https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Corpos sem Amor

 
De que vale tocarem-se os corpos
se as Almas não se encontram?!
Suspense! Vazio! Nada mais ...
Corpos sujos de cinza, apenas pó,
nada fica em seguida ...
Teia tecida por mãos frias, sem Alma,
palavras vãs! Espasmos-de-quimera!
E o Fogo? Esse que o Amor ateia
num rastilho de Águas-fundas? Onde?!
É apenas fricção,
desejo ainda não contido
que arde em pólvora seca
que rápida e obstinadamente se consome.
Fica o pó, o nada, a cinza desse instante!
Vazio solitário, sem pontas,
memória pejada de melancolia,
que desterra o Coração,
que enterra a emoção.
Uma imensa solidão!!!
Dor funda, punhais cravados,
dedos de um Alguém
que nos percorre o corpo e parte!
E para onde parte?
Parte simplesmente!
Tristeza imensa fica
numa Alma sem pertença
que vai e busca ternura noutros corpos.
Que erro tão errado!
Que fria ilusão!
Lamento alucinado
em Espiral de fantasia
numa busca noutros corpos
que só sabem a madrugada.
Sabem a pouco! Sabem a nada!
Porque o dia sempre chega!
A noite sempre finda...
O encanto sempre termina...
A magia sempre acaba …
Ali faltava o Coração!
Espaço Esse onde os olhos se entrelaçam,
onde se fundem Emoções ...
Saudade! Tão imensa, tão intensa
que sempre acaba em nostalgia de orações!


Ricardo Louro

No Chiado
em Lisboa

- Disse um dia António Alçada Baptista: "As pessoas chamam Amor às suas carências e não percebem que o Amor é uma abundância ..." Chamam Amor aos desejos, às projecções, às ilusões, aos egos, ao mundo exterior que as habita. Entre uma Alma e outra Alma o Sexo pode separar a intima fusão quando este ainda não serve o Amor. Não são os corpos que levam as Almas a encontrar-se mas as Almas que devem levar os corpos a tocarem-se!!! É toda a diferença. Deseja o que Amas, não Ames o desejo!!!! -


(Venus em Touro em Arco na casa VIII oposta a Plutão Natal em Escorpião na Casa II - eis a percepção final de que o desejo fisico sem Alma é fogo fátuo onde os Corações sempre ficam congelados!)


Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
943
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
3
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 14/06/2013 16:23  Atualizado: 14/06/2013 16:23
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: Corpos sem Amor
Bom teu poema, é de facto assim sem amor, tudo não passa dum momento de ilusão, de euforia que rápidamente acaba e tudo fica sem sentido.

Gostei.


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 17/06/2013 20:17  Atualizado: 17/06/2013 20:17
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16585
 Re: Corpos sem Amor
Poeta Ricky
Perfeito! Texto coerente, tema sabiamente explorado!
Guardei! Parabéns! Beijos!
Janna