Poemas : 

03/07/2012

 
Sensível às ondas que proferem o teu nome como um campo minado que estraçalha a folha que cai no inverno tenro do teu labirinto.
Vozes de seres que buscam o conforto nas ondas sonoras que cortam o tempo e o espaço para chegar até eles sem mais nada a oferecer, além de tons desesperados daqueles que, se identificando com a mesma busca, têm no tom o dom de nada ("poder") fazer. (03/07/2012)


"Poeta é o que tira de onde não tem e bota onde não cabe."

(Pinto do Monteiro)

 
Autor
Preta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
812
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Felipe Mendonça
Publicado: 08/07/2012 12:19  Atualizado: 08/07/2012 12:19
Usuário desde: 01/12/2011
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 533
 Re: 03/07/2012
É onde estamos todos: neste labirinto minado que se tornou o nosso mundo. Mas, nos encontraremos; eis a minha esperança. Gostei do teu texto. Grande abraço.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/07/2012 16:31  Atualizado: 08/07/2012 16:31
 Re: 03/07/2012
Texto interessante direccionado ao poeta na fase ainda inicial da sua dor...será?
Ou ficará no segredo dos deuses...
Compreendi assim.
Abraços
Luzia