https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Esperança : 

Criança fujona...

 
Criança querida,
Comigo vive a brincar.
Onde está minha amada?
Será que fora pra nunca mais voltar?

Não me assustes danada,
Isso não é hora de traquinar.
Não sejas tão retada,
Prometo te acalentar.

Não me deixes aperreada,
Escutas o meu falar.
Sejas comportada,
Não demores a retornar.

Criança malandra, acanhada,
Vive sempre a sonhar.
Corre com a molecada?
Ou está a labutar?

Não vês essa pobre coitada?
Te amas sem hesitar.
Não queiras me ver cansada,
Minha pequena, de ti quero cuidar.

Não vês malcriada,
Que meu fado é te amar?
Tão ruim é essa estrada,
Que preferes abandonar?

Criança, sejas minha aliada,
Venhas comigo morar.
Não me rejeites levada,
Sabes, aqui é o teu lugar.

Não queiras me ver aborrecida,
Pois, o bicho pode pegar.
Quem disse com almofada,
A dor pode amenizar?

Não queiras a balaustrada,
Do navio em alto-mar.
Partistes em retirada,
Devo-te esperar?

Criança desejada,
Cansei de chorar.
Quer saber malvada?
Chega de lamentar...

Preta
07/11/2008, às 02:05


"Poeta é o que tira de onde não tem e bota onde não cabe."

(Pinto do Monteiro)

À minha querida criança. Àquela menina de olhos esbugalhados que ainda está em mim, mas que por vezes, me foge...
 
Autor
Preta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
655
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.