Densa Cabeleira

 
Ó, vasta e densa cabeleira,
Tosão ondulante de negrura
Que cai em caracóis pela cintura
E em franjas pelas sobrancelhas!...

Quero agitá-la em véus de brumas
Para que faísque pratas de cometas;
Para que seja refúgio das borboletas;
Para que seja um céu de espumas!...

Quero prendê-la num céu de estrelas;
Enroscar a negra crina em meus punhos;
Cavalgar em teu dorso pelos mundos;
Rasgar contigo as tardes vermelhas!...

Quero um gozar novo, de forma serena;
Ejacular uma via-láctea dentro de você;
Fazer-te um filho como eu faço um poema;
Depois feito um louva-deus... Fenecer!


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
803
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
varenka
Publicado: 18/10/2011 11:59  Atualizado: 18/10/2011 11:59
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2009
Localidade:
Mensagens: 4211
 Re: Densa Cabeleira
Tá danado meu amigo.Vais povoar o mundo,sisossssssssssss.Mil beijos.Varenka


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 18/10/2011 14:39  Atualizado: 18/10/2011 14:39
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Densa Cabeleira
UM SANTO POEMA, PODEROSO.

MARTISNS